Histórias que nosso Cinema (não) contava (Crítica)

Kadu Silva

Um olhar histórico sobre a Pornochanchada

Um dos movimentos cinematográficos brasileiro mais famoso de nossa história é sem dúvida, o da Pornochanchada, já que o apelo sexual que a maioria das obras traziam tornam as produções sucesso na época. O curioso é que nesse período o país passava pelo momento “negro” da ditadura militar e mesmo com toda a censura presente, os filmes conseguiam encher as salas de cinema ainda que retalhados pela censura.

A Pornochanchada era sucesso apenas entre o público, já que os críticos classificavam as produções como grosseiras, apelativas e vulgares, mas a cineasta e artista visual Fernanda Pessoa em uma pesquisa profunda dessas produções encontrou um retratado fiel do cenário sócio econômico da época e resolveu assim montar um documentário que revelasse esses detalhes para o grande público.

Histórias que nosso Cinema (não) contava (Crítica)

Num trabalho de montagem BRILHANTE de Luiz Cruz, Fernanda faz de seu trabalho empírico, estopim para selecionar trechos dos filmes da Pornochanchada para representar diversos hábitos e fatos que aconteciam nos anos 70 e 80, como: a violência do Estado, a luta armada, modernização brasileira, misoginia, machismo e a homofobia, algo que para muitos nem era associado a esses filmes.

Com esse trabalho podemos repensar o que é classificado como Pornochancha, podemos também conhecer um pouco sobre nossa história, já que o projeto tem o poder de reforçar a arte cinematográfica como legado da história de um povo, pois através das produções podemos entender a nossa evolução sócio-politica e o que ainda precisamos atingir para tentar um dia ter um país melhor para as novas gerações.

Pôster de divulgação: Histórias que nosso Cinema (não) contava

Pôster de divulgação: Histórias que nosso Cinema (não) contava

SINOPSE

Uma releitura histórica sobre o período da ditadura militar no Brasil retratada através de imagens e sons exclusivos das pornochanchada, o gênero mais visto e produzido no país durante a década de 70. A violência do Estado, a luta armada e modernização brasileira são exemplos de situações históricas que podem ser visualizadas por meio dessas obras cinematográficas.

DIREÇÃO

Fernanda Pessoa Fernanda Pessoa

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Fernanda Pessoa
Título Original: Histórias que nosso Cinema (não) contava
Gênero: Documentário, Histórico
Duração: 1h 20min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 23 de agosto de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook