ENTRE NÓS (Crítica) Mostra SP

Entre Nos

4estrelas

Por Pedro Vieira

ENTRE NOS01

Provavelmente o maior mérito de “Entre Nós” está no fato do diretor Paulo Morelli e seu filho Pedro Morelli (que atuou como co-diretor), terem conseguido estruturar bem uma trama com dois momentos da vida comum de uma pessoa: um primeiro que envolve o desenvolvimento da maturidade e as escolhas para o futuro, e outro que se situa nas consequências trazidas por essas escolhas.

Sem se tornar ingênuo ou forçado, Morelli mostra a vida de um grupo de amigos que escreve cartas para eles mesmos, tendo em vista abri-las somente dez anos depois. Porém, no mesmo dia um acidente acontece e coloca a amizade deles em risco.

Embora uma parcela do filme foque em Felipe (Caio Blat), que acaba por manter uma relação conflitante com Lucia (Carolina Dieckmann) e Silvana (Maria Ribeiro), o longa dá espaço para todos os envolvidos, cada um com um problema pessoal: temos a mulher frustrada por não ter um filho, o cara que não se deu bem em nada que fez na vida, entre outros, com todas essas tramas paralelas ligadas uma a uma. Isso acaba fortalecendo a ideia de “ação e consequência” que permeia todo o filme. Tudo o que alguém faz acaba interferindo de alguma forma na vida do outro.

Há um belo trabalho feito com a fotografia, com uma câmera livre – muitas vezes se é utilizado da câmera na mão – que fluí pelo cenário e favorece a imersão do espectador no filme. Os planos, alguns poucos usuais e que vão desde manter os atores em uma sincronia diante da tela, até em sobrepor camadas com objetos que interferem rapidamente na visão do espectador, elucidam a subjetividade dos indivíduos. Há pouca diferenciação na iluminação do dia e da noite, deixando todos os elementos bem nítidos e favorecendo as atuações. Esse último detalhe é um dos pontos fortes do filme. O elenco bem escolhido mantém uma ótima interação entre si, trazendo maior credibilidade aos seus personagens.

ENTRE NOS02

Essa boa relação se deve, talvez, ao tempo em que os atores passaram juntos. Foram quatro semanas de filmagem (sem contar o tempo de ensaio) no mesmo local: uma casa de campo isolada do mundo. A escolha de um só lugar para situar o filme inteiro também faz com que ele se torne uma espécie de personagem onipresente no filme. Assim como os amigos da história vão se desenvolvendo durante a projeção, o mesmo acontece com a casa de campo e tudo ao seu redor. No começo ela se mostra como um local de felicidade e descontração, enquanto no final a mesma se transforma em uma lembrança da tristeza e de como as ações erradas influenciam o futuro.

Mesmo que esteja longe de ser um filme leve, há cenas que quebram a tensão da história a fazem o público rir um pouco – pode não ser intencional, pois tais sequências chegam a ser angustiantes quando observadas pelo ponto de vista dos personagens, mas isso acontece.

Não há exatamente uma conclusão em “Entre Nós”. O conflito principal se resolve, mas assim como uma metáfora da vida que o filme se mostra, os problemas ainda continuam.

Com estreia marcada para março de 2014, “Entre Nós” está em exibição na 37ª Mostra Internacional de São Paulo.

ENTRE NOS03

SINOPSE

Sete jovens amigos escritores viajam para uma casa de campo para celebrar a publicação do primeiro livro do grupo. Lá, eles escrevem cartas para serem abertas dez anos depois. A viagem acaba em uma tragédia após a morte de um dos amigos. Mesmo assim, eles se reúnem dez anos depois para lerem as cartas.

DIREÇÃO

Paulo Morelli e Pedro Morelli

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Paulo Morelli e Pedro Morelli
Título Original: Entre Nós
Gênero: Drama
Duração: 1h 40min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 14 anos

TRAILER

ENTREVISTA COM DIRETOR E ELENCO E ALGUMAS CENAS EXCLUSIVAS DO FILME

Comente pelo Facebook