LITTLE BOY – ALÉM DO IMPOSSÍVEL (Crítica)

Kadu Silva

A 2ª Guerra Mundial pela perspectiva infantil

Alguns assuntos são extremamente recorrentes no cinema, ou por despertar curiosidade da maioria dos espectadores ou simplesmente por desafiar o diretor/produtor a mostrar o mesmo assunto de forma criativa (inovadora). Essa segunda opção talvez tenha sido a intenção do diretor mexicano Alejandro Monteverde (Bella), que mais uma vez leva para a telona a 2ª Guerra Mundial, mas dessa vez pela perspectiva de um garoto de 8 anos, que nos anos 40 não tinha tanta informação (tecnologia) como hoje e o uso da imaginação para criar “verdades” era algo muito mais rotineiro do que notamos ultimamente.

Na história conhecemos Pepper (Jakob Salvati) um pequeno garoto que tinha em seu pai a principal parceria na vida, já que sua baixa estatura repelia a maioria dos garotos de sua idade, ou seja era um menino sem amigos, até que o governo dos Estados Unidos convoca seu pai para ir à guerra. Encantado pelo poder do mágico Ben Eagle (Ben Chaplin), Pepper, que também imaginava ter poderes especiais, resolve então bolar um plano para trazer de volta seu pai.

O roteiro original de Alejandro Monteverde e Pepe Portillo utiliza dos reais acontecimentos da 2ª Guerra para desenvolver uma encantadora fábula de magia e amor de filho para pai e o melhor, ainda que tendo o teor infantil em sua narrativa, consegue encontrar maneiras de criticar a postura dos norte-americanos ao diferente (xenofobia), a religião que as vezes parece como um gibi para crianças com fantasia para dizer o que é certo ou errado, o bullying e seus traumas e como se pode supera-lo e principalmente ter fé no que acredita, mesmo quando não parece que vai dar certo.

O diretor Alejandro Monteverde apesar de ter uma história que poderia cair no piegas e no melodrama fácil, consegue equilibrar os fatos e deixar esse conto uma trajetória envolvente, com reviravoltas surpreendentes e principalmente tocante tanto para os pequenos quanto para os adultos, ele se auxilia no garotinho Jakob Salvati (Ameaça Terrorista) que tem uma imagem muito carismática na tela e por isso consegue logo ganhar a plateia com sua doçura e assim o diretor usa desse magnetismo infantil e logo tem todos hipnotizados pelo plano de amor de Pepper em trazer seu pai da guerra.

Monteverde também mostra talento ao conseguir retratar os anos 40 de forma tão precisa, logo nos primeiros minutos do filme já é perceptível o ótimo trabalho da equipe de direção de arte, e isso se estende nos figurinos, maquiagem e cabelo, trilha sonora, enfim, cada detalhe é pensado para levar o espectador de volta nessa década importante e tão marcante para a história mundial.

Já citei o carisma de Jakob Salvati, mas é importante destacar o bom trabalho do elenco do filme, todos dão suporte para que Salvati brilhe e encante a todos. Destaque para Cary-Hiroyuki Tagawa, o improvável japonês que acaba se tornando amigo de Pepper diante da ausência do seu pai, a química entre eles é moldada aos poucos e se torna magica no decorrer da fita.

Little Boy – Além do Impossível por mais que tenha todos os pré-requisitos para ser um dramalhão (ainda que ele te faça sair com os olhos inchados do cinema), se mostra uma experiência divertida, encantadora e principalmente reflexiva, já que vai te fazer pensar sobre diversos temas importantes, ou seja unindo o útil ao agradável.

Infelizmente o filme só terá exibição na rede Cinépolis, fato que pode não facilitar o acesso de muitas pessoas, mas caso tenha a oportunidade é uma excelente dica para levar a criançada e também se divertir nessa fita “mágica”.

LITTLE BOY ALEM DO IMPOSSIVEL

SINOPSE

Um drama nos anos 40 em uma cidade pequena dos Estados Unidos, onde vivia o pequeno Little Boy de 8 anos. Alvo de brincadeiras com outras crianças da cidade devido a sua baixa estatura e o único amigo do Little é o pai James. A vida de Little Boy é marcada quando seu pai vai para a Guerra e perde o seu grande parceiro de emoções. Inspirado pelo seu herói, com sua imaginação Little Boy crê que consegue fazer com que o seu pai volte da guerra. Com os passar dos dias Little Boy conhece um japonês que acabam virando grandes amigos para conseguirem superar seus grandes problemas.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Alejandro Monteverde” espaco=”br”]Alejandro Monteverde[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Alejandro Monteverde e Pepe Portillo
Título Original: Little Boy
Gênero: Drama, Comédia
Duração: 1h 40min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 10 Anos
Lançamento: 10 de março de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook