AS RELAÇÕES CONTURBADAS ENTRE PAIS E FILHOS NO CINEMA

PAIS E FILHOS

Por Davi Gonçalves

O relacionamento entre pais e filhos nunca foi fácil. De um lado, a experiência e sabedoria adquiridas ao longo dos anos; do outro, a curiosidade e o sentimento de total capacidade da juventude. Exatamente por isso, pais e filhos podem muitas vezes ter relações bastante conflituosas.

O CCine10 listou abaixo alguns pais e filhos do cinema cuja convivência é bastante atribulada.

Carrie – A Estranha (Brian de Palma, 1976)

Carrie

O fanatismo religioso de Margaret White é responsável por boa parte dos problemas vividos por sua filha Carrie (seu isolamento, sua vida sem amigos, o desprezo de seus colegas de classe). As coisas complicam quando Carrie decide enfrentar a mãe e viver como uma adolescente comum.

Pai Patrão (Paolo Taviani e Vittorio Taviani, 1977)

Pai Patrao

Inspirado no romance autobiográfico de Gavino Ledda, o filme narra a trajetória de um garoto de seis anos que é obrigado pelo pai a abandonar os estudos para trabalhar no campo. Ao completar vinte anos, o jovem ainda analfabeto entra para o exército onde pode, finalmente, adquirir algum conhecimento. Mais tarde, de volta à sua casa, os confrontos com o pai truculento e ignorante irão recomeçar.

Beleza Americana (Sam Mendes, 1999)

Beleza Americana

No cultuado debut de Sam Mendes, o pai de família Lester Burnham sofre com a indiferença e descaso de sua filha Jane, uma típica adolescente do subúrbio norte-americano. A situação entre os dois fica ainda mais abalada quando a filha percebe que o pai está interessado em sua melhor amiga Angela.

Billy Elliot (Stephen Daldry, 2000)

Billy Elliot

O grande sonho do garoto Billy era seguir a carreira do balé – mas seu pai (um trabalhador das minas da cidade onde moravam e responsável pelo sustento da casa) era contra a ideia e obrigava o filho a treinar boxe. Entre brigas e discussões, Billy tem de enfrentar a contrariedade de seu pai para seguir o sonho de se entregar à dança.

Bicho de Sete Cabeças (Laís Bodanzky, 2001)

Bicho de Sete Cabecas

Enquanto o adolescente Neto não suporta a presença do pai, Wilson despreza todo o mundo do filho. O vazio entre os dois aumenta ainda mais quando o pai pouco instruído envia o filho para um manicômio após surpreendê-lo com maconha. Acreditando que está agindo para o bem do garoto, o pai não imagina o inferno pelo qual seu filho está passando no local.

Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas (Tim Burton, 2003)

Peixe Grande

No começo, Will até acreditava e admirava as aventuras de seu pai Ed Bloom, um verdadeiro contador de histórias. Mas conforme os anos passam e Will se torna um homem, esses contos fantasiosos já não fazem muito sentido e tudo o que Will mais deseja é saber a verdade sobre a vida do pai que está à beira da morte.

Eu Matei Minha Mãe (Xavier Dolan, 2009)

Eu Matei Minha Mae

O filme de estreia do garoto prodígio Xavier Dolan (que alem da direção é o protagonista da história) acompanha a conturbada relação entre o adolescente histérico Hubert e sua mãe – por quem o garoto nutre um profundo desprezo. Ao longo da trama, as coisas ficam piores quando a mãe descobre que o filme é homossexual.

Cisne Negro (Darren Aronofsky, 2010)

Cisne Negro

O maior problema na relação entre Erica e sua filha Nina é que a mãe, por ser uma bailarina frustrada que abandonou a carreira para cuidar da garota, projeta todo o seu sonho sobre a menina – protegendo-a e tratando-a como uma eterna criança. Pressionada, a garota não namora, quase não tem amigos e dedica sua vida quase exclusivamente à dança, exigindo de si mesma total perfeição.

Precisamos Falar Sobre o Kevin (Lynne Ramsay, 2011)

Precisamos Falar Sobre o Kevin1

Tilda Swinton e Ezra Miller brilham como protagonistas da elogiada adaptação do livro de Lionel Shriver. No filme, o filho primogênito de um casal desde cedo demonstrava uma personalidade bastante difícil – e quem mais sofria com isso era a mãe de Kevin, que tentava a todo custo se aproximar do filho e torna-lo uma pessoa melhor.

A Árvore da Vida (Terrence Malick, 2011)

A arvore da Vida

O filme do recluso Terrence Malick fala sobre a origem e os possíveis significados da vida, focando o cotidiano de uma família comum norte-americana – especialmente na influência de um pai autocrático (Brad Pitt) sobre seus filhos. O cineasta expande essa relação ao longo dos séculos, partindo do Big Bang até o final dos tempos.

BONUS: Mildred Pierce (Todd Haynes, 2011)

Mildred Pierce

O CCine10 também fala de séries – e nessa lista não podia faltar Mildred Pierce. Kate Winslet estrela a personagem título, uma mulher divorciada que em plena crise econômica dos anos 30 tem de fazer de tudo para sustentar sua filha rebelde. Quando cresce, a garota (que tem vergonha da mãe e de suas origens) se afasta aos poucos da mãe enquanto sua carreira de cantora decola – mas Mildred fará de tudo para reatar os laços com a filha que tanto ama.

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Marília

    legal essa lista, anotando aqui.