LIGA DA JUSTIÇA (Crítica)

Emílio Faustino

Liga da Justiça é o tipo de filme que as pessoas vão ao cinema torcendo para ser bom, mesmo achando lá no fundo que não será grande coisa. Queira ou não, a DC instaurou em seus fãs a insegurança por oscilar tanto entre filmes bons como “Mulher Maravilha” e filmes catastróficos como “Batman Vs Superman”. E não se trata de ter histórias ruins em mãos, trata-se apenas de não saber contar essas histórias.

De longe o grande erro da DC foi tentar correr atrás do prejuízo e alcançar a Marvel, que emplacou sucessos como “Os Vingadores” e “Capitão América – Guerra Cívil”, filmes que apresentavam o encontro e embate de heróis consagrados de seu universo.

Porémmmmmmmmmmmmm, diferentemente da Marvel, a DC não teve a calma necessária para construir este momento que é A Liga da Justiça. Enquanto a Marvel já havia lançado os filmes de Homem de Ferro, Thor e Capitão América, para só depois lançar “Os Vingadores”, a DC lançou apenas Superman, Batman Vs Superman (que introduz o personagem Batman de forma bem precária) e Mulher-Maravilha que certamente deveria ter sido lançado antes de Batman Vs Superman.

O resultado desta falta de planejamento se reflete em quase meia hora de filme para introduzir os novos personagens (Aquaman, Flash e Cyborg) que compõe a Liga da Justiça.

É interessante observar que sem eles serem apresentados em filmes solos, fica difícil estabelecer uma relação de empatia, não se sabe ao certo como são suas personalidades e capacidades especiais. Diminuindo assim a expectativa de quem vê e que poderia estar neste momento curioso para saber como personalidades tão diferentes iriam interagir. Sabe aquele momento nos Vingadores que você pensa: “isso é bem a cara do Capitão América falar mesmo…” ou “Nossa!! Cadê o Homem de Ferro que não chega? Ele certamente daria jeito nessa situação”. Isso não existe na Liga da Justiça, isso porque não fica claro a complexidade de seus personagens.

O Cyborg, para se ter uma noção, ainda esta descobrindo seus poderes, com direito a cena onde ele explode tudo e faz cara de: “Nossa, eu que fiz tudo isso?”. Engraçado, que o mundo esta acabando e o Batman e a Mulher-Maravilha resolvem em meio a tudo isso recrutar esse povo que não sabe utilizar seus poderes ou não possuem nenhum treinamento. O que cá entre nós, não faz o menor sentido, não é mesmo?

LIGA DA JUSTIÇA (Crítica)

O Flash do filme parecia estar com crise de identidade, pois tudo o que ele fala e a forma como age lembra uma versão de “Homem Aranha de Volta ao Lar”. Com direito a um festival de piadas e aquele deslumbramento de quem esta descobrindo algo muito “irado”. Embora algumas piadas funcionem, outras estragam momentos em que o drama poderia funcionar melhor. Ficou over num ponto que você olha pra cara dele e pensa: que piadinha que ele vai fazer agora?

O Aquaman é o personagem que menos utiliza seu poder em cena, inventaram uma cena com água pra justificar sua utilidade no filme, mas só. Mas verdade seja dita: ele é um gato.

Não é nenhuma novidade que o Superman volta a vida, isso infelizmente já tinha sido entregue no próprio filnal de “Batman Vs Superman” quando mostram o caixão de Clark trepidando e depois tentaram fazer disso um segredo. Oi??!

Para quem gostou de ver Batman e Superman trocando socos, vai ter mais uma briga e PASMÉM, vai ter mais uma desculpa esfarrapada para eles pararem de brigar.

Outra coisa que chama atenção é a falta de identidade visual da fotografia do filme, que muda drasticamente em cada núcleo e os efeitos especiais. Não seria nenhum exagero dizer que algumas cenas parecem terem saído de um jogo de vídeo game.

Existem muitos pontos a melhorar em Liga da justiça, falhas no roteiro, frases prontas e muito talento desperdiçado. Faltou química na interação dos heróis e sobre tudo identidade própria. Esta na hora de passar o comando para outra pessoa, porque o diretor Zack Snyder nitidamente não deu conta do recado.

Ainda assim, o filme possui boas cenas de ação, bons alívios cômicos e é um ótimo filme para a família toda. Com certeza as crianças irão adorar este filme que dialoga bem com a idade mental delas.

Sobre o 3D: não recomendo. Não vi nada saltar da tela, se tiver a opção de ver em 2D veja, pois a experiência será a mesma e você economiza um dinheirinho.

Existem duas cenas pós créditos, a última talvez seja a melhor coisa de todo o filme.

Ps: não é atoa que a Warner só liberou a crítica deste filme no mesmo dia da estreia. Normalmente as criticas são feitas uma semana antes. Mas eles sabem o filme que tem em mãos e sabem que muita gente deixaria de ir ou comprar antecipado se dessem uma olhada nas críticas.

Pôster de divulgação: LIGA DA JUSTIÇA

Pôster de divulgação: LIGA DA JUSTIÇA

SINOPSE

Impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman (Henry Cavill), Bruce Wayne (Ben Affleck) convoca sua nova aliada Diana Prince (Gal Gadot) para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes – Batman, Mulher-Maraviha, Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher) e Flash (Ezra Miller) -, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Zack Snyder” espaco=”br”]Zack Snyder[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Chris Terrio, Joss Whedon
Título Original: Justice League
Gênero: Ação, Ficção Cientifica
Duração: 2h 0min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 16 de novembro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook