A Vida em Si (Crítica)

Kadu Silva

Enrolado

A globalização e o avanço tecnológico trouxeram entre outras coisas uma aproximação dos seres humanos que antes viviam isolados em continentes afastados, o que deixou ainda maior a sensação que todos somos parte de uma mesma história. Esse conceito guiou o diretor e roteirista Dan Fogelman (This is Us) a escrever A Vida em Si, que apresenta uma história que se passa em diversos locais e épocas diferentes e todas as ações estão conectadas entre elas.

No filme o casal Will (Oscar Isaac) e Abby (Olivia Wilde), tem sua trajetória de vida contada desde as ruas de Nova York onde viviam até a Espanha em diferentes épocas e através de acontecimentos marcantes que conectaram toda trama que envolve a história do casal.

O conceito da produção é muito interessante, já que acaba fazendo com que prenda a atenção do espectador diante dos acontecimentos, o grande problema é que o roteiro é em determinados momentos confuso, previsível e cansativo para apresentar seu desfecho.

A Vida em Si (Crítica)

Existe por parte do Dan Fogelman uma busca por colocar o arco dramático numa perspectiva muito complexa que não teria necessidade de ser diante do que é apresentado. Ainda assim, o elenco com grandes nomes consegue apresentar algo além, o que torna o filme muito bom de acompanhar, principalmente pelo carisma dos personagens que os atores conseguiram criar.

É inegável dizer que o filme é corajoso em apresentar certas passagens da história, mas ainda assim a romantização da trama torna difícil a identificação com que está sendo contado.

Tecnicamente o filme é belo em fotografia, direção de arte, figurinos, trilha sonora, o que acaba contrabalançando alguns equívocos na direção e no roteiro.

A Vida em Si é o típico filme autoajuda com alguns exageros e uma ou outra mensagem que pode acabar sendo interessante para você naquele momento.

Pôster de divulgação: A Vida em Si

Pôster de divulgação: A Vida em Si

SINOPSE

O relacionamento amoroso vivido por um casal (Oscar Isaac e Olivia Wilde), é contado através de diferentes décadas e continentes, desde as ruas de Nova York até Espanha e como diferentes pessoas acabam se conectando a ela através de um evento marcante.

DIREÇÃO

Dan Fogelman Dan Fogelman

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Dan Fogelman
Título Original: Life Itself
Gênero: Drama, Romance
Duração: 1h 58min
Classificação etária: 14 anos
Lançamento: 6 de dezembro de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook