LOVELACE (Crítica)

POSTERBR_LOVELACE

4estrelas

Love Lace – E os bastidores do filme pornô que se tornou um marco da revolução sexual.

Por Emílio Faustino

LOVELACE01

Love Lace também conhecido como: o filme da garota da “Garganta Profunda” apresenta a cinebiografia escrita pela própria Linda Lovelace, atriz que ficou famosa por estrelar o filme pornô mais comentado e lucrativo da década de 70.

Quando o filme Garganta Profunda foi lançado em Nova York, em 1972, a euforia foi geral. Afinal, a pornografia estava sendo tratada como algo natural e saindo dos guetos. O longa-metragem gerou um sucesso de bilheteria sem precedentes à época e faturou mais de 600 milhões de dólares. Linda Lovelace era a estrela da trama. Interpretava uma mulher que não conseguia ter orgasmo e, ao fazer uma consulta médica, descobre que tem o clitóris na garganta – daí a preferência da personagem pelo sexo oral.

Passados mais de 40 anos do sucesso, chega aos cinemas a história por de trás da história. Em Love Lace, podemos acompanhar a trajetória de Linda Susan Boreman (o nome verdadeiro de Love Lace), desde os seus primeiros contatos com o assunto sexo, até a escolha e justificativa de seu nome artístico.

A forma como a história é contada foi realmente muito feliz em sua execução, primeiro o filme mostra a história do ponto de vista ingênuo e o deslumbramento com a fama que o estrelato trouxe a atriz. Fica claro no filme que ela nunca havia se quer sonhado em se tornar atriz de filme pornô, mas também quem é que tem esse tipo de sonho né?! “Quando crescer eu quero ser atriz de filme pornô”. Ainda mais uma garota reprimida, que só foi ter contato com o sexo e aprimorar suas técnicas de sexo oral graças ao marido, que mais tarde viria a ser o responsável por introduzir a mesma na indústria pornográfica.

Como muitas garotas da década de 70, Linda encontra no casamento o escapismo perfeito do convívio familiar, que no caso dela não era nenhum pouco fácil. O filme inclusive proporciona um bom embate de valores entre o moralismo da igreja e a liberdade dos filmes pornôs. Maaaaaaas o que parecia ser a fuga perfeita, acaba por se tornar o calvário da jovem que se vê em universo totalmente desconhecido, onde é explorada pelo marido das mais diversas formas possíveis e imagináveis.

O ponto alto do filme esta na direção e edição do filme, o diretor induz aos que assistem a terem uma visão romantizada do estrelato (possivelmente a mesma visão de Linda na época) e depois volta para as mesmas cenas (dessa vez, apresentadas em ângulos diferentes), para mostrar que nem tudo eram flores na vida da atriz. Sério… Essas retomadas de cenas deram ao filme uma supervalorizada na trama.

LOVELACE02

É claro que… Vale lembrar que o filme é uma adaptação do livro da própria Linda, então fica difícil não questionar a imparcialidade dessa abordagem de vítima apresentada. Afinal, o filme não mostra o envolvimento da atriz com as drogas e tão pouco os outros filmes que vieram depois de “Garganta Profunda”. A impressão que dá, é que depois de “Garganta Profunda” a atriz não gravou mais nada. E não foi bem assim… De qualquer forma, se pegarmos o filme como unidade sem maiores comprometimentos com a realidade, é um ótimo filme.

A escolha de Amanda Seyfried para interpretar Love Lace, foi no mínimo bastante inusitada, a atriz que é conhecida por fazer papeis de boa moça (Mamma mia, A garota da capa vermelha, Os Miseráveis e outros…), teve neste filme a grande oportunidade de mostrar a sua versatilidade. Mas embora a caracterização (cabelo + lente de contato) tenha contribuído e muito para a composição da personagem, ao invés de vermos uma Amanda Seyfried mais sensual e maliciosa, vemos uma Love Lace doce e recatada. (Fica a dúvida se essa era a proposta do filme: mostrar um lado mais humano da atriz ou se foi a atriz que não soube explorar as possibilidades da personagem).

Mas sim gente, para alegria de muitos, essa será a oportunidade de ver a Amanda Seyfrired peladona nas telonas. (Imagino que este será um dos maiores motivos que levaram as pessoas para o cinema). Enfim….

Protagonista a parte, o filme em si conta com um elenco de peso que não decepciona. Destaque para a atriz Sharon Stone que esta praticamente irreconhecível como a personagem Dorothy Boreman (a mãe da Love Lace). E quando eu digo irreconhecível, é irreconhecível mesmo! Eu só percebi que era ela quando fui atrás da ficha do elenco para descobrir quem era a atriz que fez a personagem. Acredito que seja um dos seus trabalhos mais expressivos no cinema. (E ela nem precisou cruzar as pernas).

Quem também dá o ar da graça no filme é o galã James Franco que interpreta ninguém mais, ninguém menos do que Hugh Marston Hefner, o idealizador, fundador e editor-chefe da mais famosa revista erótica do mundo: a Playboy. Será que um dia sai uma cinebiografia dele? Histórias não faltariam…

Um aspecto que chama muita atenção em Love Lace são os recursos usados para recriar os anos 70: cabelos, figurinos, cenários, música, tudo muito bem elaborado e otimizado por filtros de cores usados na edição, que se assemelham e muito com os filtros que estamos acostumados a ver no Instagram. Tudo em perfeita harmonia para dar um ar vintage ao filme.

Embora se trate de um drama, o filme também reserva momentos de boas risadas, obviamente não é o tipo de filme família (a menos é claro que a sua família seja ultra liberal), mas é um filme que vale a pena ser visto.

Love Lace estreia nesta sexta feira 13 e vai disputar bilheteria com filmes como “Invocação do mal”, se você não curte passar por sustos e está a procura de um bom filme, pode ir sem medo!

LOVELACE03

DIREÇÃO

Jeffrey Friedman e Rob Epstein

SINOPSE

Cinebiografia de Linda Lovelace (Amanda Seyfried), a protagonista do clássico do gênero pornô “Garganta Profunda”. Seu relacionamento com os maridos Chuck Traynor (Peter Sarsgaard) e Larry Marchiano (Wes Bentley) e o modo como lidava com o súbito estrelato, até abandonar de vez o cinema erótico.

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Andy Bellin e Merritt Johnson
Título Original: Lovelace
Gênero: Drama
Duração: 1h 33min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 16 anos

TRAILER

Comente pelo Facebook