O HOMEM MAIS PROCURADO DO MUNDO (Crítica)

O HOMEM MAIS PROCURADO DO MUNDO

Nacionalismo Americano Elevado

Desde que os EUA foram surpreendidos com os ataques em 11 de setembro que Hollywood vem produzindo vários filmes sobre o tema. E a moda ultimamente é mostrar como ocorreu a captura de Osama Bin Laden, considerado o principal responsável pelos ataques.

Nesse projeto O Homem mais Procurado do Mundo, vemos o serviço de inteligência dos EUA trabalhando para descobrir o esconderijo onde estaria Bin Laden, a preparação de uma equipe especializada e posteriormente como aconteceu sua morte e a captura.

O roteiro é simples e direto, não apresenta nenhum tipo de criatividade, a trama transcorre de uma forma onde há na utilização de vídeos reais, uma busca por colocar tal registro como real, transformando essa ficção em um documentário ficcional. Existem ainda depoimentos dos personagens durante a narração da ação da captura que ressaltam ainda mais essa intenção.

É inegável que há uma ótima trama sendo contada e isso resulta em atrair a atenção do público, principalmente na forma como é contada a história, afinal tudo sugere que vai acontecer algo muito importante em breve, portanto essa expectativa é fundamental para isso. Durante toda a projeção esse clima permanece na narrativa.

O problema é que o diretor não tem criatividade suficiente para mostrar toda essa preparação no decorrer da narrativa. Por exemplo, antes do ataque em si vemos que a equipe que captura Osama Bin Laden é pequena e seu líder é inseguro, principalmente após a perda de um dos seus soldados em uma missão e ainda que ele também sofre por ser jovem e alguns de seus comandados não aceitam receber ordem dele. A ideia era mostrar que apesar do feito heroico aqueles soldados eram seres humanos comuns, com defeitos como qualquer um. Mas o diretor John Stockwell é muito didático nessa intenção e tudo passe sem causar na plateia a verdadeira empatia pelo grupo, sem contar ainda que não conseguimos conhecer de forma “correta” a personalidade dos personagens.

HOMEM01

Stockwell não sabe ao certo se vai dar foco na missão em si ou colocar uma lente de aumento na intimidade do grupo, que a meu ver seria o ideal – ele vai e volta nas duas frentes durante todo o filme, prejudicando o melhor entendimento do contexto geral.

Outro problema acontece no clímax final que se desenrola de forma muito rápida e sem grande impacto. Além disso, o diretor opta por capturar a trama como se fosse um jogo de vídeo game, e isso não resultou na melhor forma de mostrar o ataque, visualmente ficou muito confuso.

No elenco não vemos ninguém que se destaque, mas todos estão ok, a que mais consegue uma atração maior do público é Kathleen Robertson, bem simpatia no vídeo, mas fica nisso.

A montagem e a trilha sonora principalmente, me lembraram a serie Prison Break, isso ficou ainda mais acentuado pela participação de alguns atores que participaram da série.

O Homem mais procurado do mundo infelizmente não funciona como documentário, não funciona como filme de guerra, não funciona como um perfil dramático dos soldados envolvidos, não funciona como suspense estratégico, mas ainda assim consegue passar a mensagem pretendida. A dica é para esperar para conferi-lo em DVD, para os interessados no assunto espere o lançamento do filme A Hora mais escura que pretende ser mais interessante no contar da trama.

DESTAQUE

Apesar de gerar crítica do púbico não americano, um ponto que acho importante no filme é a forma como o nacionalismo americano é elevado. Acredito que uma nação que tem a população apaixonada pelo país em que vive, deixa tudo mais fácil de ser resolvido e conquistado – inveja! – o Brasil poderia se espelhar um pouco nisso.

SINOPSE

A CIA realiza uma operação conjunta com os SEALs, as forças especiais do exército norte-americano, que estão em pleno Paquistão. O grupo está atrás de pistas que possam levá-los à localização do inimigo número um dos Estados Unidos: Osama Bin Laden, considerado o mentor dos atentados terroristas ocorridos em território americano em 11 de setembro de 2001.

HOMEM02

ELENCO

[do action=”cast” descricao=” Cam Gigandet (Stunner)” espaco=”x”]01 Cam Gigandet[/do][do action=”cast” descricao=” Anson Mount (Cherry)” espaco=”x”]02 Anson Mount[/do][do action=”cast” descricao=”Kathleen Robertson (Vivian)” espaco=”x”]03 Kathleen Robertson[/do][do action=”cast” descricao=” Robert Knepper (Lieutenant Commander)” espaco=”br”]04 Robert Knepper[/do]

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”John Stockwell” espaco=”br”]John Stockwell[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Kendall Lampkin
Título Original: Seal Team Six: The Raid on Osama Bin Laden
Gênero: Ação, thriller
Duração: 1h 27min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 14 Anos

TRAILER

2estrelas

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Gpax

    Não assista. É horrível e sem contexto histórico. No filme, hansa BIn Laden está velho e é confirmado como morto pela CIA. Na época ele tinha apenas 10 anos, e hoje, com 26 anos é apontado como o provável líder Da alqaida.
    Vale a pena assistir ao filme “a noite mais longa”, que tem a mesma temática e é fiel aos fatos.