O Predador (Crítica)

Kadu Silva

Reativando a franquia com sucesso

Apresentado para o público nos anos 80, o Predador praticamente de década em década sempre teve um filme nos cinemas. Oito anos depois do último longa, Predadores (2010), chega aos cinemas “O Predador” que a princípio seria um reboot, mas Shane Black conseguiu desenvolver uma história que faz a ligação com as outras obras de forma muito precisa.

Nesse filme Rory (Jacob Tremblay), acaba ativando um dispositivo que traz para Terra um predador ainda mais forte e inteligente. É então que Quinn (Boyd Holbrook), o pai de Rory, alguns ex-soldados e uma cientista se juntam para lutar contra essa ameaça que pode por fim a raça humana.

O roteiro do também diretor Shane Black (Dois Caras Legais), acerta ao conseguir criar um enredo que justifique um novo filme para a franquia, o problema é que Black cria um texto fraco, homofóbico, machista, que não consegue desenvolver bem alguns personagens e de forma geral o enredo é pautado em clichês em demasia. Além disso, a dosagem do humor é equivocada, servindo em alguns momentos como obstáculos para a narrativa fluir e encontrar o suspense que a história se propõe.

O Predador (Crítica)

Com uma condução sem norte, onde não sabemos se é para ver o longa como uma grande piada ou como uma história que se leva a sério, Shane transforma o filme, principalmente no terceiro alto numa trama de super-herói no estilo Marvel, inclusive a trilha sonora remete a uma obra do gênero, o que não seria um problema, mas com isso ressalta uma certa falta de identidade na direção.

Mesmo com um elenco com nomes de peso e que estão na maioria muito bem em seus papeis, Jacob Tremblay (O Quarto de Jack), rouba a cena toda a vez que está na tela, o carisma, o tom dramático são algumas das qualidades que ficam evidentes com sua participação no longa, sua presença é tão forte e marcante, que ela contribui para elevar a qualidade do filme.

Tecnicamente o longa tem um acabamento impecável, principalmente nos efeitos visuais que ao comparar aos anteriores é notável a atualização do recurso. Ainda falando sobre a parte técnica, o 3D é algo dispensável.

Vale destacar a coragem do uso do gore (violência explicita) no filme, algo que aqui no Brasil colocou o filme com a classificação 18 anos, mas para a proposta que visava resgatar o olhar nostálgico dos filmes de ação dos anos 80, foi algo muito acertado.

Ou seja, apesar de algumas escolhas questionáveis, o filme consegue trazer uma trama envolvente, com narrativa moderna e com cenas de ação bem realizadas, portanto o público que busca um entretenimento puramente dito vai certamente se divertir com o longa.

O Predador entre seus erros e acertos apresenta uma boa história para servir como um combustível para reativar a franquia por muitos anos.

Pôster de divulgação: O Predador

Pôster de divulgação: O Predador

SINOPSE

Um menino ativa o retorno dos predadores, agora mais fortes e inteligentes do que nunca, para a Terra. Ex-soldados e um professor de ciências se juntam para lutar contra essa ameaça e proteger o futuro da raça humana.

DIREÇÃO

Shane Black Shane Black

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Shane Black
Título Original: The Predator
Gênero: Ação, Ficção científica
Duração: 1h 47min
Classificação etária: 18 Anos
Lançamento: 13 de setembro de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook