MEU CORPO É POLÍTICO (Crítica)

Kadu Silva

Um olhar respeitoso, porém, artificial

O gênero documentário é um dos mais difíceis para sair do formato tradicional, são raras as produções que conseguem introduzir alguma criatividade narrativa a esse tipo de obra. Dito isso, compreendo os equívocos do esforçado projeto da cineasta Alice Riff (Cidade Improvisada), no filme Meu Corpo é Político.

O longa apresenta o dia a dia de 4 personagens transexuais na cidade de São Paulo. Acompanhamos a rotina, a interação com a sociedade e o verdadeiro ato político que é viver a margem social simplesmente por existir.

MEU CORPO É POLÍTICO (Crítica)

Alice Riff de forma muito respeitosa e inteligente não vitimiza as personagens, apenas retrata cada uma dentro de seu contexto social, suas lutas e conquistas diárias. O grande problema do formato escolhido pela cineasta é que ao induzir suas personagens para retratar alguns de seus momentos cotidianos, o teor naturalista dos acontecimentos soou falso (artificial), fato que torna o envolvimento com a plateia pequeno ou nulo. Além disso, nem todas as histórias são interessantes e pior nem todos os personagens são carismáticos para ganhar a plateia.

Ainda assim, o filme é claramente importante por “humanizar” as pessoas trans que em geral são retratas de forma estereotipadas ou com uma de forma erotizada, o olhar nulo de julgamento acaba trazendo para quem acompanha o longa uma identificação com certos dramas comuns a qualquer pessoa.

Meu Corpo é Político apesar de equívocos em sua construção é uma obra importante por trazer a sociedade o conhecimento mínimo sobre o universo trans, ou seja, é uma produção necessária. São obras assim que podem tirar o país da liderança das nações que mais mata LGBTs no mundo, pois através do conhecimento a ignorância se torna menor.

Pôster de divulgação: MEU CORPO É POLÍTICO

Pôster de divulgação: MEU CORPO É POLÍTICO

SINOPSE

Vivenciado o dia a dia ao lado de diversos ativistas LGBT moradores das periferias de São Paulo, o documentário faz um panorama do contexto social em que os personagens estão inseridos e de que forma sua atuação age nas ruas. Além disso, levanta questões sobre a população trans no Brasil e suas disputas políticas.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Alice Riff” espaco=”br”]Alice Riff[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Alice Riff
Título Original: Meu Corpo é Político
Gênero: Documentário
Duração: 1h 12min
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 30 de novembro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook