AS AVENTURAS DE PADDINGTON (Crítica)

2313_272 2313 3254 640x940

3emeio

Por Carlos Pedroso

AS AVENTURAS DE PADDINGTON01

Eu não sabia da existência de Paddington até pouco antes da sessão. Muito menos que o ursinho simpático e ingênuo era um grande sucesso na Europa, até porque, logo que vi o cartaz do filme pensei se tratar de uma versão inglesa do Ted. Felizmente, a surpresa foi outra (embora quem assuma a dublagem do protagonista aqui seja o Danilo Gentili). Como uma (re)atualização de Stuart Little, o filme de Paul King acaba servindo como um retrato do cenário Europeu atual, que anda sancionando leis e criando demandas de imigrantes em seus países – em especial a tão sonhada Londres de Paddington no filme.

Nesse sentido, pensando o live action animado como um filme expressamente político, a adaptação se faz bastante crível. Porque, para além do sonho do urso órfão que almeja chegar na terra prometida (Londres), o roteiro sabe pintar bem as cores dos estigmas desses personagens que ao chegar em seu ponto de destino acabam sentindo o real choque cultural de países como o da rainha, onde predomina a ideia do imigrante que vem para tomar seu espaço privilegiado. Além disso, Paddington sobressai seu contexto infantil, mesmo que no filme fique bem claro qual é seu público alvo.

AS AVENTURAS DE PADDINGTON03

Entretanto, se mesmo um filme simpático e, de certa forma, relevante, ao explorar uma vertente estética peculiarmente funcional no cinema de Wes Anderson, que permeia o lúdico através dum olhar clínico para o emocional de suas personagens, Paddingo trás inúmeros equívocos latentes e soluções risíveis sobre tal temática. Sem muito tato para o realce emocional dos personagens que configuram o tema, e profundidade na abordagem dos mesmos, o filme opta pelos previsíveis clichês de contos-de-fábulas, principalmente pela similaridade que esse tipo de história desperta no público.

Embora Paddington tenha em sua carcaça uma consistência natural sobre um determinado legado, a opção por caricaturas ocas para expressar seu valor artístico e cultural acabam o transformando num mero e efêmero retrato tal qual inúmeros de seus predecessores, sem que exista um real interesse de transformar a simbologia de sua história num aprendizado constante sobre afeto, superação, sonhos e preconceitos.

AS AVENTURAS DE PADDINGTON02

SINOPSE

Paddington (voz de Ben Whishaw) foi criado na floresta do Peru pelos tios Pastuzo (voz de Michael Gambon) e Luzy (voz de Imelda Staunton), mas um terremoto acaba separando o trio. Diante disto, o pequeno urso é enviado pela tio para Londres, local onde mora um explorador que visitou o Peru décadas atrás. Paddington faz a viagem clandestinamente e, ao chegar, acaba indo para uma estação de trem. Lá ele conhece a família Brown, que decide ajudá-lo a encontrar o tal explorador. Só que a vida na civilização e entre humanos não é tão simples assim.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Paul King” espaco=”br”]Paul King[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Paul King
Título Original: Paddington
Gênero: Comedia
Duração: 1h 35min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: Livre

TRAILER

Comente pelo Facebook