MY LITTLE PONY: O FILME (Crítica)

Kadu Silva

Formato retro com mensagem atual

Felizmente cada vez mais as animações infantis estão usando do seu grande poder de influência nas novas gerações para tentar formar cidadãos mais respeitosos com as diferenças. My Little Pony é uma dessas produções que utiliza do tradicional formato das animações clássicas do bem contra o mal para deixar uma mensagem de respeito ao outro.

No filme, a terra de Ponyville está ameaçada pelo vilão Rei Storm, que quer roubar o poder das princesas ponys para dominar o mundo. É então que a princesa Twilight Sparkle, junto de suas amigas ponys irão até a Equestria buscar uma forma de salvar sua terra natal.

O roteiro de Meghan McCarthy e Rita Hsiao (Toy Story 2), usa o formato tradicional das clássicas animações da Disney, maniqueísta e repleta de incríveis canções para narrar uma aventura envolvente, que em suas entrelinhas quer colocar em pauta diversos temas importantes, como: o valor da verdadeira amizade, o respeito da diversidade, a auto aceitação com a deficiência e assim por diante.

MY LITTLE PONY: O FILME (Crítica)

Jayson Thiessen que já havia trabalhado em outras produções da franquia para TV não tem vergonha de criar sua animação aos moldes clássicos Disney, os três atos são bem definidos e o arco dramático segue o mais obvio e previsível formato, no entanto, esse olhar retro torna a animação encantadora, além disso, o glitter e o arco-íris sempre presente, intrinsicamente coloca o universo LGBT no enredo da animação. É até perigoso escrever isso, pois os ânimos conservadores que muitos brasileiros estão ultimamente podem boicotar o filme em função disso, mas pode ficar tranquilos, o filme não é gay ou nada do tipo, ele só quer mostrar, sem ser explicito, que o mundo seria muito melhor se todos pudessem viver como são sem ter ninguém querendo ditar regras ou comportamentos.

As canções que já foram citadas, são sem dúvida, o grande acerto do filme, cada uma tem uma mensagem relevante e os arranjos são extremamente bem feitos, no formato tradicional dos grandes musicais, a única que sai um pouco desse formato é a canção, “Rainbow” composta exclusivamente pela Sia para o filme, ela inclusive participa do filme com uma personagem escrita para ela. A canção é claramente um “hino” contra o preconceito (vale a pena ouvir).

Como diz Sergio Marone na entrevista acima, nos tempos escuros repleto de intolerância que vivemos, assistir uma animação que discute a diversidade sem filtro, se torna um alimento positivo para alma e uma esperança que as novas gerações podem tornar o mundo mais inclusivo, e cada vez menos preconceituoso.

Pôster de divulgação: MY LITTLE PONY: O FILME

Pôster de divulgação: MY LITTLE PONY: O FILME

SINOPSE

Quando uma força obscura ameaça Ponyville e a Mane 6, os pequenos pôneis embarcar em uma viagem até o fim de Equestria para salvar sua amada casa. Lá eles conhecem novos amigos e passam por desafios perigosos ao longo do caminho.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Jayson Thiessen” espaco=”br”]Jayson Thiessen[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Meghan McCarthy, Rita Hsiao
Título Original: My Little Pony: The Movie
Gênero: Aventura
Duração: 1h 39min
Classificação etária: 10 Anos
Lançamento: 5 de outubro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook