FESTA NO CÉU (Crítica)

FESTA NO CEU

4emeio

Por Pedro Vieira

FESTA NO CEU01

Jorge R. Gutierrez já pode ser considerado um veterano na área de animação, pelo menos na televisão. Entre seus vários trabalhos, ele é mais conhecido por ser um dos criadores da série de animação “El Tigre: as aventuras de Manny Rivera”. No desenho, é possível ver características marcantes como as cores vibrantes e o design dos personagens, algo que Gutierrez não deixa de trazer para o seu primeiro trabalho como diretor de longa-metragem: “Festa no Céu” (The Book of Life).

Produzido por Guillermo del Toro e pelo estúdio Reel FX, que lança seu segundo longa de animação para cinema (o estúdio chegou a produzir diversos trabalhos para home vídeo), o roteiro do próprio Gutierrez trabalha em cima das tradições mexicanas em uma história com toques de “Romeu e Julieta”.

Na cidade de San Angel vivem Manolo e Joaquin, dois melhores amigos de infância apaixonados pela mesma garota: a rebelde Maria. No “Dia dos Mortos”, La Muerte e Xibalba, duas entidades espirituais que governam dois reinos espirituais distintos, vão até a cidade e observam o triângulo amoroso. Eles então resolvem fazer uma aposta: La Muerte acredita que Manolo se casará com Maria, enquanto Xibalba confia em Joaquin. Para vencer a aposta, Xibalba trapaceia, ação que acaba trazendo consequências terríveis para a vida de Manolo e seus entes queridos.

Há uma grande coragem aqui em tratar de um tema que tanto assusta crianças (e até mesmo adultos): a morte. Enquanto ela é muitas vezes vista como o fim de tudo, sem possibilidade de retorno, o filme mostra que a ausência de um ente querido e a passagem da vida do mesmo não é o fim. Muito pelo contrário, essa etapa faz parte de um novo começo, algo que acontece até mesmo na animação: quando um dos protagonistas morre, uma nova etapa da história começa. Só é uma pena que isso demore muito para acontecer, pois é justamente nesse momento que a narrativa deixa de ser um romance batido, ainda que divertido, para virar uma aventura empolgante.

FESTA NO CEU02

Corajosa também é a composição dos personagens que assumem a forma de bonequinhos de madeira, com alguns deles se desmontam em algumas partes do filme. Desse modo a animação ganha uma característica própria e se diferencia das demais produções do gênero. É verdade que toda parte da direção de arte é um primor, com destaque para a sequência no Reino dos Lembrados (local governado por La Muerte, aonde vão os espíritos que são lembrados por seus entendes queridos ainda vivos). A versatilidade de cores que o filme apresenta neste reino e a forma como elas se conjugam, traduzindo para o cinema o “estilo mexicano” sem ficar exacerbado, é um deleite para os olhos. Pequenas sequências de animação bem elaboradas (e que até lembram os trabalhos de Gutierrez na televisão) são um charme à parte. A trilha sonora, que desempenha papel chave na narrativa, também reflete bem o clima do filme, com o único problema sendo o fato de que algumas músicas ficaram estranhas em português.

Acertando na temática e no visual, é uma pena que o filme não se saia bem em outros quesitos. A montagem das sequências, por exemplo, falha em alguns momentos chaves, com cenas se ligando a outras, mas quebrando o clima da sequência anterior. Algumas piadas mais fracas também fazem isso, desalinhando ainda mais o filme.

Uma necessidade do filme parece ser a de se tornar altamente explicativo, com várias informações sendo repetidas inúmeras vezes para o expectador. É algo demasiadamente desnecessário, pois o público, mesmo o infantil, já pegou a informação, geralmente na primeira passagem em que ela é dita.

Ainda com suas falhas, “Festa no Céu” não deixa de ser um filme divertido e uma boa opção, principalmente para a família. Crianças se animarão com as belas cores e os personagens, e com certeza aprenderão importantes lições de aceitação da morte e de perseverança em relação ao amor. Gutierrez pode ficar orgulhoso de seu primeiro trabalho como diretor cinema, e aprendendo com os erros, seu próximo longa pode ser uma verdadeiro obra-prima da animação.

FESTA NO CEU04

SINOPSE

“Festa no Céu” conta a jornada de Manolo, um jovem que está dividido entre seguir o que sua família espera dele, e ouvir seu coração. Antes de escolher que caminho seguir, ele embarca em uma incrível aventura que acontece entre três mundos fantásticos, em que Manolo deve enfrentar seus maiores medos. Colorido e embalado por grandes nomes da música pop, Festa no Céu nos encoraja a celebrar o passado enquanto aguardamos o futuro.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Jorge R. Gutierrez” espaco=”br”]Jorge R Gutierrez[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Jorge R. Gutierrez
Título Original: The Book of Life
Gênero: Aventura
Duração: 1h 35min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: Livre

TRAILER

Comente pelo Facebook

1 Comentário