BATMAN – O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE (Crítica)

BATMAN - O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE

Um digno e épico final

Quando Christopher Nolan disse em uma entrevista recente que se inspirou em O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei nessa conclusão do Batman, e que admira Peter Jackson por ter filmado a sua trilogia de uma só vez, entende-se que a intenção de Nolan também era essa, afinal se colocamos os três filmes em sequencia, parece um único filme, que infelizmente não teve todos os ingredientes em seu desfecho por força dos destino, mas nem por isso deixou de ser simplesmente PERFEITO, ou seja o melhor filme do ano até agora sem dúvida.

Nessa conclusão épica chegamos oito ano depois dos eventos ocorridos em Batman – O Cavaleiro das Trevas. Aqui o terrorista Bane (Tom Hardy) chega a Gothan City, provocando o caos e desespero na população. Depois de esgotar todas as armas da policia local, o único modo da cidade voltar a funcionar é o retorno de Batman que se encontra fora de forma e enclausurado, por ter sido responsabilizado pela morte de Harvey Dent (o duas caras). Com o aparecimento da misteriosa Selina Kyle (Anne Hathaway) Bruce Wayne (Christian Bale) cai em uma cilada e incentivado por John Blake (Joseph Gordon-Levitt) ele veste seu uniforme de justiceiro e dá de cara com um dos seus piores inimigos, Bane, e então começa a guerra, só resta saber quem vai ganhar essa luta épica.

Esse terceiro longa escrito por Bob Kane, Christopher Nolan, David S. Goyer e Jonathan Nolan é claramente algo já pensando no Begins, afinal o desenrolar da trama é todo muito bem amarrado nesse terceiro filme, eliminando qualquer brecha sobre os porque que ficaram nos dois primeiros longas-metragens. Além disso o roteiro consegue como poucos filmes utilizar todos os personagens do filme de forma muito funcional para o desfecho do filme, sem contar que o equilíbrio sobre o drama, a ação, humor estão perfeitos. A muito tempo não vejo um roteiro tão redondo.

Sim, podemos encontrar pequenas falhas nele, que é a explicação “desmedida” de algumas passagem, mas quem conhece o Nolan sabe que isso pode ter ocorrido por uma certa “pressão” externa, ele não costuma subestimar o público, alguns também podem dizer que ele foi “covarde” não finalizando o filme de forma mais ousada, ou mesmo utilizando mais fantasia e menos realismo na direção. Esses pontos para mim em nada tiram os grandes acertos do filme, que são muitos.

Sem spoilers um dos grandes acertos é a cena do ressurgimento do Batman, de levar as lágrimas, a mistura de trilha perfeita com montagem genial transforma o momento em algo único, além disso tem o terceiro ato simplesmente genial. – A muito tempo não vejo algo tão intenso e emocionante e ainda tem uma bela homenagem aos fãs mais fanático dos HQs nessa sequencia, não é a toa que foi aplaudido na sessão para jornalista que estava presente, a edificação dos acontecimentos é muito bem construída pelo roteiro, portanto é impossível ficar imune ao épico final.

E tudo isso foi possível pelo grande elenco que se encontra nesse longa. Para começar uma das que causaram mais desconfiança nos fãs Anne Hathaway, sem dúvida aqui realiza sua melhor performance no cinema, seu tom mais contido para a bela e sedutora Mulher Gato ficou incrível. Ela conseguiu muito bem construir a dubiedade de personalidade da personagem de forma eficiente (grande trabalho). Joseph Gordon-Levitt, o misterioso personagem que foi alvo de várias suspeitas durante a trama se mostra fundamental para o desenrolar da narrativa e o ator conseguiu encarar muito bem o peso dessa carga imposta no roteiro para a personagem. Christian Bale mais uma vez perfeito, sabendo dosar de forma perfeita os tons entre o playboy Wayne e o justiceiro Batman, na entonação da voz, na postura corporal e principalmente na interpretação, excelente.

BATMAN - O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE02

Outro que muitos querem saber sobre a performance é Tom Hardy que faz o temido Bane, que mesmo com a alegoria (mascara) em seu personagem – O que poderia dificultar sua atuação, o ator foi capaz de construir a personalidade do vilão de forma incrível. Tom deixa de lado a “mascara” e dentro de um jogo corporal impecável, dá forma para esse vilão, que teve um cuidado todo especial dentro do roteiro. Nada lembra a performance mediúnica de Heath Leather (Coringa) do filme anterior, simplesmente por serem personagens bem diferentes e porque o roteiro nesse filme não foi capaz de catapultar sua personalidade para status de protagonista como alguns fãs podem estar esperando. Tom Hardy dá conta do recado muito bem!

Tem muito a se falar sobre o filme ainda. A trilha sonora é incrível, composta novamente pelo gênio Hans Zimmer, segundo os preceitos dos filmes anteriores as composições ressaltam a melancolia e caos que dentro de Gothan e ainda empolga e muito nas cenas de ação. Temos ainda a edição perfeita de Lee Smith que já havia trabalhado em Batman Begins e em Cavaleiro das Trevas onde obteve uma indicação ao Oscar em 2009. E ai vai, figurinos, maquiagem, direção de arte, fotografia, tudo perfeitamente conectados com a proposta do roteiro e com a imagem que Nolan queria dar para esse desfecho. Um grande trabalho de equipe que Nolan como grande cineasta teve total domínio.

Ah vale lembrar que muitos personagens presentes nos filmes antecessores são citados ou estão presentes nessa terceira parte (ou seja grandes surpresas pela frente), principalmente os vilões que como sabendo são sempre especiais dentro do universo Batman.

E mesmo Christopher Nolan e Christian Bale já declarados fora de uma possível sequencia da franquia, Nolan deixou o terreno pronto para uma continuação, que se for bem administrada pela Warner pode render muito ainda para esse ótima franquia.

Para terminar meu texto vou citar uma frase que ouvi dentro da sala de cinema hoje. Não existe filmes perfeitos, o que faz ele ser maior ou menor diante dos seus olhos são sempre sua visão de mundo o que é mais ou menos importante. Para mim é o melhor filme do ano e um dos melhores filmes que já assisti, mesmo com pequenos defeitos que ele contem, seus acertos valem por tudo.

Portanto é um filme imperdível e que vai ficar ainda mais intenso e agradável se você puder assistir os dois primeiros antes de ir no cinema, porque como citei muitas respostas são dadas de cenas do primeiro ou do segundo longa, sem contar que isso também é extremamente agradável de se fazer. Vejam e depois digam se estou exagerando ou não. Fica a dica.

DESTAQUE

Para as empolgantes cenas de ação que mesmo com elementos fantasiosos que não agradaram alguns (que ao meu ver foi uma busca nas raízes dos quadrinhos) são capazes de tirar o fôlego em alguns momentos (Nolan sabe como poucos fazê-las).

SINOPSE

Oito anos após os eventos ocorridos em Batman – O Cavaleiro das Trevas, o terrorista Bane (Tom Hardy) retorna para Gotham City, provocando o pânico e o desespero. Sem forças para enfrentar o terrível criminoso, sedento de sangue, a polícia da cidade chega ao seu limite, fazendo com que Batman (Christian Bale) retorne de seu exílio por ter sido responsabilizado pelos crimes de Harvey Dent. A hora da vingança está chegando. Resta saber quem sairá vencedor?

Bruce Wayne terá que lidar ainda com a presença da misteriosa Selina Kyle (Anne Hathaway), que em pouco tempo se transforma na Mulher-Gato.

BATMAN - O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE01

ELENCO

[do action=”cast” descricao=”Christian Bale (Bruce Wayne / Batman)” espaco=”x”]01 Christian Bale[/do][do action=”cast” descricao=” Anne Hathaway (Mulher-Gato)” espaco=”x”]02 Anne Hathaway[/do][do action=”cast” descricao=” Tom Hardy (Bane)” espaco=”x”]03 Tom Hardy[/do][do action=”cast” descricao=” Joseph Gordon-Levitt (John Blake)” espaco=”br”]04 Joseph Gordon-Levitt[/do]

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Christopher Nolan” espaco=”br”]Christopher Nolan[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Bob Kane, Christopher Nolan, David S. Goyer, Jonathan Nolan
Título Original: The Dark Knight Rises
Gênero: Ação, Drama, Suspense
Duração: 2h 45min
Ano de lançamento: 2012

TRAILER

5estrelas

Comente pelo Facebook