ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE (Crítica)

Igor Pinheiro

Eu sou uma pessoa com frequente pé atrás para adaptações e alguns remakes. Com o anúncio de Assassinato no Expresso do Oriente não foi diferente. A nova adaptação de um dos clássicos de Agatha Christie não me empolgou de cara, principalmente por já ter sido adaptada com muito sucesso em 1974, concorrendo a prêmios e sendo muito bem comentada até os dias de hoje. Para a minha surpresa, a nova adaptação é bastante honesta e cumpre bem seu papel, principalmente como entretenimento.

Assim como o longa dos anos 70, o novo Assassinato no Expresso do Oriente também se destaca bem pelo grandioso elenco. Penélope Cruz, Willem Dafoe, Judi Dench, Michelle Pfeiffer e outros grandes nomes conseguem segurar as quase duas horas de projeção mesmo para os que não se interessarem tanto pela trama. O carisma e a química entre o grupo de atores são essenciais para o filme e talvez esse sejam os pontos mais fortes da produção.

ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE (Crítica)

Kenneth Branagh assume o papel do famoso detetive Hercule Poirot, que tenta resolver seus casos apenas conversando com os suspeitos e investigando os cenários do crime. É claro que algumas sequências de ação se tornam inevitáveis, principalmente por se tratar de um filme tão comercial, mas nada se sobrepõe ao talento natural do engraçado personagem principal e seu bigode peculiar.

Kenneth também assume a direção e a torna outro ponto bastante interessante do longa. Com as principais cenas se passando dentro dos vagões do grandioso trem, boas técnicas são utilizadas para que as cenas não se tornem repetitivas, especialmente por serem repletas de diálogos longos. Me chamaram atenção os longos planos-sequência presentes durante todo o filme, explorando bem os cenários e personagens presentes em cada um deles.

Para quem conhece a história, o fator surpresa acaba não cumprindo seu papel de surpreender, mas Assassinato no Expresso do Oriente não deixa de divertir por conta disso, apesar de ter me deixado com a sensação de que algo ficou faltando. Provavelmente um roteiro com reviravoltas menos previsíveis e mais criatividade agradaria mais, porém não é muito possível se fugir do que é apresentado por se tratar de um filme de detetive. Como já disse, o longa cumpre seu papel de entreter e chama atenção pelo ótimo elenco e direção. Já se fala em uma franquia envolvendo outras aventuras de Poirot, não sou contra, mas questiono a possibilidade de se manter na mesma qualidade dessa primeira adaptação.

Pôster de divulgação: ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE

Pôster de divulgação: ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE

SINOPSE

O detetive Hercule Poirot (Kenneth Branagh) embarca de última hora no trem Expresso do Oriente, graças à amizade que possui com Bouc (Tom Bateman), que coordena a viagem. Já a bordo, ele conhece os demais passageiros e resiste à insistente aproximação de Edward Ratchett (Johnny Depp), que deseja contratá-lo para ser seu segurança particular. Na noite seguinte, Ratchett é morto em seu vagão. Com a viagem momentaneamente interrompida devido a uma nevasca que fez com que o trem descarrilhasse, Bouc convence Poirot para que use suas habilidades dedutivas de forma a desvendar o crime cometido.

DIREÇÃO

  • Kenneth Branagh Kenneth Branagh

  • FICHA TÉCNICA

    Roteiro: Michael Green
    Título Original: Murder on the Orient Express
    Gênero: Suspense, Policial
    Duração: 1h 54min
    Classificação etária: 14 Anos
    Lançamento: 30 de novembro de 2018 (Brasil)

    Comente pelo Facebook