FROZEN – FEBRE CONGELANTE (Crítica) – Curta-Metragem

FROZEN  FEBRE CONGELANTE

3estrelas

Por Pedro Vieira

FROZEN  FEBRE CONGELANTE01

Quando lançou “Frozen – Uma Aventura Congelante” no fim de 2013, a Disney talvez não tivesse noção do impacto que o filme, a heroína Elsa e a música “Let It Go” iriam ter na cultura pop. O filme se tornou a maior bilheteria de uma animação (sem ajuste da inflação) de todos os tempos, e com isso a Disney não tardou em anunciar este ano uma continuação para a história. Mas antes de qualquer “Frozen 2”, já havia sido divulgada a produção do curta-metragem “Frozen – Febre Congelante” (Frozen Fever).

A estratégia aqui é a mesma utilizada com “Enrolados”, que ganhou um curta intitulado “Enrolados Para Sempre”: produzir uma pequena sequência para o longa de alto sucesso, a fim de exibi-la no cinema antes de um dos grandes lançamentos da produtora, garantindo que o público não se esqueça de seus personagens e atraindo novos possíveis “fãs”. Assim, as apostas para essa pequena história estão naqueles pontos que mais agradaram o público do longa-metragem.

A trama se desenrola no aniversário da princesa Anna, enquanto a rainha Elsa tenta garantir que sua irmã tenha um dia perfeito – ela só não esperava ficar doente no dia da comemoração. Todos os principais personagens de “Frozen” retornam no curta, sendo bem utilizados e com suas personalidades intactas, o que é realmente divertido para adoradores desta franquia.

FROZEN  FEBRE CONGELANTE02

O tom de naturalidade que o público pode perceber nestes personagens, similar ao que foi visto no original, se deve muito a volta de Chris Buck e Jennifer Lee no cargo de diretores do curta. A dupla já está habituada àquele universo e sabe bem o que cada personagem deve fazer e quando deve fazer. Com isso, eles podem explorar de forma mais fácil a tom de comédia que eles dão para o curta e arrancar algumas gargalhadas do público.

Mas nem só de velhas faces vive “Frozen – Febre Congelante”. A grande atração do curta são os “snowgies”, pequenos e fofos bonequinhos de gelo que surgem na história para atrapalhar a festa das protagonistas.

Do mesmo modo que o longa é um musical, este curta também possui música, o que deve desagradar aqueles que reclamaram do excesso de cenas cantadas de “Frozen”. Na verdade, o curta é quase que completamente uma cena musical. A não ser pelo início e o final, o curta todo se passa durante a performance da canção “Making Today a Perfect Day”, o que chega a ser um problema. A canção não é lá a mais cativante, ainda que engraçada, e a cara de videoclipe que o curta ganha faz com que ele possua muitos cortes rápidos e muita informação sendo jogada na tela ao mesmo tempo. Não há assim um tempo para o espectador, para ele parar e pensar em uma piada que acabou de ser mostrada: ele tem é que estar preparado para rir a cada segundo de algo novo.

O curta também não apresenta lá grandes novidades (além dos snowgies), volta a se focar na relação das duas irmãs, de forma que todos já sabem como tudo vai acabar, e não trás nenhuma grande mensagem – o que é bem aceitável, pois se trata de um produto feito de forma despretensiosa e para divertir rapidamente. Assim “Frozen – Febre Congelante” é um bom curta-metragem para aqueles que gostam de “Frozen”, sem grandes mudanças ou algo que vai tocar o espectador, mas ainda assim uma produção divertida e alegre.

FROZEN  FEBRE CONGELANTE03

SINOPSE

É aniversário de Anna. Elsa e Kristoff trabalham na preparação da maior festa de todos os tempos, mas a ansiedade da Rainha descontrola seus gelados poderes e coloca a celebração e todo o reinado em risco.

DIREÇÃO

Chris Buck, Jennifer Lee

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Chris Buck, Jennifer Lee
Título Original: Frozen Fever
Gênero: Animação, Comédia
Duração: 7min
Ano de lançamento: 2015
Classificação etária: Livre

TRAILER

Comente pelo Facebook