O FORMIDÁVEL (Crítica)

Elisabete Alexandre

Não é para criar uma expectativa irreal do filme, longe disso, mas não leve em consideração as baixas notas, tanto no IMDb (6,8/10) quanto no Rotten Tomatoes (5,4/10), de “O Formidável”, porque – peço perdão pelo trocadilho infeliz, mas que não poderia deixar de fazer – o mais novo filme de Michel Hazanavicius, diretor de “O Artista”, filme vencedor do Oscar de Melhor Filme em 2012, é de fato, formidável.

O Formidável é sobre um período de transição na vida de Jean-Luc Godard, famoso cineasta franco-suíço, um dos principais nomes da Nouvelle Vague e diretor muito aclamado pelos cinéfilos do mundo todo. Bem, talvez aí o motivo das baixas notas nos dois principais rankings online da sétima arte. Para quem não sabe separar a arte do artista (muitas vezes, me incluo nesse grupo), o longa pode deixar alguns fãs um pouco irritados. Louis Garrel, o Theo de “Os Sonhadores”, personifica, na ausência do verdadeiro, todas as manias, prazeres e desprazeres de Godard, e o faz incrivelmente bem. Acreditamos naquele Jean que vimos na tela, mais precisamente, nós adoramos odiá-lo. Já Stacy Martin, que deu vida a jovem Joe nos dois volumes de “Ninfomaníaca”, é Anne Wiazemsky, segunda esposa do cineasta e protagonista do seu filme “A Chinesa”. Aliás, foi durante as filmagens desse filme que os dois se conheceram e se apaixonaram. Além disso, Anne foi quem escreveu “Um Ano Depois”, livro no qual O Formidável foi baseado. Isso é bastante importante dizer, tudo é contado do ponto de vista dela, com certeza, se pudéssemos também ter a oportunidade de uma contrapartida da mesma história, Godard nos traria algo diferente, provavelmente, individualista. Jamais saberemos. Michel até chegou a enviar o roteiro do filme para ele, mas Jean não se pronunciou sobre o assunto diretamente.

O FORMIDÁVEL (Crítica)

A partir de 1967, o cineasta, favorável ao comunismo, queria mudar seu foco e começar a fazer cinema político, anarquista. Até então consagrado por obras que faziam as pessoas sorrirem, ele agora queria ter voz de revolução. Mas, como era de se esperar, sua nova ambição não foi muito bem aceita pelo seu círculo de amigos. Godard acabou excluído e temido pela sua própria gente, inclusive a esposa, que disse não reconhecer mais o homem com quem havia se casado. Apesar do tema dramático, o filme é uma comédia bastante leve, divertida e muito engraçada. Há várias piadas sutis, detalhes que parecem bobos à primeira vista, mas que fazem toda diferença, como as várias e sequenciais perdas trágicas dos óculos de Jean-Luc. Michel, que além de dirigir, escreveu o roteiro adaptado, utiliza-se de alguns recursos específicos durante o longa, deixando uma assinatura única. Um, em específico, pode até não ser bem recebido por alguns, que é mostrar, com legendas, o que se passa na cabeça dos personagens. Mesmo sendo atípico, a forma como foi empregado o recurso só deixou o filme ainda mais atraente.

Imagino a coragem de um cineasta e todas as implicações envolvidas para se fazer um filme biográfico sobre um personagem de imenso peso cultural, como Godard, e que ainda está vivo! Michael foi magnífico em desenvolver a empatia entre nós, observadores, e protagonista. Apesar disso, mesmo sendo também um ser humano político, os fãs de Jean-Luc Godard que me perdoem, mas ele é realmente muito difícil de suportar, só transformando tudo numa grande e boa comédia mesmo.

Pôster de divulgação: O FORMIDÁVEL

Pôster de divulgação: O FORMIDÁVEL

SINOPSE

Após terminar seu longo e famoso relacionamento com a sua musa Anna Karina e em meio à fase revolucionária de sua carreira, o célebre diretor e escritor Jean-Luc Godard (Louis Garrel) inicia a produção de seu mais novo filme: A Chinesa, longa que narra a história de um grupo de jovens que tentam incorporar princípios maoístas ao seu cotidiano político. Durante as filmagens, ele conhece Anne Wiazemsky (Stacy Martin) e, logo, os dois se apaixonam.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Michel Hazanavicius” espaco=”br”]Michel Hazanavicius[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Michel Hazanavicius
Título Original: Le Redoutable
Gênero: Comédia
Duração: 1h 47min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 26 de outubro de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook