BYE BYE JAQUELINE (Crítica)

Kadu Silva

Sem propósitos

Em geral não gosto de delimitar um filme como o pior do ano, até porque para que ele exista, precisa do envolvimento de muitas pessoas, mas Bye Bye Jaqueline consegue me fazer falar sem sombras de dúvidas que esse longa é uma das coisas mais sem propósitos de ser lançado no cinema esse ano.

Trata-se da história de Jaqueline (Poliana Oliveira), uma jovem humilde, bolsista numa escola particular, que é completamente apaixonada por Fernando (Victor Carlim), o garoto mais bonito da escola, seu principal objetivo é tentar de alguma forma atrair a atenção do garoto e ter um romance com ele. Acredite é essa a sinopse do longa. Poderia até ter um conflito de classe social, ou ser uma comedia romântica teen, mas infelizmente nada se encaixa dentro dessa ideia batida.

O roteiro do estreante Wellington Sari chega a ser ingênuo de tão mal escrito, seja pelos diálogos de extremo mau gosto, ou por não saber explorar o potencial do que tem em mãos. É evidente que Sari queria mostrar o período confuso da adolescência em que as descobertas e os desejos fazem uma confusão mental nos jovens, mas ele nunca consegue, fica somente na tentativa.

BYE BYE JAQUELINE (Crítica)

Os problemas não param por aí, TODOS no elenco são péssimos atuando, chega a dar vergonha alheia diante da tentativa de criar um personagem. Em diversos momentos parece que o incomodo de estar falando em frente da câmera é tão grande que a postura corporal é comprometida. Não podemos esquecer que o texto é muito ruim, o que piorou ainda mais a atuação de todos.

O estreante diretor Anderson Simão conduz a trama de forma bem burocrática, cheio de ideias clichês, nunca consegue encontrar um olhar criativo diante da história, nem a tentativa de criar um certo suspense para as revelações que surgem ao longa da narrativa funcionam.

Mas de todos os equívocos do filme talvez o que mais impressiona (negativamente) é como o roteiro de Sari trata a mulher, usando termos chulos que as próprias meninas mencionam uma a outra e ainda como o diretor Simão explora o corpo das mulheres transformando em objetivo sexual. Um verdadeiro retrocesso, ou uma falta de amadurecimento dos envolvidos.

Bye Bye Jaqueline é uma obra repleta de erros, que vai das ideias até a execução, uma verdadeira bomba cinematográfica!

Pôster de divulgação: BYE BYE JAQUELINE

Pôster de divulgação: BYE BYE JAQUELINE

SINOPSE

Jaqueline (Poliana Oliveira), uma jovem humilde de 16 anos, é bolsista em um colégio particular e passa seus dias dividida entre os estudos e os pensamentos em Fernando (Victor Carlim), o garoto mais bonito da escola e por quem ela está perdidamente apaixonada. O que ela não imagina é que sua melhor amiga, Amanda (Gabrielle Pizzato Santana), já namorou o rapaz e que ele próprio tem um segredo capaz de impedir qualquer chance de namoro entre os dois. Além disso Marchesi (Leonardo Oliveira), amigo de Fernando, também gosta dela e pretende fazer de tudo para conquistá-la.

DIREÇÃO

Anderson Simão

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Wellington Sari
Título Original: Bye Bye Jaqueline
Gênero: Comedia
Duração: 1h 34min
Classificação etária: 12 anos
Lançamento: 28 de dezembro de 2017 (Brasil)

VEJA TAMBÉM:

Comente pelo Facebook