ALTAS EXPECTATIVAS (Crítica)

Kadu Silva

Romance não orgânico!

Nas últimas semanas ao escrever sobre o filme Rúcula com Tomate seco (leia crítica, clique aqui), comentei que a ideia é interessante, porém é antiquada e clichê demais, afinal uma história de amor heteronormativa para se tornar interessante precisa apresentar algo inovador. Já no filme Altas Expectativas é exatamente o inesperado da relação entre uma mulher de estatura “normal” com um rapaz com nanismo que faz do filme uma obra que tinha tudo para ser marcante, no entanto, a construção desse romance (infelizmente) não é orgânica.

Na trama conhecemos Décio (Gigante Leo), um treinador que trabalha no Jockey Club Brasileiro, e ao notar a jovem Lena (Camila Márdila), se encanta à primeira vista pela moça, no entanto Décio é tímido e tem medo de ser rejeitado devido a sua estatura, mas seus amigos o incentivam a investir no romance, usando como “arma” o humor.

É exatamente usando de trechos hilários dos espetáculos stand up do Gigante Leo que a trama é costura para mostrar o que seria um romance “inesperado”, mas Pedro Antonio e Álvaro Campos se mostram pouco ousados nessa composição, já que a trama é toda pautada na tentativa de uma investida de Décio a Lena, o envolvimento entre os dois que poderia justificar o romance não acontece em nenhum momento, o que dificulta com que o público torça para o casal.

ALTAS EXPECTATIVAS (Crítica)

Além disso, o filme em nenhum momento investe na conscientização do espectador e principalmente do poder público sobre a falta de investimento na acessibilidade para pessoas com nanismo, na entrevista acima, os diretores justificaram a escolha por achar que ao ter um protagonista anão essa mensagem já seria inerente e se eles pesassem mão nisso, o filme poderia ser taxado como panfletário, no entanto, um simples dialogo bem colocado poderia ser suficiente para despertar na plateia a sensibilidade sobre o tema.

Outro problema que o longa apresenta é na construção da personagem de Camila Márdila (Que Horas ela volta?), que na trama passa por uma transformação, mas que devido a um texto pouco criativo não é possível notar com clareza que a Lena encontrou a felicidade que tanto lhe faltava, mesmo com o talento da atriz.

Tecnicamente o filme é bem-acabado, fotografia muito bem pensada, trilha sonora romântica e delicada, montagem ágil, ingredientes que fazem do filme uma obra sensível apesar de seus deslizes.

Altas Expectativas tem uma ideia formidável, mas a falta de coragem na construção do romance o torna somente uma obra regular.

Pôster de divulgação: ALTAS EXPECTATIVAS

Pôster de divulgação: ALTAS EXPECTATIVAS

SINOPSE

Décio (Gigante Léo), um treinador que trabalha no Jockey Club Brasileiro, se apaixona à primeira vista por Lena (Camila Márdila), uma jovem que recebeu como herança um empreendimento endividado no clube. Tímido, ele não tem coragem de se declarar, mas acaba sendo convencido por amigos a se aproximar pelo humor, fazendo a melancólica moça aprender a sorrir.

DIREÇÃO

Pedro Antonio, Álvaro Campos

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Pedro Antonio, Álvaro Campos
Título Original: Altas Expectativas
Gênero: Comédia romântica
Duração: 1h 30min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 7 de dezembro de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook