CHAMADA DE EMERGÊNCIA (Crítica)

Chamada de Emergencia

Começo excelente, meio bom e final desastroso

São raros os filmes de suspense que são desenvolvidos com a ideia de manter a tensão da história do começo ao fim, pois para isso o roteiro tem que ser brilhante e muito criativo. Chamada de Emergência nos seus primeiros minutos nos da a sensação que estamos diante de algo assim, mas do meio para o fim, o filme se perde completamente em suas intenções.

A trama é bem interessante, nela conhecemos Jordan Turner (Halle Berry) uma operadora de chamadas de emergência que após um trama em uma de suas ligações, acaba sendo forçada sem querer a voltar a ativa, se não bastasse isso mais tarde descobre que o atual caso tem semelhanças com o que a faz sofrer o trama.

O roteiro no inicio consegue de forma brilhante apresentar o quando complicado e as vezes traumático é o serviço de atendimento de emergência. Em consegue encontrar bons caminhos para apresentar o conflito principal, sem brechas ou falhas, apenas alguns exageros, mas não pesa no todo, o problema se da no final, quando toda a coerência possível é esquecida e a direção de Brad Anderson perde totalmente a mão.

Anderson apesar disso, se mostra muito eficiente na construção do clima de suspense, o uso da câmera agitada e da edição frenética contribui muito para esse resultado, mas tudo que mostrou de interessante se perde com as escolhas no final do longa-metragem.

Halle Berry consegue segurar de forma sensacional todo o filme que praticamente é 100% dela. Existe algumas pequenas subtramas, como a de seu namorado Phillips (Morris Chestnut), mas nada é muito aprofundado. Sua melhor relação se da com Casey (Abigail Breslin) é uma química perfeita das duas em cena.

Chamada de Emergencia01

É pessoal, nossa eterna Miss Sunshine, Abigail Breslin, consegue despertar no publico o desejo de compaixão que pede a personagem – nossa garotinha cresceu e ainda bem, não deixou o talento lá atrás, como outros amigos que começaram cedo na profissão.

Ainda no elenco destaca-se o vilão Michael (Michael Eklund), apesar de caricato e em muitos momentos exagerado na atuação, Eklund, consegue ser aterrorizante com seu comportamento psicopata, principalmente porque o roteiro consegue desenvolver um vilão bem frio e maluco, principalmente em seus propósitos, que vamos conhecendo no decorrer da narrativa.

Outro ponto interessante é a trilha sonora, que serve como motor para deixar ainda mais angustiante a narrativa que se segue.

Chamada de Emergência infelizmente perdeu a chance de apresentar o que seria um dos melhores longas de suspense dos últimos anos por querer talvez, usar do feminismo patriota americano num trama onde não cabia tal intenção, realmente uma pena!

DESTAQUE

Apesar de já citada vale menção a excelente edição que consegue manter sempre o clima de suspense durante a projeção. Frenética, mas no tom certo!

SINOPSE

Jordan (Halle Berry) é atendente do sistema de emergência da polícia americana. Determinado dia, atende uma ligação de uma jovem assustada com o fato de que existe um homem tentando invadir sua casa. O caso acaba com o pior final possível e Jordan fica traumatizada. Anos mais tarde, ela se vê diante do mesmo criminoso, que agora ameaça outra garota, Casey (Abigail Breslin).

Chamada de Emergencia02

ELENCO

[do action=”cast” descricao=”Halle Berry (Jordan Turner)” espaco=”x”]Halle Berry[/do][do action=”cast” descricao=”Abigail Breslin (Casey Welson)” espaco=”x”]Abigail Breslin[/do][do action=”cast” descricao=”Michael Eklund (Michael Foster)” espaco=”x”]Michael Eklund[/do][do action=”cast” descricao=”Morris Chestnut (Officer Phillips)” espaco=”br”]Morris Chestnut[/do]

DIRETOR

[do action=”cast” descricao=”Brad Anderson” espaco=”br”]Brad Anderson[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Jon Bokenkamp, Nicole D’Ovidio, Richard D’Ovidio
Título Original: The Call
Gênero: Suspense
Duração: 1h 34min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 16 Anos

TRAILER

3emeio

Comente pelo Facebook