JOBS (Crítica)

JOBS

3emeio

Por Kadu Silva

Faltou algo

JOBS02

Eu não sou um fã da Apple, muito menos do Steve Jobs, mas sempre achei admirável o seu trabalho, um verdadeiro exemplo de sucesso, e por isso, meu interesse por Jobs desde o inicio foi ainda maior, mas infelizmente sai do cinema com a sensação que faltou algo, não foi uma cinebiografia definitiva, e não vai ser mesmo já tem um filme em pré produção baseado no bestseller escrito por Walter Isaacson e com roteiro de Aaron Sorkin (A Rede Social), esse mostrou apenas uma leve, bem leve pincelada na rica e interessante história do visionário Steve Jobs.

O filme mostra apenas uma parcela da vida de Jobs, da sua juventude hippie até sua volta a Apple onde logo depois, apresenta o iPod, símbolo da retomada gloriosa da empresa ao mercado de tecnologia.

Não sou conhecedor profundo de todas as conquistas de Jobs, mas muita coisa importante simplesmente não aparece no filme, por exemplo a fundação da Pixar, e ainda assim o roteirista Matt Whiteley deixou o filme bem longo, com mais de duas horas de duração, isso poderia fazer sentido se o filme tivesse um foco somente e todo o esforço se concentrasse em mostrar aquele momento, mas não é bem isso que vemos, o filme apresenta de forma bem superficial várias informações sem aprofundamento e ao mesmo tempo aprofunda em outras que poderia ser mais sucinta, parecendo querer dar para a imagem de Jobs um polimento sagrado, ou diria que dar uma versão ficcional da vida dele.

JOBS03

Para quem não sabe o filme é independente, com baixo orçamento, algo que de certa forma poderia ser um fator positivo, já que a falta de um “direcionamento” solicito por algum estúdio, poderia render para o filme, bem mais liberdade criativa, falta de interesses, no entanto mesmo que não tenha havido isso, a sensação que dá é que alguém queria mostrar para o mundo o quanto especial era esse homem, bem diferente do que os seus ex amigos e funcionários o retratam, ok, o filme mostra seu lado arrogante, mesquinho e autoritário, mas sempre dá a sensação que ele tinha que fazer aquilo, daquela forma, para chegar onde chegou.

Se não bastasse essa abordagem um tanto quanto duvidosa do roteiro, o diretor é um estreante, Joshua Michael Stern, que abusa de clichês e soluções fáceis na maioria das cenas, mas é notável que ele pode se tornar um grande diretor, já que mostra técnica e disciplina narrativa e em muitas cenas consegue provocar uma forte emoção pela forma que transmite algumas passagens.

Mas talvez o que todos querem saber é sobre a atuação de Ashton Kutcher, que recebe uma avaliação regular para boa ao meu ver, porque consegue uma impressionante caracterização postural e vocal de Jobs, muitos disseram que é uma imitação, pode até ser, mas é bem feita, o problema de Kutcher é quando o roteiro exige dele mais potencial dramático, infelizmente ele não dá conta do recado e fornece momentos bem ruins, como exemplo, para você leitor observar com cuidado, a cena em que ele volta para casa, depois de ser “expulso” de sua empresa, seu encontro com o pai, era para ser uma cena marcante, mas o que vemos é uma forçada tentativa de choro aos braços de seu pai, infelizmente não dá para comprar, aquela decepção emotiva que seria a pretendida pelo roteiro.

Um ponto negativo que fazia tempo que não via em filmes é uma trilha sonora que exerce o poder inverso, ao invés de ajudar na narrativa, ela aparece para tirar a atenção da cena.

Mas Jobs tem seu mérito, pelo menos para mim, mostrou mais detalhes da vida de Steve Jobs que simplesmente não sabia da existência, mas ainda assim, como já citei, dá a sensação que aquilo não foi bem assim e que falta muita coisa que não foi dito, portanto vale a pena ir no cinema, como curiosidade, mas só, não porque ser um filme imperdível.

JOBS01

DESTAQUE

A boa retratação das 4 décadas que o filme apresenta.

SINOPSE

e hippie sem foco nos estudos a líder de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. Este é Steve Jobs (Ashton Kutcher), um sujeito de personalidade forte e dedicado, que não se incomoda de passar por cima dos outros para atingir suas metas, o que faz com que tenha dificuldades em manter relações amorosas e de amizade.

ELENCO

[do action=”cast” descricao=”Ashton Kutcher (Steve Jobs)” espaco=”x”]Ashton Kutcher[/do][do action=”cast” descricao=”Josh Gad (Steve Wozniak)” espaco=”br”]Josh Gad[/do]

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Joshua Michael Stern” espaco=”br”]Joshua Michael Stern[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Malk Hulme
Título Original: Jobs
Gênero: Drama
Duração: 2h 07min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 12 anos

TRAILER

Comente pelo Facebook