NORM E OS INVENCÍVEIS (Crítica)

Kadu Silva

O CUIDADO COM A NATUREZA COMEÇA DESDE CEDO

Não é de hoje que filmes de animação, buscam despertar nas novas gerações o interesse em cuidar da natureza. Norm e os invencíveis é mais uma dessa produções que tem como objetivo principal conscientizar os pequeninos sobre isso. E por falar neles, o filme tem uma linguagem bem infantil, simples de fácil entendimento, mas com algumas referências que deixa qualquer um (de idades variadas) encantando.

A trama é mais uma daquelas aventuras de redenção. Norm é um urso polar que tem o dom de falar com os humanos e por isso acaba sendo ao longa da vida taxado de diferente. Já adulto ele descobre que um empresário quer construir um condomínio de casas no polo norte, o seu habitat natural, fato que pode acabar com o “lar” dele e de seus amigos. É então que ele resolve ir para Nova York para tentar salvar sua terra natal da ambição desse empresário capitalista.

O roteiro do estreante Derek Elliott segue a manjada fórmula de filmes de redenção e aqui como já citei busca o tom mais infantil para a narrativa. O grande acerto do roteiro é usar as referências de outros filmes para fazer piada ou mesmo emocionar, para assim tentar fugir um pouco do óbvio, entre as produções que aparecem têm: O Rei Leão, O Senhor dos Anéis, e vários outros, mas sem dúvida o momento de lembrança ao filme Titanic é a melhor e mais criativa do filme.

O também estreante diretor em longas-metragens Trevor Wall, soube apresentar bem os principais personagens e utilizar da trilha sonora como instrumento a dar impulso na trama, existe um ritmo narrativa muito bom, que mantém o interesse do público do começo ao fim. No entanto, o filme pelo seu teor infantil se torna muito previsível e pouco engraçado, já que muitas das piadas são forçadas ou pouco criativas.

O grande mérito do filme é saber se comunicar de forma precisa com o público alvo, e principalmente trazer até eles uma mensagem sobre o futuro do planeta, através da conservação da natureza.

Vale destacar que é o segundo filme que assisti nos últimos dias, que introduz de forma ainda velada a questão da homossexualidade no universo de animação infantil (mas calma, religiosos, preconceituosos e família patrão, é algo muito sútil que poucas pessoas irão entender, mas que deveriam, enfim, pode assistir ao filme sem medo). Afinal ninguém se torna gay apenas vendo um, o importante desse movimento é que a nova geração seja menos preconceituosa e saiba aceitar a diversidade natural que o mundo apresenta.

Norm e os invencíveis é divertido, repleto de canções pop do momento, com bons personagens, com uma mensagem mais que importante, mas que infelizmente se torna mais do mesmo ao final de sua projeção.

NORM E OS INVENCIVEIS

SINOPSE

Norm e os Invencíveis conta a história de Norm, um urso polar que aprendeu a falar a língua dos humanos e por isso é deixado de lado pelos outros ursos. Quando as pessoas começam a visitar o ártico para fazer turismo, o ecossistema da região é colocado em risco. Então, Norm decide embarcar junto com seus amigos lemingues em uma grande aventura com o objetivo de alertar a população sobre os perigos da atividade humana no ártico. Com muita aventura e bom humor, o filme é diversão garantida para toda a família.

DIREÇÃO

Trevor Wall

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Derek Elliott
Título Original: Norm of the North
Gênero: Aventura, Comédia
Duração: 1h 30min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: Livre
Lançamento: 31 de março de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook