FAROESTE CABOCLO (Crítica)

FAROESTE CABOCLO

Fraco, mas consegue retratar a essência da canção

Vou falar para vocês, o filme nacional que eu mais botava fé esse ano, era exatamente Faroeste Caboclo, primeiro porque já tinha um roteiro pré definido e segundo porque o pouco que saiu de imagem e vídeo, dava a esperança que viria algo bem interessante por ai, mas infelizmente o que vi é um filme fraco, cheio de falhas, mas que pelo menos consegue mostrar a essência da canção de Renato Russo durante a projeção.

Antes que os fãs queiram me matar, quem não conhece muito de técnica cinematográfica, possivelmente vai achar o filme maravilhoso, já que a produção do filme é realmente muito bem feita, mas basta um olhar um pouquinho mais aprofundado que começamos a ver coisas que atrapalharam para que o filme fosse uma obra de arte inesquecível.

Para quem não sabe, que eu acho bem difícil, o filme retrata a vida de João de Santo Cristo um cara negro, analfabeto, que em função de melhores oportunidades na vida, se tornou um bandido. Mas quis o destino que ele conhecesse uma menina linda Maria Lúcia e ai João tentou mudar de vida, mas Jeremias um playboy da cidade que sempre foi apaixonado por Maria Lúcia, por ciúmes e por não aceitar que João tomasse seu ponto de venda de drogas, tenta eliminar João, mas Maria Lúcia faz um acordo para que João ficasse bem. Tudo corria como o previsto, mas para João não, tanto que ele era só ódio por dentro e ai… você já sabe o final né?

FAROESTE CABOCLO01

Então vamos lá, vou tentar explicar o porque de minha frustração, eis alguns pontos:

O roteiro desenvolvido por José Carvalho e Paulo Lins, não é ruim, mas tem graves falhas. Ele conseguiu transformar a canção em uma história crível, atual, frente aquela epopeia toda que o Renato Russo cantava, é um mérito muito grande. Colocar João e Jeremias como rivais do trafico foi uma escolha fantástica, tudo bem que isso já era dito na música, mas a forma como isso é mostrado, coloca a trama com contornos reais.

Até o romance entre João e Maria Lúcia é bem construído, mesmo sendo clichê dentro do cinema nacional, é sendo a reproduzindo mais uma vez da famosa história de Shakespeare, ele consegue agradar, já que Fabrício Boliveira e Isis Valverde conseguem uma química perfeita para o casal e assim o público compra o romance e torce por eles até o último minuto.

Só que o roteiro não consegue criar os personagens principais de forma clara, a ponto de suas ações terem sentido no desenrolar da trama, obvio que em função do conhecimento prévio da canção você acaba compreendendo, mas na tela, você não consegue ver o João de Santo Cristo bem delimitado, muito menos Maria Lúcia e pior ainda o Jeremias. Tudo é explicado de forma muito superficial, o que atrapalha no envolvimento maior com a trama.

Alguns também podem reclamar que algumas passagens da canção não estão na trama, nesse caso já achei uma boa escolha, já que o que importava no filme era mostrar a essência e não criar um clip estendido da canção.

Outro problema é a inexperiência de René Sampaio na direção, ele não consegue uma linguagem definida para o filme, e acaba tornando o filme ora clichê, ora “novelístico” e ora uma copia de clássicos de Tarantino, só que não é original inventivo como era de se esperar, principalmente com o material rico que ele tinha em mão.

FAROESTE CABOCLO02

Mas não dá para crucificar René, ele consegue ótimas passagens, principalmente na cena final, o que ele produz é magnífico, pegou influencia de Tarantino e de faroestes e conseguiu produzir um final digno e épico para o filme, é uma pena que só ai de fato vemos algo realmente relevante nesse produção tão aguardada.

Ah vale mencionar que o elenco está ok, não chama atenção por uma atuação grandiosa e nem por algo medíocre, infelizmente o roteiro prejudica que eles mostrem algo a mais para a plateia, mas Fabrício Boliveira o ator que interpreta João de Santo Cristo, com um bom personagem e um diretor mais rodado pode tirar uma atuação memorável desse ator, é bom olhar para ele com carinho.

Mas como cinema é algo intimo e pessoal e principalmente interpretativo, acho que todos deveriam assistir e tirar suas próprias conclusões, quem sabe você não consegue fazer uma leitura melhor do longa-metragem, se conseguir deixe aqui nos comentários, quero saber o que achou.

DESTAQUE

Para a escolha de Brasília como pano de fundo (cenário) para a trama, obvio que também era algo que já estava na canção, mas manter isso, conseguiu dar para narrativa algo mais amplo, o que possibilita leituras mais diversas para o filme.

FAROESTE CABOCLO03

SINOPSE

João (Fabrício Boliveira) deixa Santo Cristo em busca de uma vida melhor em Brasília. Ele quer deixar o passado repleto de tragédias para trás. Lá, conta com o apoio do primo e traficante Pablo (César Troncoso), com quem passa a trabalhar. Já conhecido como João de Santo Cristo, o jovem se envolve com o tráfico de drogas, ao mesmo tempo em que mantém um empregro como carpinteiro. Em meio a tudo isso, conhece a bela e inquieta Maria Lúcia (Ísis Valverde), filha de um senador (Marcos Paulo), por quem se apaixona loucamente. Os dois começam uma relação marcada pela paixão e pelo romance, mas logo se verá em meio a uma guerra com o playboy e traficante Jeremias (Felipe Abib), que coloca tudo a perder.

ELENCO

[do action=”cast” descricao=”Fabrício Boliveira (João do Santo Cristo)” espaco=”x”]Fabricio Boliveira[/do][do action=”cast” descricao=”Ísis Valverde (Maria Lúcia)” espaco=”x”]isis Valverde[/do][do action=”cast” descricao=”Felipe Abib (Jeremias)” espaco=”x”]Felipe Abib[/do][do action=”cast” descricao=”César Troncoso (Pablo)” espaco=”br”]Cesar Troncoso[/do]

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”René Sampaio” espaco=”br”]Rene Sampaio[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: José Carvalho, Paulo Lins
Título Original: Faroeste Caboclo
Gênero: Drama
Duração: 1h 40min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 16 Anos

TRAILER

3emeio

Comente pelo Facebook