ESTIVE EM LISBOA E LEMBREI DE VOCÊ (Crítica)

Elisabete Alexandre

Lembro de ter assisti ao trailer de Estive em Lisboa e lembrei de você e em seguida pensado: “trailers são peças publicitárias sensacionais! Nos fazem querer ver um filme ruim que parece bom, graças a um vídeo muito bem montado, e não querer ver um filme bom que parece ruim pela infelicidade do montador em fazer um péssimo trailer. Acho que a segunda opção encaixa-se nesse caso, talvez o filme seja bom, mesmo o trailer fazendo parecer o contrário.”. Ah, como eu queria ter estado certa!

Estive em Lisboa e lembrei de você é uma coprodução Brasil/Portugal escrita e dirigida pelo português José Barahona e baseada na obra homônima do brasileiro Luiz Ruffato. Ruffato é um escritor consideravelmente conhecido e ganhador de vários prêmios, não entrarei na questão da adaptação do seu livro para o cinema, uma vez que não li a obra, sendo assim, não tenho qualquer autoridade para julgar. Todavia, desejo, do fundo do coração, que a mesma não tenha sido nada fiel e vou explicar os motivos.

No filme, Sérgio (Paulo Azevedo) é um morador da cidade de Cataguases/MG que após consecutivos acontecimentos infelizes em sua vida, e por influência de terceiros, decide ir para Lisboa em busca de oportunidades melhores de trabalho e, por consequência, melhoria na sua condição financeira, assim sendo possível enviar dinheiro à sua família no Brasil. A premissa, mesmo que clichê, pode ser desenvolvida de forma inovadora e ser extremamente convidativa e interessante para quem assiste, então você espera que algo do tipo aconteça em Estive em Lisboa…, espera, espera, e nada.

Abusando dos estereótipos, os personagens são rasos e previsíveis, assim como suas decisões e atitudes, que parecem terem sido escritas por um amador. Não há identificação com o personagem principal, Sérgio, não compreendemos muitas vezes suas ações. Noemi (Amanda Fontoura), esposa de Sérgio, é o modelo feminino dentro do machismo cinematográfico, mulher louca, depressiva, perturbada, porém sensualmente explorada, sem justificativa, na tela. Os diálogos também são bastante ruins, mas aí os próprios atores também não ajudam, é verdade. Digamos que o filme é divido em duas partes, na primeira a vida de Sérgio no Brasil, onde vive, casa, tem filho e separa, tudo assim, “jogado” em quem assiste. Na segunda parte, é Sérgio já em Lisboa, lá o ritmo muda, não sei se pela falta de interesse com o filme, consequência da primeira parte, mas ele não melhora, e até a montagem torna-se mais um clichê.

Em resumo, vamos ao cinema em busca do desconhecido, ou de um novo olhar sobre o famigerado, Estive em Lisboa… não traz nenhum dos dois, infelizmente.

ESTIVE EM LISBOA E LEMBREI DE VOCE

SINOPSE

Sérgio de Souza Sampaio (Paulo Azevedo) mora em Minas Gerais e trabalha na Companhia Industrial de Cataguases. Levando uma vida modesta, ele decide emigrar para Lisboa, em Portugal.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”José Barahona” espaco=”br”]Jose Barahona[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: José Barahona
Título Original: Estive em Lisboa e lembrei de você
Gênero: Drama
Duração: 1h 34min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 16 Anos
Lançamento: 23 de junho (Brasil)

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. marin

    ACHei o filme FANTÁSTICO… REALISTA.
    aS FALAS SIMPLES E NORMAIS AO NÍVEL NÃO-VISTO EM CINEMA… O SOTAQUE, AS CONVERSAS DE GENTE SIMPLES, A INGENUIDADE REAL DE PESSOAS REAIS… NÃO SIMPLICIDADE GLOBAL… SIMPLICIDADE REAL.
    rECOMENDO MUUUUITO ASSITIR AO FILME.
    É QUASE UM DOCUMENTÁRIO… COISAS REAIS, CONQUISTA REAIS (TROCAR DE MOTO, CASAR, PARAR DE FUMAR…)… SIMPLESMENTE LINDO.
    A CIDADEZINHA DE EM MG É SIMPLESMENTE APAIXONANTE… COM CERTEZA VOU PRA LÁ UM DIA… SÓ PRA VER O TREM PASSAR NO CENTRO DA CIDADE ENTRE AS ARVORES E RUAS… OUVIR AQUELE SOTAQUE.
    cONSELHOS DA MÃE, BEBEDEIRA COM AMIGOS NO BAR, ETC… UM SHOW DE REALISMO.
    HÁ PEQUENOS PECADOS OU EXAGEROS NO FILME… MAS SERIA MAIS PRA ADAPTAR O FILME TALVEZ…
    SIMPLESMENTE BACANA… FILME MUITO BOM… NOMES, MARCAS, VALORES, LUGARES… TUDO ABSOLUTAMENTE REAL.
    CURTAM.

    aSSISTI ESTE FILME LOGO APÓS ASSISTIR AO QUASE GLOBAL “De Onde Eu Te Vejo”… QUE É EXATAMENTE O CONTRÁRIO… TUDO ARTIFICIAL, FALSO, FRASES DE GENTE ABSTRATA E FORA DA REALIDADE… OU SEJA, FOI UM IMPACTO MAIOR AINDA ASSISTIR AOS 2 EM SEQUENCIA… O FILME “ESTIVE EM LISBOA E LEMBREI DE VOCÊ” PASSOU COMO UM TRATOR REALISTA SOBRE O OUTRO FILME… FEZ O FILME ANTERIOR PARECER UM TRECHO DE NOVELA GLOBAL… IMPRESSIONANTE A DIFERENÇA.