AMITYVILLE: O DESPERTAR (Crítica)

Kadu Silva

Quase lá!

Sabe aquela história de terror em que uma família muda para uma casa meio isolada, que esconde histórias sinistras em seu passado? E após a chegada dessa família, começa acontecer muitos acontecimentos estranhos e sobrenaturais? Então, possivelmente você já viu um filme assim, correto? Amityville: O Despertar é tudo isso, a diferença é que se trata de uma obra dentro da franquia “Amityville” e a boa sacada foi exatamente fazer conexão com essas outras obras.

Nessa história Belle (Bella Thorne) e sua família se mudam para uma nova casa, quando fenômenos estranhos começam a ocorrer, Belle então começa a desconfiar que sua mãe escondeu algo dela, principalmente o passado da nova casa.

O roteiro do também diretor Franck Khalfoun (Maníaco) tem acertos e muitos equívocos. Os acertos: saber fazer uma orgânica conexão com outras obras da franquia, o uso de um personagem debilitado para justificar o desespero da mãe e a loucura dessa mãe ao fazer escolhas questionáveis para ter seu filho de volta, tudo funciona super bem, mas poderia ter sido explorado melhor para deixar a história ainda mais assustadora. Já entre os erros: é usar do recurso casa assombrada de forma completamente clichê, os personagens “burros” que vão em busca do perigo, além de todos os outros clichês possíveis do gênero que torna a trama bem previsível.

AMITYVILLE: O DESPERTAR (Crítica)

Amityville: O Despertar cai no mesmo “erro” da maioria dos filmes de terror que é ceder ao gosto popular e encher de sustos muitas vezes bobos e desnecessários durante toda a narrativa. O potencial de uma história satânica que a mãe o filho carregava, infelizmente não é explorado, o que poderia dar ao filme um frescor diante de tantos longas do gênero parecidos.

O elenco enxuto consegue convencer, ainda que não tenha nenhum ator com um carisma forte para criar uma empatia marcante com o público.

A trilha sonora é trivial, mas funciona bem na trama, os efeitos visuais também são simples mais eficientes. O grande problema tecnicamente é na montagem que apresenta uns cortes bruscos, sem sentido para a narrativa.

Amityville: O Despertar ainda que tenha alguns deslizes, entrega bem um filme de terror de gosto popular.

Pôster de divulgação: AMITYVILLE: O DESPERTAR

Pôster de divulgação: AMITYVILLE: O DESPERTAR

SINOPSE

No filme, Belle (Bella Thorne) e sua família se mudam para uma nova casa, mas quando fenômenos estranhos começam a ocorrer, Belle começa a suspeitar que sua mãe não está contando tudo e logo percebe que eles simplesmente se mudaram para a infame casa de Amityville.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Franck Khalfoun” espaco=”br”]Franck Khalfoun[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Franck Khalfoun
Título Original: Amityville: The Awakening
Gênero: Terror
Duração: 1h 25min
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 14 de setembro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook