MATO SEM CACHORRO (Crítica)

PosterCinema-Mato03

3estrelas

Por Emílio Faustino

MATO SEM CACHORRO01

Depois de “Minha mãe é uma peça”, “Vai que dá certo”, “O Concurso”e “Se puder dirija”, dando sequência a um dos melhores anos da comédia no cinema brasileiro, estreia essa semana o filme: “Mato sem Cachorro”. Uma comédia romântica repleta de referencias pop que vão desde Caverna do Dragão até Michel Teló.

No elenco estão o talentoso Bruno Gagliasso, a sempre boa moça Leandra Leal e o aspirante a ator Danilo Gentili. Também estão presentes no filme com pequenas participações o humorista Rafinha Bastos, a cantora Elke Maravilha (praticamente irreconhecível no filme), Sidney Magal, Gabriela Duarte que está absolutamente diferente de tudo que já fez e Sandy que faz papel dela mesma. (E quem diria?! As cenas que envolvem a Sandy são realmente engraçadas).

O longa apresenta a história de Deco (Bruno Gagliasso), um rapaz que vive jogado no sofá de sua casa, apesar de ter bastante talento com a música. A história tem seu START com o QUASE atropelamento de um cachorro de rua que sofre de narcolepsia (doença que faz com que o animal desmaie quando passa por situação de estressado / excitação).

Deco, o quase atropelador, fica sem reação quando se depara com o cachorro desmaiado. Uma multidão se forma, ele é quase linchado, até que chega a sua heroína (Zoé), uma garota doce que se dispõem a ir no veterinário com o ainda desconhecido Deco.

Pronto! Graças ao cachorro o casal se conheceu, e é em torno do Guto que a história se desenvolve. Não demora muito para que o trio viva como se fosse uma família. Mas como tudo que é bom dura pouco, dois anos depois, Zoé termina o namoro, fica com a guarda de Guto e ainda por cima arranja um novo namorado (Enrique Diaz). Motivos mais do que suficientes para que Deco fique revoltado e prepare uma vingança: sequestrar Guto.

MATO SEM CACHORRO02

É nesse ponto da história que Danilo Gentili surge com uma nudez desnecessária fazendo o papel do primo inconsequente que vai ajudar Deco em seu plano infantilóide.

São dos desmaios de Guto (o cachorro) e das situações desencadeadas por ele que o filme tira as suas melhores piadas.

Mas não se enganem com a carinha fofa do cachorro Guto, o longa do diretor Pedro Amorim não chega a ser uma comédia para toda a família. Isso porque, o uso excessivo de palavrões torna o filme impróprio para as crianças.

Mesmo correndo o risco de parecer falso moralista, eu vou ter que fazer este comentário: o filme errou feio na dosagem dos palavrões, só nos primeiros 10 minutos de filme, pode-se contar mais de 12 vezes que a palavra “porra” é dita, ou seja, uma média de mais de 1 palavrão por minuto. (Acho que eles conseguiram bater o recorde da Dercy Gonçalves).

Masssss se abstrairmos os palavrões, o filme tem sim seus bons momentos e consegue tirar boas risadas do público. Além do mais, alguns aspectos técnicos do filme são realmente muito bons e espirituosos como a trilha sonora que fez uma mistura ousada que deu certo. Para se ter uma noção, eles conseguiram executar no mesmo filme músicas de: Placebo, Sidney Magal, John Lennon, Michel Teló, Queen e até mesmo uma paródia de Kelly Key rolou, tudo à serviço da comédia.

Outras referências como “Caverna do Dragão”, “O Show de Trumman”, “Eu, eu mesmo e Irene”, também foram observadas…

Talvez o ponto alto de “Mato sem cachorro” esteja na mensagem que o filme passa, afinal, trata-se de um cachorro que foi adotado. Embora na trama a doença do cãozinho Guto seja abordada em tom cômico, na vida real a gente sabe que qualquer tipo de anormalidade que exija mais atenção dos donos já é desculpa para alguns abandonarem o animal. Nesse sentido, o filme dá um belo exemplo de como aceitar o diferente pode contribuir e somar as nossas vidas.

“Mato Sem cachorro” estreia em todo Brasil no dia 4 de outubro.

MATO SEM CACHORRO_site

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Pedro Amorim” espaco=”br”]Pedro Amorim[/do]

SINOPSE

Deco (Bruno Gagliasso) vive jogado no sofá de sua casa, apesar de ter bastante talento com a música. Um dia, ele encontra dois grandes amores de uma só vez: a radialista Zoé (Leandra Leal) e o cachorro Guto, que desmaia toda vez que fica muito animado. Não demora muito para que o trio viva como se fosse uma família. Só que, dois anos depois, Zoé termina o namoro, fica com a guarda de Guto e ainda por cima arranja um novo namorado (Enrique Diaz). Motivos mais do que suficientes para que Deco fique revoltado e prepare uma vingança: sequestrar Guto. Para tanto ele conta com a ajuda de seu primo Leléo (Danilo Gentili).

FICHA TÉCNICA

Roteiro: André Pereira
Título Original: Mato sem cachorro
Gênero: Comedia
Duração: 1h 53min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 10 anos

TRAILER

Comente pelo Facebook