ESTA É A SUA MORTE – O SHOW (Crítica)

Pedro Vieira

A princípio, “Esta é a Sua Morte – O Show” parece ser mais um filme trash barato, afinal, trata-se de um longa de baixo orçamento, estrelado por um elenco pouco conhecido e cuja a premissa envolve uma dezena de mortes. E de fato o filme tem seu lado trash no modo como espetaculariza a morte. Entretanto, esta é também uma obra de maior reflexão e cujo os pontos altos compensam seus deslizes.

A trama gira em torno de Adam Rogers (Josh Duhamel) um apresentador de reality shows que acaba tendo a carreira marcada após um assassinato e um suicídio ocorrerem ao vivo em um de seus programas. Abalado, ele tenta deixar a vida na televisão de lado, mas acaba recebendo uma proposta para apresentar um novo programa em que as pessoas são convidadas a se matarem em frente às câmeras. Relutante, ele acaba aceitando apresentar o reality uma vez que acredita poder com isso passar uma mensagem sobre a importância da vida.

O modo como Rogers facilmente muda de opinião em relação ao programa é um tanto quanto repentino – e mesmo o motivo utilizado para justificar essa mudança é fraco. Mas é interessante ver como a moral do personagem acaba decaindo. Inicialmente preocupado com a vida e em ajudar a irmã enfermeira, Rogers logo se torna obcecado em tentar tornar o programa de mortes um sucesso.

ESTA É A SUA MORTE – O SHOW (Crítica)

Os personagens mais interessantes, porém, são os de Mason (Giancarlo Esposito), um antigo faxineiro da rede de televisão na qual trabalha Rogers, e de Karina (Sarah Wayne Callies), a irmã do protagonista. Assim como Adam Rogers, Mason passa por uma espécie de queda moral, mas seu desenvolvimento é muito mais palpável e suas motivações mais sólidas. Já Karina vai além de uma simples muleta para o protagonista e ganha delimitações próprias, se tornando uma personagem cativante e com uma das histórias de vida mais interessantes do longa.

É admirável o modo como o roteiro consegue dar tridimensionalidade para seus personagens, tornando-os mais humanos. Mesmo a gananciosa executiva de televisão Ilana (Famke Janssen) possui seus momentos de vulnerabilidade e em pontos cruciais revela suas fragilidades. Não há bem ou mal, mas apenas pessoas que estão vendo outras pessoas morrerem na sua frente – e que podem ou não aceitar isso com facilidade.

A grande questão do filme é o debate sobre a vida e a morte. Mesmo espetacularizando a morte de forma a quase flertar com o gore, “Esta é a Sua Morte – O Show” traz reflexões sobre a importância da vida e o como o ser humano muitas vezes não se importa com a vida alheia – nós apenas queremos é ver um pouco de sangue e violência barata na televisão. Pode parecer que em certo ponto o filme vai se aprofundar em uma discussão sobre suicídio, mas isso nunca acontece – e esse nem é o foco do longa.

A produção tem a vantagem da boa performance de seu elenco. Esposito consegue dar densidade a um Mason insatisfeito com sua vida, enquanto Janssen se sente à vontade com o sarcasmo de Ilana. Até mesmo o limitado Duhamel consegue transpassar as emoções múltiplas de Rogers para a tela. Callies, por sua vez, surpreende com a forma delicada com que constrói Karina.

“Esta é a Sua Morte – O Show” é um filme que não tem o mesmo cuidado que outras produções em criar uma atmosfera angustiante para sua narrativa, mas essa atmosfera acaba se formando pelo modo como a história é conduzida a partir de boas escolhas de roteiro e direção de atores. Ao final, a mensagem do longa pode soar um pouco rasa, mas se olharmos para todo o contexto em que ela ocorre, ela se mostra bastante importante.

Pôster de divulgação: ESTA É A SUA MORTE – O SHOW

Pôster de divulgação: ESTA É A SUA MORTE – O SHOW

SINOPSE

Adam Rogers (Josh Duhamel) é um apresentador de TV que tem um novo e ousado programa, onde as pessoas são pagas para se matarem ao vivo. Tal iniciativa macabra gera muitos protestos mas também faz bastante sucesso, graças ao fascínio do público em acompanhar a degradação de outras pessoas.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Giancarlo Esposito” espaco=”br”]Giancarlo Esposito[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Noah Pink, Kenny Yakkel
Título Original: The Show
Gênero: Drama
Duração: 1h 44min
Classificação etária: 18 Anos
Lançamento: 21 de setembro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook