NISE – O CORAÇÃO DA LOUCURA (Crítica)

Nise O Coracao da Loucura

4estrelas

Por Kadu Silva

Nise O Coracao da Loucura02

O cinema é algo realmente encantador, ele, entre outras coisas nos proporciona conhecer a história de vida de certos personagens que possivelmente passariam desconhecidos. A produção, Nise – O Coração da Loucura, apresenta para o espectador a importante e linda história de Nise da Silveira, uma psiquiatra brasileira, que revolucionou a forma como tratar pacientes com algum tipo de distúrbio mental, fazendo uso de um tipo de tratamento lúdico, onde a arte se mostra como um dos principais instrumentos terapêuticos.

Na trama conhecemos Nise (Glória Pires), uma forte e determinada mulher, que entra num hospital público no Rio de Janeiro, e transforma a vida de um grupo de paciente, dando a eles uma oportunidade de se comunicar através da arte. Mas o machismo e o conservadorismo da classe psiquiátrica, não deixou que esse belo trabalho fosse tão tranquilo, é aí que Nise, mostra que é uma mulher a ser reverenciada e servir de exemplo, superando os obstáculos, sempre com muita classe.

O diretor Roberto Berliner (Julio Sumiu), se mostra muito inteligente ao não subestimar seu público, já que compõe seus personagens, através de suas criativas lentas, sem usar locução ou a muleta do didatismo tão comum em produções nacionais. Aqui as imagens falam mais que quaisquer palavras.

Nise O Coracao da Loucura01

E para variar Glória Pires é um arraso nessa mulher forte, decida, doce e que não abaixa a cabeça para ninguém que se achava melhor que ela, só por ser macho. A atriz consegue desenvolver essa mulher que ao mesmo tempo se mostra frágil nos braços de seu marido e que encara de frente um colega de profissão que a menospreza pelas suas técnicas, até então pouco usuais.

Os outros personagens secundários, principalmente os que fazem os pacientes com distúrbios mentais, estão excelentes, nota-se que foi feito um ótimo trabalho de pesquisa para que eles estivessem representando de forma bem fiel o estado mental dos retratados.

A trilha sonora é extremamente pertinente, a reconstituição de época é formidável, a fotografia é belíssima, mas principalmente se destaca a montagem, que conseguiu dar um ritmo perfeito para a narrativa, que tinha como desafio, transmitir ao espectador como o tratamento muda a relação com o paciente, sem ser com pressa ou de forma muito lenta e maçante.

Nise – O Coração da Loucura, além de servir como um modo de conhecermos mais de nossa história, é o retratado de um ser humano, que soube e teve força de não desistir do que acreditava, mesmo quando muitos não o apoiavam. Uma heroína real que merece ser uma inspiração para nós, hoje e sempre!

Nise O Coracao da Loucura03

SINOPSE

Ao voltar a trabalhar em um hospital psiquiátrico no subúrbio do Rio de Janeiro, a doutora Nise da Silveira propõe uma nova forma de tratamento aos pacientes que sofrem da esquizofrenia, eliminando o eletrochoque e lobotomia. Mas seus colegas de trabalho discordam do seu meio de tratamento e a isolam, restando a ela assumir o abandonado Setor de Terapia Ocupacional, onde dá início a uma nova forma de lidar com os pacientes, através do amor e da arte.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Roberto Berliner” espaco=”br”]Roberto Berliner1[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Flavia Castro, Maurício Lissovsky
Título Original: Nise – O Coração da Loucura
Gênero: Drama
Duração: 1h 48min
Ano de lançamento: 2015
Classificação etária: 14 anos
Lançamento: Em Breve (Brasil)

TRAILER

Comente pelo Facebook

1 Comentário