MEMÓRIAS SECRETAS (Crítica)

Kadu Silva

Para se vingar não existe idade

Ao assistir Memórias Secretas, logo veio em minha cabeça a certeza, – muitos irão achar ruim a forma como o filme usa o Holocausto como inspiração “maléfica”, ou seja fugindo dos tradicionais formatos, do contexto histórico. Aqui esse período triste de nossa história está presente, como combustível de uma vingança, que podemos classificar como possivelmente humana dentro do enredo. E para fugir ainda mais do obvio, toda essa trama é protagonizada por personagens bem idosos.

Max (Martin Landau), está numa casa de repouso com seu amigo Zec (Christopher Plummer), ambos resolvem se unir para se vingar de um carrasco que matou toda a família deles em Auschwitz, mas Max anda com auxílio de cadeira de rodas e precisa de oxigênio para respirar, portanto Zec resolve ir sozinho atrás desse homem, mas tem um problema, Zec está com Alzheimer e Max de longe, precisa coordenar seus passos em busca dessa vingança.

O roteiro do estreante Benjamin August, ainda que funcional em criar reviravoltas interessantes, carece de um pouco mais de humanismo ao retratar a velhice dos protagonistas, já que eles, mas principalmente Zec o personagem de Christopher Plummer é tratado como um ser incapaz, tudo em função da idade avançada. Existe ainda certas escolhas que soam desnecessárias (só não vou citar para não dar spoiler).

O diretor armênio Atom Egoyan (O Doce Amanhã), consegue uma narrativa envolvente, que em certos momentos lembra um road movie, mas acaba por cair em certos clichês que podem aos mais espertos revelar o desfecho, mas eu confesso que só percebi as “deixas” dele, depois que terminou o filme, ficando realmente surpreso com o que acontece na trama.

O que mais agrada no filme é deixar o holocausto como pano de fundo da história de Max e Zec, e principalmente por dar para os atores idosos a possibilidade de fazer um filme de vingança, com tiros e mortes, dando a esse longa, ainda que superficialmente um caráter de quebra de paradigmas, super valido para o gênero tão repetitivo que é o da sétima arte.

Christopher Plummer (Não Olhe para Trás), que está presente em quase 100 % do filme mostra toda sua elegância na composição desse homem meio perdido e com poucas lembranças de seu passado. A cena final dele é de arrepiar, a ponto de dar vontade de aplaudir de pé.

O super experiente, Mychael Danna (As Aventuras de Pi), que assina a trilha sonora, ainda que tenha exagerado em alguns momentos, consegue auxiliar no ritmo narrativo da história, fundamental para criar o aspecto de suspense que as investidas de Zec vão criando ao longo da projeção.

Memórias Secretas é um drama regular, já que acertas e várias coisas, mas peca em detalhes que o deixam abaixo do esperado.

MEMORIAS SECRETAS

SINOPSE

Um dos capítulos mais escuros da história, no século XX, colide com a contemporânea missão de vingança de Zev (Christopher Plummer), um senhor que deseja punir um antigo guarda nazista pelo assassinato da sua família 70 anos atrás.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Atom Egoyan” espaco=”br”]Atom Egoyan[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Benjamin August
Título Original: Remember
Gênero: Drama
Duração: 1h 35min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 12 de maio de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Jp

    estava Lendo os COMENTÁRIOS nos Outros sites e muita gente gostou,mas Partilho da mesma opniao que vc,filme rEgular/bom
    O DeSfECho e Trilha sonora sao boNs porem as atUaCoes sao Monotonas assim como o ritmo que o filme Segue,sem muitas explIcaCoes ate a Parte final do Filme