INTERESTELAR (Crítica)

Interestelar

5estrelas

Por Emílio Faustino

Nolan mais uma vez mostra porque é um dos melhores diretores da atualidade, dando um nó na cabeça do telespectador.

INTERESTELAR02

Chega hoje aos cinemas “Interestelar”, o mais novo filme do diretor Christopher Nolan, famoso por dirigir a “trilogia Batman” e filmes como “Amnésia” e “A Origem”. Nolan se destaca por ter uma carreira curta, porém muito expressiva, conseguindo aplicar ideias conceituais em filmes que também agradam ao grande público. É o tipo de diretor que a gente pode dizer que agrada a gregos e troianos, e isso se deve às várias camadas que seus filmes costumam ter.

Em “Interestelar” não é diferente, mas a coisa mais importante que você precisa saber sobre “Interestelar” é: quanto menos você souber sobre a história, melhor. A grande sacada deste filme está em seu roteiro e na edição; é o tipo de filme que você termina de ver com vontade de ver de novo, justamente para pegar os detalhes que talvez você não tenha reparado na primeira vez.

De qualquer forma, segue a sinopse comentada da trama, para você não chegar tão perdido ao cinema: “Interestelar” se passa em um futuro em que a Terra se torna um lugar inabitável. Destaque para a construção dessa atmosfera, repleta de suspense, que muito se assemelha aos filmes de M. Night Shyamalan (O Sexto Sentido, Sinais, A Vila). Aliás, o que não falta no filme são boas referências, que vão desde Kubrick (2001 – Uma Odisséia no Espaço) à Spielberg (pela forma como o diretor trabalha com a luz).

Com a promessa de encontrar um jeito de solucionar o problema, um grupo de exploradores descobre um buraco negro capaz de proporcionar viagens pelo espaço e pelo tempo, além de outras dimensões, com as quais os humanos nunca tinham sonhado. Junto desses exploradores está Cooper (Matthew McConaughey, grande vencedor do Oscar do ano passado, que deu vida ao cowboy homofóbico em “Clube de Compras Dallas”), um ex-piloto que precisa deixar sua família para seguir rumo ao espaço.

INTERESTELAR01

Poderia ser apenas mais uma ficção cientifica que nos enche os olhos com belas imagens e nos entretém com uma história mirabolante, mas o filme vai muito além disso, quando explora a relação entre pai e filha e consegue emocionar o público (leia-se: eu chorei vendo o filme), quando adicionam em meio a essa relação a questão da viagem no tempo. É de fazer o público parar e pensar: “O que eu tenho feito mesmo com o meu tempo?”.

Matthew McConaughey brilha mais uma vez e consegue dar as nuanças que o seu personagem precisa; é uma boa atuação e talvez ele possa sim ser lembrado no Oscar por ela. Já Anne Hathaway (vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante em Os Miseráveis), está um tanto o quanto inexpressiva na trama, e funciona mais para levantar as bolas que McConaughey irá cortar.

Além de nos deixar tensos e nos emocionar, o filme reserva espaço para risadas, a maior parte advinda dos diálogos entre o personagem de Matthew McConaughey e o robô TARS, que consegue ter um carisma acima do normal para um robô. Os diálogos entre os dois, embora engraçados, são profundos e remetem aos limites existentes entre o homem e a máquina.

Nome certo no Oscar 2015, “Interestelar” terá fortes chances nas categorias técnicas: Edição, Mixagem de Som, Efeitos Visuais, Direção de Arte, Fotografia e Trilha Sonora (aliás, Hans Zimmer estava muito inspirado quando fez essa trilha que, de tão presente no filme, acaba quase sendo um personagem da história). É claro que todas essas indicações se tratam apenas de um palpite deste que vos escreve.

O filme ainda conta com a excelente atuação da bela Jessica Chastain (Histórias Cruzadas / A Hora Mais Escura), que faz o papel da filha do piloto na fase adulta, e a participação especial do vencedor do Oscar Matt Damon (Gênio Indomável), que aparece no meio da trama para por um tempero especial na história.

Vai soar piegas, mas não deixa de ser verdade: “Interestelar” é um filme que agrada aos olhos, preenche o cérebro e, de quebra, ainda mexe com as nossas emoções. É o tipo de filme imperdível, tanto para quem gosta de filmes com explosões e efeitos especiais, quanto para quem curte um filme mais cabeça.

PS: Soube, no final da sessão, que o filme durou cerca de 3 horas. São 3 horas tão bem aproveitadas que eu nem havia reparado! Vale muito a pena conferir, sem dúvida um dos melhores filmes do ano.

INTERESTELAR03

Curiosidades

• O co-roteirista do longa, Jonathan Nolan, irmão do diretor do filme, estava desenvolvendo o projeto com o diretor Steven Spielberg, mas Christopher Nolan é fã de ficção científica e queria fazer uma produção do gênero, por isso acabou ficando com o cargo.
• O cientista Kip Thorne, físico especializado na Teoria da Relatividade, foi o consultor de roteiro e produtor executivo de Interestelar.
• Wally Pfister, diretor de fotografia dos longas de Christopher Nolan, foi substituído por Hoyte van Hoytema (Ela), pois estava trabalhando em Transcendence – A Revolução (2014), que teve produção-executiva de Nolan.
• Anne Hathaway teve princípio de hipotermia em uma cena aquática.
• Interestelar é o filme mais longo da carreira de Christopher Nolan. Com 169 minutos (2 horas e 49 minutos), batendo os 164 minutos de Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012).
• A produção teve cenas filmadas com câmeras IMAX.
• O orçamento do filme foi de US$ 150 milhões.

SINOPSE

Após ver a Terra consumindo boa parte de suas reservas naturais, um grupo de astronautas recebe a missão de verificar possíveis planetas para receberem a população mundial, possibilitando a continuação da espécie. Cooper (Matthew McConaughey) é chamado para liderar o grupo e aceita a missão sabendo que pode nunca mais ver os filhos. Ao lado de Brand (Anne Hathaway), Jenkins (Marlon Sanders) e Doyle (Wes Bentley), ele seguirá em busca de uma nova casa. Com o passar dos anos, sua filha Murph (Mackenzie Foy e Jessica Chastain) investirá numa própria jornada para também tentar salvar a população do planeta.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Christopher Nolan” espaco=”br”]Christopher Nolan[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Jonathan Nolan e Christopher Nolan
Título Original: Interstellar
Gênero: Ficção científica , Drama
Duração: 2h 49min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: 10 Anos

TRAILER

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Mario

    O filme é arrastado, com personagens antipáticos sem razão, como o filho do Cooper. O embasamento científico é ralo. Então uma espécie avançada ou seja lá o que for, consegue criar um buraco de minhoca artificial mas não tem a solução para a crise na agricultura e clima da terra? Ficava mais simples. Outra coisa, eles indicam para a humanidade um lar numa estrela que está sendo sugada por um buraco negro? Melhor morrer de fome na terra que morar em qualquer planeta que orbite essa estrela. Afinal planetas orbitam e cedo ou tarde terão ponto máximo de aproximação com o buraco. Ou a estrela vai se ferrar a qualquer momento. O diretor deveria ter lido mais do Arthur C. Clarke e assistido melhor 2001, uma odisséia no espaço.