50 TONS DE PRETO (Crítica)

50 TONS DE PRETO1

meio

Por Kadu Silva

Cinquenta tons de mau gosto

50 TONS DE PRETO03

Eu sou completamente a favor do mundo ser mais livre para todo tipo de expressão, piada e afins. Concordo quando dizem que o politicamente correto está tornando as relações chatas e sem graça, no entanto existe limite entre o bom senso e algo de extremo mau gosto. Cinquenta Tons de Preto consegue extrapolar todos os limites ao fazer uma parodia racista do famoso filme Cinquenta Tons de Cinza.

O arco dramático que envolve o filme tem a mesma linha do original, o milionário Christian que aqui é o Black (Marlon Wayans) recebe a estudante Kateesha (Jenny Zigrino) para fazer uma entrevista e a partir desse primeiro encontro nasce uma atração entre os dois, o único “problema” é que o milionário gosta de sadomasoquismo em suas relações sexuais e a ingênua e delicada estudante precisa saber lidar com isso para manter o que possivelmente pode se tornar um forte relacionamento.

Até esse momento tudo normal, mas os roteiristas Marlon Wayans (Inatividade Paranormal) e Rick Alvarez (Inatividade Paranormal 2) usam todo tipo de estereótipo racista para compor essa trama, exemplo: Christian se torna rico no filme porque é ladrão, Christian é analfabeto, não sabe contar até cinco, os negros são diferentes ao falar, parecem que estão brigando enfim é disso para pior.

50 TONS DE PRETO01

Como já citei não vejo problema em brincar com o negro, o gay, a mulher, índios (as minorias), mas precisa ser algo que faça o espectador rir, e ao mesmo tempo pensar, – poxa, esse tipo de pensamento já era, melhor acompanhar o mundo. Para ilustrar o que digo, veja esse falso trailer (clique aqui), onde mostra a população norte-americana em pânico porque descobriram que Beyoncé é negra, ou seja é preciso inteligência para fazer humor. Um outro exemplo que também sabe utilizar esses estereótipos e dar um tapa na cara da sociedade é essa esquete dos Portas do Fundo (clique aqui), o branco é acostumado a menosprezar o negro, como no período da escravidão, como ele fosse um objeto não um ser humano. Portanto é possível fazer algo engraçado e saber tocar na ferida de quem ainda vê o negro como um ser inferior.

Inegavelmente o filme apresenta momentos engraçados e se tem algo que pode dar um pouco de dignidade a produção é o fato de saber mencionar de forma bem interessante uma série de referências de outros famosos longas-metragens, tem inclusive, uma citação divertida da trilha do filme original, onde o personagem Eli (Affion Crockett) está caracterizado como The Weeknd e faz uma versão bem explicita da canção indicada ao Oscar Earned It.

O diretor Michael Tiddes (Inatividade Paranormal 1 e 2) não apresenta nada de novo, é o mesmo estilo de escracho exagerado que já vimos em Tudo Mundo em Pânico, o único problema é que incentivar o sexo sem preservativo, o racismo, o machismo é algo que precisa realmente encontrar um público muito inculturado para apreciar.

E sobre o elenco, a única coisa que posso dizer é, como ser negro e se submeter a isso? #lastimável!

50 Tons de Preto pode até te fazer rir em certos momentos, mas o mau gosto em fazer piada de algo que gostaríamos que não existe mais é realmente intragável. #ficaadica

50 TONS DE PRETO02

SINOPSE

Christian Black (Marlon Wayans) é um empresário milionário, que recebe a estudante Hannah (Kali Hawk) em seu escritório. Insegura e simplória, ela foi no lugar da amiga Kateesha (Jenny Zigrino) para fazer uma entrevista para o jornal da faculdade. Não demora muito para que eles flertem entre si, apesar das trapalhadas cometidas por Hannah. Black passa então a rondá-la, disposto a atraí-lo ao mundo secreto e cheio de brinquedinhos que armazena em seu luxuoso apartamento.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Michael Tiddes” espaco=”br”]Michael Tiddes[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Marlon Wayans e Rick Alvarez
Título Original: Fifty Shades Of Black
Gênero: Comédia
Duração: 1h 32min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 3 de março de 2016 (Brasil)

TRAILER

Comente pelo Facebook

2 Comentários

  1. Frederico Feroli

    Ou seja no seu ponto de vista o filme é ruim pq não segue a desgraça do politicamente correto …Interessante.

  2. Marcelo

    Conseguiram fazer algo bom (paródia) de um filme ruim (50 Tons de Cinza) !
    porque vamos concordar que o filme original, apenas a trilha sonora é boa