O JULGAMENTO (Crítica) | Mostra SP

O JULGAMENTO

3emeio

Por Kadu Silva

Quando o destino leva ao acerto de contas

O JULGAMENTO03

Existe uma crença popular que diz, “que aqui você faz, aqui você paga”. Pensando nisso Stephan Komandarev (Dog’s Home) narra uma trajetória dramática de um homem que pecou e mesmo 25 anos depois, ainda sente o peso de seus atos em suas costas.

O homem é Mityo (Assen Blatechki) um pacato cidadão de uma vila interiorana da Bulgária, que ao longa de sua trajetória perde tudo que mais dava valor na vida, a mulher, o trabalho e a confiança do filho. Quis o destino, leva-lo de volta no cenário de suas piores lembranças. Um resgate que pode trazer de volta parte do que ele perdeu.

O roteiro de Emil Spahiyski, Marin Damyanov e Stephan Komandarev cria um ambiente de extrema decadência, seja na cidade, na casa e principalmente em sua relação com o filho. O fundo o poço é cada vez mais profundo e desagradável. A grande sacada do roteiro é exatamente deixar no ar, a dúvida, no que levou um homem esforçado e aparentemente “boa praça” a passar por tantas lamentações.

O diretor espertamente ao longa da projeção, induz o espectador a creditar tal sofrimento a coisas que minutos depois, damos conta que não é o principal problema, do personagem. Komandarev convida a plateia a participar mesmo que de longe dessa história e somente no final é que o véu que escondia esta dúvida começa a ser erguido.

O JULGAMENTO01

E o termo “destino” é perfeitamente encaixado na escolha do desfecho da trama, já que tudo “conspirou” para que voltasse para o inicio do trama do personagem. E como diz também o titulo do filme, foi o momento do personagem passar pelo julgamento a fim de pagar pelos seus pecados.

Mesmo com todas as boas intenções e sensibilidade, o filme peca em não conseguir um maior envolvimento na narrativa. Talvez pelo peso no tom da decadência. Tudo é melancólico e triste ao extremo, da trilha sonora a palheta cromática. Nada sugere esperança e luz na tela. Todos os dias retratados no filme, chove, cai neve ou está nublado, é tudo muito cinza.

Até os atores principais Assen Blatechki que faz o Mityo e Ovanes Torosian que faz o seu filho Vasko, estão sempre com a expressão de tristeza, ainda que esteja num momento que poderia estar felizes. Por falar neles, ambos conseguem excelentes resultados em suas performances, a química é perfeita de pai e filho.

O Julgamento não é um filme fácil. Ele requer uma imersão ao fundo do poço com seus personagens, para que absorva por completo a sua história.

O JULGAMENTO03

SINOPSE

Mityo e seu filho Vasko moram numa área pobre, próxima à fronteira entre a Bulgária, a Turquia e a Grécia. Mityo perdeu tudo o que tinha de mais valioso – a esposa, o trabalho, a confiança do filho. Para conquistar o filho novamente, ele terá que buscar o seu perdão e pagar por um pecado que cometeu há 25 anos.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Stephan Komandarev” espaco=”br”]Stephan Komandarev[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Stephan Komandarev
Título Original: Sadilishteto
Gênero: Drama
Duração: 1h 47min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: 14 Anos

TRAILER

Comente pelo Facebook

1 Comentário