NO LIMITE DO AMANHÃ (Crítica)

NO LIMITE DO AMANHA

3emeio

Por Carlos Pedroso

NO LIMITE DO AMANHA03

Doug Liman é um diretor/produtor de estúdio, e isso todo mundo sabe. E apesar de suas limitações cinematográficas (e mesmo narrativas), eu sempre gostei muito da agilidade dele na introdução da saga de Jason Bourne, em A Identidade Bourne, e até naquele remake de True Lies com a Angelina Jolie e Brad Pitt, o Sr. & Sra. Smith. Diretor que sabe extrair do elenco e da ação a matéria prima do entretenimento, Liman é um artesão como poucos em Hollywood. Dito isso, é um tanto decepcionante vê-lo entregando em No Limite do Amanhã, novo longa estrelado por Tom Cruise e (a maravilhosa) Emily Blunt, seu trabalho menos inspirado.

NO LIMITE DO AMANHA01

Naquela velha trama sobre invasão alienígena, e a iminente extinção humana, temos Cage (Tom Cruise), um sargento tão covarde e cheio de si que, ao se recusar fazer parte dum confronto militar britânico por hemofobia, é forçado a vestir um traje robotizado num ataque a uma praia infestada por “filhotes” alienígenas. O problema de Cage se torna solução quando ele é contaminado pelo sangue de um “Alien azul” no confronto, o concebendo um tipo de poder sobre o tempo, o que o faz reviver inúmeras vezes aquele mesmo dia. Não há como negar que o enredo trás uma estratégia inventiva para a trama sobre invasão alienígena, e a irônia de um personagem do Tom Cruise se recusando a uma boa ação é a sutileza da inteligência da perspectiva de Liman sob o gênero, mas incontáveis são os erros e equívocos do roteiro para as situações criadas na medida que o filme constrói sua ideia, para além do apocalipse que só vemos pela sequência inicial já experimentada em dezenas de filmes (atuais). Não fosse a química instantânea de Cruise com Blunt, e sua consequente injeção de humanidade aos desejos e anseios daqueles personagens, pouco sustentável seriam as sequências desenfreadas de ação e o uso frenético do looping de tempo. Não que Doug Liman deixe de pontuar que esse se trata de um filme aos moldes de um blockbuster de ação, mas é que eu esperava ao menos uma explicação cênica um pouco mais palpável pra ele se desfazer tão facilmente de sua agilidade e naturalidade com os personagens e entregar um produto final tão regular quanto a didática usada pra explicar o enredo do mesmo.

Não mais que um produto moderadamente divertido, e um espetáculo à parte de Emily Blunt (melhor rosto feminino de ação desde Milla Jovovich), No Limite do Amanhã falha justamente por se ver como um mero produto. Subestimando sua própria capacidade quanto cineasta de estúdio e grande produtor que é, Doug Liman só me fez crer que cada desenho de cena realizado aqui é tão somente resultado de mãos alheias interferindo na visão de diretor pé no chão que eu tinha sobre ele.

NO LIMITE DO AMANHA02

SINOPSE

O tenente-coronel Bill Cage (Cruise) é um oficial que nunca viu um dia de combate quando é descaradamente rebaixado para uma missão suicida. Morto em alguns minutos, Cage agora se vê inexplicavelmente num túnel do tempo que o força a viver o mesmo combate brutal diversas vezes, lutando e morrendo de novo… e de novo.

Mas a cada passagem Cage melhora e se torna capaz de envolver os adversários com uma habilidade maior, ao lado da guerreira das Forças Especiais Rita Vrataski (Blunt). E, assim que Cage e Rita assumem a luta contra os alienígenas, cada batalha repetida se torna uma oportunidade de encontrar a chave para aniquilar os invasores.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Doug Liman” espaco=”br”]Doug Liman[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Alex Kurtzman, Dante Harper, Hiroshi Sakurazaka, Joby Harold e Roberto Orci
Título Original: Edge of Tomorrow
Gênero: Ficção Científica
Duração: 1h 53min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: 12 Anos

TRAILER

Comente pelo Facebook

3 Comentários

  1. Rafinha

    Fui assistir NO LIMITE DO AMANHÃ

    Ronaldinho Gaúcho foi o grande destaque do filme.

    A participação do craque, deu um toque de glamour EXCEPCIONAL AO FILME.

    Quem iria pensar que os dentinhos separados do craque estariam presentes junto com Ton Cruise hem?

    Pois é, a participação foi até BEM LONGA…

    Mas, na minha humilde opinião, o que mais chamou a atenção no filme, não foi bem o Ronaldinho Gaúcho, creio que, a maior atração foi, sem dúvida alguma, o GALVÃO BUENO.

    A voz que TODOS os Brasileiros gostam de ouvir, também marcou a presença ali…

    Já a Ivete? Bem, nem precisa falar aqui da apresentação dela na cena em que a bateria termina, né?

    CANTA PACARAI !!!!

    Por isso ela se chama Ivete e não Claudia Leite…Concordam?

    Se vc não gosta de filme que te faz PENSAR, na boa? CAI FORA !

    Gosta de nanopartículas?

    De física quântica?

    De tecnologia inatingível?

    Então vá assistir esse filme que ta bonzinho pacarai.

    • Estevan

      Cara! Que comentário genial. É exatamente isso!
      SEM MAIS!

  2. Nayanne

    Fato: “um espetáculo à parte de Emily Blunt (melhor rosto feminino de ação desde Milla Jovovich)”, meu Deus, quase infartei quando li essa parte!!! Não vou contra a matéria, afinal não posso ir contra quem acha que sabe sobre crítica de cinema, sou leiga nesse assunto.. mas sim, o filme é muito bom, e dá pra se divertir pra caramba com ele!!! Emily e Milla suas lindas<3