Abrindo o Armário (Crítica)

Kadu Silva

Um retrato atual do cenário LGBTQ+ brasileira

Quem gosta de história e a evolução social de certos temas, deve notar que a homossexualidade já passou por diversas fases na história. Teve seu auge no período romano, onde os imperadores e os nobres buscavam prazer com outro homem e isso era não só aceito pela sociedade como era sinal de status social ter a relação homoafetiva. Após o declínio do império a igreja católica usou o nome de Deus para taxar a relação como pecado e assim tirar a força dos imperadores, essa fase até hoje ainda é muito presente, mas ao longo dos anos os homossexuais estão buscando sair do armário e mostrando para a sociedade que não há nada de errado em ser quem é. O documentário Abrindo o armário mostra exatamente o momento atual em que as diversas vozes da fatia marginalizada da sociedade vêm ganhando espaço e respeito.

Os diretores Dario Menezes e Luís Abramo entrevistaram 16 personagens distintos para mostrar o processo de libertação e conquistas que essas pessoas passaram ou estão passando por simples serem gays na sociedade onde mais se mata pessoas LGBTs no mundo. O interessante nesse processo é que os diretores optaram por escolher personagens diversos dentro do universo gay masculino, têm os bens jovens, os mais velhos, as drags, os trans, são várias figuras que relatam como é viver gay no Brasil atual.

Abrindo o Armário (Crítica)

O formato do documentário é simples e até certo ponto bastante burocrático, as diversas entrevistas ao longo da narrativa vão moldando o cenário brasileiro gay. Vemos relatos de pessoas que abriram sua condição de forma tranquila para a família, outros de forma triste e traumática, passamos pela relação com o corpo e o sexo e o medo de mostrar a sociedade sobre ser gay.

Apesar desse formato comum, a montagem soube mesclar os relatos com performances de alguns artistas como a Linn da Quebrada, por exemplo, e complementar uma história com a outra e assim tornar o retrato social ainda mais claro.

Se existe um fato a se lamentar é a oportunidade de ampliar os personagens para as mulheres e as demais siglas do universo LGBTQ+, fato esse que tornaria o projeto ainda mais grandioso.

Abrindo o Armário é a oportunidade de mostrar para toda a sociedade que ter respeito/empatia é o primeiro passo para que o Brasil saia do topo dos países que mais matam LGBTs no mundo.

Pôster de divulgação: Abrindo o Armário

Pôster de divulgação: Abrindo o Armário

SINOPSE

Através de várias entrevistas, materiais de arquivo e performances dos artistas presentes no documentário, este é um retrato aprofundando sobre os processos de libertação e de conquistas de independência do movimento gay no Brasil.

DIREÇÃO

Dario Menezes, Luís Abramo

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Daria Menezes
Título Original: Abrindo o Armário
Gênero: Documentário
Duração: 1h 27min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 16 de agosto de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook