Halloween (Crítica)

Kadu Silva

Uma boa homenagem

Em 1978 o diretor John Carpenter lançou um dos seus maiores sucessos, Halloween – A Noite do Terror, um filme cheio de ideias inovadoras e ousadas para a época e que fizeram muitas pessoas “morrem” de medo com o icônico Michael Myers. Nos anos seguintes foram lançados nove longas-metragens derivados do original, mas nenhum considerado uma verdadeira continuação para seu criador, agora em 2018, quarenta anos depois é lançado o que os produtores, incluindo Carpenter estão divulgando como a sequência da obra de 78, “Halloween”.

No filme a sobrevivente do último ataque de Michael Myers, Laurie Strode (Jamie Lee Curtis), terá que confrontar novamente o assassino, quando ele consegue escapar durante uma transferência de sua unidade de saúde mental.

O roteiro claramente faz uma homenagem ao primeiro filme, inclusive recriando cenas idênticas a obra original, no entanto ele apresenta alguns problemas, primeiro ele faz uso em excesso dos clichês do gênero, que se fosse somente isso não comprometia o resultado do filme, as pontas deixadas abertas no primeiro filme, infelizmente não são sanadas e talvez o mais “perigoso”, ele ousa em ampliar o universo numa escolha que pode deixar os fãs mais hardcore furiosos.

Halloween (Crítica)

O diretor David Gordon Green (O Que te Faz Mais Forte) consegue criar um ótimo clima de tensão principalmente no terceiro ato do filme, mas diversas cenas acontecem apenas para criar sustos. A história verdadeiramente assustadora que poderia ser extraída do rico personagem não é explorada como se espera.

Mas para os nostálgicos que tem o final dos anos 70 e 80 como referencia para filmes de terror, todos os elementos estão presentes, das cenas picantes entre jovens, esses mesmos jovens burros diante do perigo e assim por diante.

Algo interessante e que merece menção é um empoderamento feminino na história, a personagem de Jamie Lee Curtis (Tudo em Família), mostra que mesmo diante do perigo ela não se ausenta de enfrentar o medo e lutar pelos seus, sua Laurie se torna uma verdadeira heroína na trama.

Halloween é um bom filme, mas poderia ser mais assustador se o personagem central fosse melhor explorado.

Pôster de divulgação: Halloween

Pôster de divulgação: Halloween

SINOPSE

Quatro década depois de ter escapado do ataque de Michael Myers em uma noite de Halloween, Laurie Strode (Jamie Lee Curtis) terá que confrontar o assassino mascarado pela última vez. Ela foi perseguida pela memória de ter sua vida por um triz, mas dessa vez, quando Myers retorna para a cidade de Haddonfield, ela está preparada.

DIREÇÃO

David Gordon Green David Gordon Green

FICHA TÉCNICA

Roteiro: David Gordon Green, Danny McBride
Título Original: Halloween
Gênero: Terror, Suspense
Duração: 1h 49min
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 25 de outubro de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook