A INCRÍVEL JORNADA DE JACQUELINE (Crítica)

Kadu Silva

Docilmente divertido!

Road-movie (é um gênero de filme em que a história acontece durante uma viagem) é um formato cinematográfico que em geral acaba sempre caindo na mesmice, mas essa grata surpresa, A Incrível Jornada de Jacqueline soube utilizar desse modelo para enriquecer a narrativa da jornada improvável de Fatah (Fatsah Bouyahmed) e sua vaca Jacqueline da Argélia até Paris.

Fatah é um humilde fazendeiro argeliano que a anos sonha em levar sua (bem cuidada) vaca Jacqueline para competir na grande feira de agricultura que acontece em Paris, e eis que seu sonho está prestes a acontecer quando recebe o convite para participar do evento, o único problema é que a feira não banca a viagem dos competidores e Fatah terá que arranjar um modo de chegar até Paris. Com falta de dinheiro ele faz a primeira parte de barco até Marselha, e de lá até Paris resolve ir a pé e nesse trajeto ele conhece pessoas e vive situações que tornará sua viagem inesquecível.

O roteiro do também diretor Mohamed Hamidi (A Marcha), cria uma verdadeira fabula rural para essa história, já que Fatah é um personagem ingênuo e de carisma retumbante e além disso, seu grande sonho ganha rapidamente uma identificação com o público, além de ter um animal (no caso a vaca) sempre ao seu lado que torna a história ainda mais envolvente e próxima da plateia.

Apesar do tom cômico e leve que permeia toda a fita, existe na produção alguns pontos interessantes para reflexão, entre eles a questão da imigração, o choque cultural e de forma um pouco mais evidente a globalização através do acesso à internet.

E por falar no mundo virtual o roteiro encontra espaço para dar um frescor ao longa quando o personagem de Fatah se torna celebridade cibernética, quando um dos seus vários momentos de sua viagem acaba caindo na rede, além de memes instantâneos, ele rapidamente ganha status de celebridade, o interessante é que não é gratuito dentro da história, existe toda uma explicação orgânica para o fato.

Outro grande destaque é o elenco se encontra todo muito bem, mas Fatsah Bouyahmed (A Mentira Tem Perna Curta) que faz o Fatah compõe o personagem de uma forma doce, sutil e com um timing cômico perfeito, não caindo no caricato que o papel facilmente poderia o levar, sua figura do sonhador do interior tem contornos muito reais e como já foi dito, ganha a torcida da plateia já nos primeiros minutos.

A Incrível Jornada de Jacqueline é uma comedia fora dos padrões hollywoodianos por saber dosar drama, comedia, personagens marcantes e um texto elaborado, ainda que usa de certa forma a mesma formula que lá é usada.

A INCRIVEL JORNADA DE JACQUELINE

SINOPSE

Fatah, um pequeno fazendeiro argelino, só tem olhos para sua vaca Jacqueline, que ele sonha em ver na grande feira de Agricultura, realizada em Paris. Determinado a levar a vaca até lá, ele a carrega consigo e cruza a França à pé, após pegar um barco para Marselha. No caminho, Fatah e Jacqueline viverão uma inesperada viagem cheia de surpresas e aventuras.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Mohamed Hamidi” espaco=”br”]Mohamed Hamidi[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Mohamed Hamidi
Título Original: La Vache
Gênero: Comedia
Duração: 1h 32min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 10 Anos
Lançamento: 28 de julho de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook