BATMAN VS SUPERMAN: A ORIGEM DA JUSTIÇA (Crítica)

Emilio Faustino

Mulher Maravilha e Lex Luthor roubam a cena de Batman e Superman

Depois de muita espera e expectativa, chega finalmente aos cinemas o filme que reúne os heróis mais icônicos da DC. “Batman Vs Superman: A origem da Justiça”, é muito mais do que um encontro épico entre o homem morcego e o homem de aço, é sobre tudo a grande aposta da DC para encarar um mercado cinematográfico dominado pela Marvel.

Porém, ao invés de aprender com os acertos da Marvel, que conquistou seu público lançando um filme solo para cada super herói que mais tarde iria compor “Os Vingadores”, a DC tentou correr atrás do prejuízo lançando um filme que tem por objetivo mostrar a origem da Liga da Justiça, antes mesmo de apresentar a origem de seus personagens. Uma aposta arriscada, que na prática se revelou uma má escolha. O filme que é uma continuação de “O Homem de Aço” lançado em 2013, dirigido pelo mesmo diretor: Zack Snyder, apresenta um Batman bem diferente do que aprendemos a amar com a trilogia Nolan e uma Mulher Maravilha que aparece na história de forma muito conveniente e mal introduzida.

Tá certo que não precisa ser nenhum expert em quadrinhos para saber que a Mulher Maravilha irá lutar ao lado dos nossos heróis contra um mal maior, porém em momento algum da história se explica quais são as motivações dela para colocar sua vida em risco por duas pessoas que a priori ela nem conhece. O que acaba gerando um mal-estar que seria sumariamente evitado se tivessem feito um filme solo dela antes, que diga-se de passagem, tem tudo para ser um grande sucesso de bilheteria.

Quem esteve presente na cabine de imprensa do filme em São Paulo, pode presenciar a piada do ano. Sim, pois na ocasião pediram aos jornalistas para não revelarem spoilers da história. É uma pena que não tenham feito o mesmo pedido para os responsáveis pelos trailers do filme, uma vez que os mesmos acabaram revelando o que poderia ser uma grande surpresa e virada na trama.

A primeira parte do filme, tem um cuidado impecável com a fotografia assinada por Larry Fong (“300,” “Watchmen”), ousando nos ângulos e planos ele apresenta o que talvez seja o melhor aspecto do filme. Destaque para a cena da morte dos pais de Bruce Wayne, porque sim, eles tiveram que recontar essa história uma vez que não fizeram um filme solo com este novo Batman.

E por falar em Batman, vamos falar sobre o Ben Affleck, mais conhecido como o Demolidor que não deu certo, o astro chegou a sofrer um pesado boicote dos fãs quando foi anunciado para o papel, vocês se lembram? O plano era chegar agora aqui e dizer que a despeito de todos ele conseguiu surpreender com uma atuação maravilhosa, infelizmente não é o caso, mas também está longe de ser uma péssima atuação. Digamos que ele foi “Ok”, o Michael Keaton pode dormir em paz, pois ainda continua sendo o melhor Batman da história do cinema. Ainda no núcleo Batman, alguns pontos devem ser considerados, o primeiro deles: o famoso mordomo Alfred embora tenha falas ótimas e espirituosas que conseguem tirar boas risadas do público é nitidamente muito mais novo do que deveria ser. Ele está mais para o amigo / irmão de Bruce Wayne do que mentor / o cara que criou o Batman desde pequeno.

Outro ponto importante: se você se aprendeu a gostar do jeito Nolan (diretor da última trilogia Batman) de contar uma história, vá preparado para ver algo bemmmm diferente. A pegada mais verossímil que acabou inspirando as séries Demolidor e Jéssica Jones do Netflix, deu lugar a algo mais fantasioso. Mas convenhamos, não dá para fazer algo verossímil com um Superman que mantém a sua identidade secreta graças a um óculos de grau, não é mesmo?

Tem muita cena boa de ação, muitos efeitos especiais, tem uma trilha sonora que embala bem a história feita pelo lendário Hans Zimmer (O Rei Leão) e Junkie XL (Mad Max: Estrada da Fúria). Aliás, quando o assunto é super herói, o Hans Zimmer é o queridinho dos diretores, tendo já assinado a trilha da última trilogia Batman, do último Superman e do último Homem Aranha.

O destaque do filme ficou por conta das atuações de Gal Gadot (Velozes e Furiosos) que dá vida a Mulher Maravilha e do ator Jesse Eisenberg (A Rede Social) que faz o excêntrico Lex Luthor. Não seria nenhum exagero dizer que eles fazem o filme valer a pena, ela consegue encarnar bem a personagem guerreira, com muito mais expressões que o Batman e o Superman juntos e ele está tão eloquente quanto um coringa de “Batman O Cavaleiro das Trevas“. Em contrapartida, embora tenha um papel chave na história, falta carisma a essa Lois Lane (Amy Adams), que desde o filme anterior não convence como par romântico do homem de aço. E eu juro que não estou falando isso porque gostaria de estar no lugar dela.

O uso redundante de cenas de piração (ótimas para dar sustos) que depois se revelam sonhos dos personagens é algo que num primeiro momento é bacana, mas que depois se torna cansativo e previsível.

Resumo da obra: apesar de todas as críticas anteriores, Batman Vs Superman não chega a ser um filme ruim, apenas não foi tudo aquilo que poderia ser por conta de um roteiro mal elaborado. Aliássssssssss, a motivação para o Batman e Superman tretarem é muito, muito, muito mal desenvolvida. Não vou contar, para guardar uma das poucas surpresas que o Trailer não contou. De qualquer forma, eles brigam mesmo, tem muito soco, chute e pancadaria pra quem sempre sonhou em ver esses dois heróis se digladiando nas telonas.

Como entretenimento é uma boa opção, poderia sim ser épico, mas não foi dessa vez.

Vamos torcer para a DC nos surpreender com o tão aguardado Esquadrão Suicida que estreia dia 4 de agosto. Até lá, não custa dar um pulinho no cinema e conferir “Batman Vs Super Man: A origem da Justiça”, que estreia nesta quinta dia 24 de março.

BATMAN VS SUPERMAN A ORIGEM DA JUSTICA

SINOPSE

Preocupado com as ações de um super-herói com poderes quase divinos e sem restrições, o formidável e implacável vigilante de Gotham City enfrenta o mais adorado salvador de Metrópolis, enquanto todos se questionam sobre o tipo de herói que o mundo realmente precisa. E com Batman e Superman em guerra um com o outro, surge uma nova ameaça, colocando a humanidade sob um risco maior do que jamais conheceu.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Zack Snyder” espaco=”br”]Zack Snyder[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Chris Terrio e David S. Goyer
Título Original: Batman v Superman: Dawn Of Justice
Gênero: Ação
Duração: 2h 33min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 24 de março de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Fidel

    A CRITICA FOI BOA SÓ FALTOU UM POUCO DE EMBASAMENTO