O PREDESTINADO (Crítica)

O Predestinado

4emeio

FICHA TÉCNICA

Título Original: Predestination
Ano do lançamento: 2014
Produção: EUA
Gênero: Ficção científica , Suspense
Direção: Michael Spierig, Peter Spierig
Roteiro: Michael Spierig, Peter Spierig
Classificação etária: 14 Anos

Sinopse: Um agente temporal (Ethan Hawke) encara sua última missão após anos de viagens no tempo caçando criminosos e executando a lei. O desafio final será finalmente capturar seu inimigo mais desafiador, o homem que há muito o intriga e ludibria.

Por Jason

O PREDESTINADO02

O curioso filme australiano O predestinado traz um policial temporal, um homem que viaja no tempo para solucionar casos difíceis e que estava em um caso envolvendo um terrorista, o chamado “Detonador Sussurrante”, quando foi ferido gravemente. Depois de quase morrer – ele tem seu rosto desfigurado em uma explosão, sendo praticamente trocado numa cirurgia – ele ganha o rosto de Ethan Hawke e é então dispensado das atividades. Vivendo como um dono de bar, ele recebe a visita de um estranho rapaz, John, que começa a lhe contar a sua história de vida. John era, na verdade, uma menina, Jane. E essa é só a primeira das inúmeras surpresas que essa ficção vai trazer dali em diante.

Jane nasceu hermafrodita e foi abandonada ainda recém nascida na porta de um orfanato. Era muito inteligente e forte, mas muito discriminada pelas outras crianças. Os interesses em física, matemática e astronomia a levam a ser requisitada por uma agência espacial de fachada. O problema é que ela acaba conhecendo um rapaz e engravida. Após o parto, os médicos precisam, graças aos ferimentos da cirurgia, operar Jane para que ela tenha apenas o sexo masculino. A filha dela é sequestrada e desaparece, assim como o pai da menina. A partir daí, ela se transforma, adotando uma postura masculina. Após conhecer o agente, ele lhe diz que há como resolver toda a sua situação retornando no tempo. Os dois assim fazem, mesmo o agente sendo avisado de que as viagens no tempo podem causar psicose e demência aos viajantes quanto maior for a frequência delas.

O PREDESTINADO01

Ao retornarem, porém, é criado um paradoxo temporal infinito envolvendo todos eles, já que o agente encontra sua versão antiga e Jane a sua versão mulher, retornando os fatos como eles ocorreram (John se envolve com Jane, sendo eles a mesma pessoa e ambos tem um filho, uma menina, que é a própria Jane). Daí em diante, uma série de revelações e reviravoltas acontecerão e que vão culminar em um final no mínimo incrível e inesperado. Basta dizer que O predestinado é na verdade a história de uma única pessoa e suas várias versões se encontrando em lapsos temporais.

O filme é baseado no conto “All you zombies”, publicado em Março de 1959, que mostra um jovem que é ao mesmo tempo sua própria mãe e seu próprio pai graças a um paradoxo temporal. É feito com poucos recursos e poucos atores, lembra um tanto Looper e mais distante, Cloud Atlas (no sentido de que as ações do passado refletem no presente e refletirão no futuro, onde tudo está interligado como numa colcha de retalhos), mas funciona melhor do que estes e principalmente a partir do segundo ato. Não é por ser independente aliás, que não se destaque em matéria técnica, como a cenografia: os três tempos são mostrados de formas, cores e luzes diferenciadas, o que ajuda no entendimento do tempo para o espectador – a corporação que convida Jane, por exemplo, na década de 60, parece saída de uma capa de revista de ficção da época. O futuro é sombrio e o ambiente da agência pequeno mas bem iluminado. Observa-se também a mudança de tom na fotografia, do pastel ao mais sombrio, e nos figurinos, com um resultado muito interessante ao auxiliar a narrativa.

E se Ethan aqui dá o seu recado, é Sarah Snook a responsável por carregar o filme nas costas. Suas duas versões, uma feminina e masculina, são completamente diferentes entre si, mesmo que guardem ali e acolá os mesmos lapsos de personalidade. É como se John, sua versão masculina, resultasse num tipo de evolução de Jane, o que é uma revelação, em se tratando de uma atriz pouco conhecida e que tem aqui a oportunidade de se mostrar capaz e talentosa. Sarah mostra total domínio de cena. Deve-se, contudo, descontar os deslizes, já que o filme demora quase uma hora a engrenar e Jane perde muito tempo explicando seu passado em flashbacks (quando o filme deveria apenas retornar no tempo e deixar a narração OFF de lado para o próprio espectador ir tirando suas conclusões e conhecendo a sua história de vida). No terceiro ato, o roteiro acaba sendo reduzido e conclui de maneira rápida, mas sem perder o impacto e a genialidade.

Vale a pena conferir.

O PREDESTINADO03

TRAILER

Comente pelo Facebook

68 Comentários

  1. Vera Falcão

    A crítica está muito boa, bem detalhada, mas acho que aqueles que ainda não assistiram ao filme não deveriam lê-la, porque revela muito da trama. Gostei porque já vi e fui confirmando o que entendi da história. Baita filme, quem curte FC deveria assisti-lo. A atriz é fantástica, quando tornou-se homem ficou muito parecida com o Leonardo di Caprio, quando entrou no bar pensei que era ele! rs Ethan sempre um ator correto. E também curti saber que o filme foi baseado num conto escrito em 1959, o clima todo me lembrou muito as histórias de Philip K. Dick.

    • Nilton Lenz

      Impressionante! Eu via o filme com meu filho e na hora eu disse: “Leonardo di Caprio”, mas não era… E sim, concordo contigo: quem não viu o filme, não deveria ler a crítica completa. No mais, um excelente filme.

  2. Loeb

    Só uma correção, Ethan Hawke no inicio do filme não era dono de bar desempregado, era empregado do bar e estava à serviço de sua agencia. Conhecer o seu “eu” e providenciar o paradoxo é na verdade sua última missão, e nesse meio tempo ele realiza um salto ilegal, provocando um lapso em que há 3 dele próprio (momento este retratado parcialmente no início do filme). Só quando concluída a missão Ethan Hawke é dispensado.

    • bruno

      me tiren uma duvida, o bebe colocado na porta era ele mesmo? fiho dele com ele mesmo?se for como ele surgiu a primeira vez?pois para vc voltar a um passado e comer vc mesmo,vc tem que surgir de algum lugar.

      • Antonio

        Hehehe, realmente, essa teoria sua já botou o filme abaixo…o cara volta no tempo (sem lembrar que era hermafrodita), se come e emprenha a si mesmo(a)!?!?! Mucho loko!

      • Thiago Castro

        Por isso que na cena do bar, ele pergunta pro John no que ele achava que vinha primeiro: o ovo ou a galinha. Genial. Aliás, o filme trata justamente de paradoxos, então sua questão perde a importância, pois essa é a essência do paradoxo.

        • Alisson

          Como ele diz no começo “quem veio primeiro o ovo ou a galinha?” Ou seja essa já é a pergunta que o filme deixa no ar…

  3. Thiago

    Bruno, é o Lapso Temporal, a partir do momento que o primeiro de todos viaja no passado e o altera, tudo se distorce e muda de acordo com o que o viajante fez… É complicado te explicar por palavras, mas eu consegui entender muito bem.

    • Thiago

      E respondendo a outra questão, a partir do momento que eles se trombam na faculdade ( nao sei o que era aquilo) ele ja reconhece que ele mesmo fez aquilo, porém não consegue resistir e assim o ciclo se fexa formando um Paradoxo, o termo que o cara usou … “Uma cobra seguindo o proproo rabo pela eternidade”. Não me lembro se foi exatamente esse termo.

    • Marcio

      Mais esse “primeiro de todos” que vc diz que volta e altera todo o passado da onde ele surgiu, qual sua origem, a ideia original nasce de alguma coisa, de um inicio, na primeira vez como ele poderia existir, sendo fruto dele mesmo, pense nisso.

      • carlos

        Eh justamente isso. Nós temos uma definição linear de tempo. Mas o tempo é multilateral. Nao existe passafo, presente e futuro, apenas percepções distintas. O seu eu de 1min atras, continua a existir no “passado”.

        • Vinicius ramos

          Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?

          • rinilu

            o ovo, dinossauros ja botavam ovos, a galinha so apareceu bem depois …

      • Jeanne

        Me faço essa mesma pergunta: Mesmo o cara sendo filho dele mesmo para ser ele tem que ter saído de algum lugar. Não tem como. O filme é bom, nos leva a pensar, mas não tem lógica até porque para ele estar no futuro, voltar, ficar com ele mesmo e nascer dele mesmo tem que ter um início.

      • Marcio

        TENTAREI. EXPLICAR o paradoxo
        .
        Imagine-se no lugar do personagem. Mulher no passado, HOMEM no futuro. NASCida ÓRFã, ABANDONADAna porta de um ORFANATO por um PAI e uma Mãe DISTintos,
        Mas se VOCÊ puder voltar no tempo e tiver um filho com o seu EU mais jovem, biologicamente terá um clone de VOCÊ mesmo, já que o filho RECEBE a herança GENÉTICA metade do pai e METAde da mãe, que SÃO a mesma pessoa.
        EntÃo, basta colocar a CRIANÇA na porta do ORFANATO no lugar da original e esta PRIMEIRA morrerá, pois ninguém a criará.
        A partir de ENTÃO o ciclo fica eterno, onde VOCÊ precisar colocar a si MESMO eternamente no ORFANATO para existir.
        Logo, O PARADOXO FOI CRIADO POR ELE MESMO.

  4. Thiago

    O primeiro de todos sempre deixava um gravador por onde passava, dando “missões” para ele mesmo, fexando o ciclo e criando os paradoxos.

    • Marcio

      …mesma coisa nesse caso Thiago como o “primeiro de todos” poderia deixar os gravadores, como ele poderia existir para deixar os gravadores, como ele poderia ter sido gerado por ele mesmo se ele era o primeiro de todos? isso é igual o paradoxo da escada infinita, não tem como se sustentar.

      • Andre

        Mas por isso se chama paradoxo, não tem um ponto inicial. Seria a mesma coisa, “quem criou o mundo? Deus. E quem criou deus?”

        • Filipe

          Eu penso assim, Deus pode não ser exatamente um pessoa suprema ou algo transcendente e talz, ele pode ser o próprio tempo, a gravidade, a natureza a energia em fim… a gente não tem como dizer …

  5. Rick

    Na verdade é um erro na minha opinião e ele brinca com seu próprio erro fazendo piada do ovo e da galinha quem vem primeiro, pelo menos é a minha opinião.

    • WALLISON

      Acho que ocorre 2 finais diferentes o que ele mata ele no final e o que ele não mata pq o final ele (terrorista diz que ja passou por aquilo e os dois JUNTOS salvaram muitas vidas ) na minha opinião quando ocorre isso eles criam a corporação e ele mais jovem vira chefe do chefe dele fazendo com que o chefe dele providencie a “porra toda” se o chefe dele nao for ele tbm , bem é que eu acho que acontece.

  6. Thiago

    muito spoiler

  7. Samuel Góes

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK GALERA TENTANDO COMENTAR O QUE NÃO PEDE COMENTÁRIO…EXPLICAR O QUE É PURA FICÇÃO E IMAGINAÇÃO DE UM ESCRITOR, COMO SE O ESCRITOR TIVESSE UMA RAZÃO MATEMÁTICA PRA FAZER O LIVRO E OS DIRETORES TIVESSEM A REPRODUZIDO…QUANTA BESTEIRA…O FILME É BOM, MAS NÃO REQUER EXPLICAÇÃO…É UMA OBRA ABERTA…CADA UM É OBRIGADO A ENTENDER COMO QUER, ESSA É A ESSÊNCIA DO FILME.

  8. Samuel Góes

    O QUE EU QUIS DIZER É QUE NÃO HÁ NADA MAIS BURRO E DESNECESSÁRIO DO QUE TENTAR DAR UMA LÓGICA EXPLICAÇÃO PARA UM FILME COMO ESSE….

  9. Hugo

    Filme nojento e ridículo!

    • Sam

      Ridiculo mesmo Hugo, nojento a pessoa tendo filho com ela mesma, parece até reencarnação que vai viajando no tempo fazendo as besteiras, odiei, não me acrescentou nada!

      • Ivan

        Filme é entretenimento, nada além, aliás, é este filme um Sci-Fi. Preciso dizer algo mais? Se você quer assistir filmes para acrescentar, meu amigo, então assista vídeos de auto-ajuda. O Filme é sensacional. Deixa essa dúvida e todo esse paradoxo fritar nossos cérebros.

      • Abu

        Poxa precisa lê mais ter um pouco mais de cultura, acredito que ele e ela tinha medo de compreender sua origem, por isso que criou a viagem temporal para que eles entender e criar uma nova raça Humana melhor mesmo principio de Adão e Eva.

  10. gaby

    Não existe o primeiro de todos, porque o filme é uma constante viajem no tempo. O passado, presente e futuro estão acontecendo no mesmo tempo, portanto ele nasceu dele mesmo com ele enquanto mulher aí a partir do momento que ele nasce, ele já existe no futuro, fazendo essas missões: deixando gravadores, buscando ele enquanto bebê e etc… logo ligando acontecimentos da vida dele.

  11. jose

    tah legal, agora dps de ter assistido tudo e muito bem so me restou uma duvida, ELE MATAR ELE MSM OU NÃO MATAR ELE MSM, O QUAL SERIA O DESFECHO, ELE DEVERIA TE-LO MATADO, POIS COMO O SEU EU MAIS VELHO DISSE EU JA PASSEI POR ISSO E SE ME MATAR VAI SE TORNAR O QUE EU SOU…..ENTÃO E SE ELE NÃO O MATASSE….

  12. Lelia

    Então galera acabei de assistir ainda estou meio tonta kkk . Um paradoxo bem complexo mas achei genial o filme curti muito o desenvolvimento dos personagens. Ele (a) era o algoz e vítima da sua própria vida o tempo todo. Ele(a) se amava e se odiava ao mesmo tempo uma sacada genial além de todo enredo criado. Claro que para existir um paradoxo temporal bizarrices surgem como você fazer um filho em si próprio. Mas acredito que no final ele se matando o paradoxo deveria ter terminado não???? A que outro agente que era o superior dele não fez nada para alterar o paradoxo??? Enfim só fiquei com esses questionamentos…

  13. francisdavis08

    A vida nunca dá toda as respostas que queremos Quem veio primeiro o ovo ou a galinha? Como a vida surgiu? Qual o sentido dela? O filme tbm deixas essas mesmas questões.

    Tudo aquilo acontece (voltar no tempo, engravidar a Jane, entregar o bebê) era para o personagem do Ethan Hawke ter mais uma chance de pegar oTerrorista Tolo, pois a agencia o abrigou a se aposentar. A única forma de ter mais essa chance era fazer a jovem Jane do passado viver todo aquele sofrimento até se tornar no melhor agente temporal (Ethan Hawke), pq ele tbm passou por isso.

    Ou seja, esse é o destino dele, o OBJETIVO, ele é PREDESTINADO. Eu posso até ver uma certa mensagem nesse filme: Todos nós precisamos de objetivos para poder correr atrás. Se não tivéssemos sonhos e/ou objetivos, a vida não seria vivida de verdade.

    Quando vc não tem nada a almejar vc fica largado sem vida, vazio (como a Jane
    do bar).

  14. gaby

    José se ele não o matasse não teria salvo as pessoas que ele matou naquele dia que é um dos objetivos do filme tentar impedir o que aconteceu em 1975 (se não me engano era essa a data), e acredito que ele fala pra não matar que transformaria nele depois, é porque ele queria que os dois se ficasse unidos

  15. Carlos

    Como fazer uma crítica dessas cheia de spoillers sem alerta?
    Muito noob! Estragou o filme pra mim.

  16. junho

    Este filme nem um paradoxo, esta totalmente errado, si ele era mulher voltou no tempo e teve um bebe esta criança não pode ser ele mesmo seria o filho dele ou dela o erro esta ai, para criar um paradoxo ele teria que ter voltado no tempo e ter engravidado a mãe dele, mas ele engravidou ele mesmo e nasceu uma criança não tem como ele se transformar na criança erro total, é só pensar um pouco se vc fosse um hermafrodita e seu esperma penetra-se no seu próprio útero nasceria uma criança que não é vc mas seu filho.

    • Wesley

      Isso é impossível, mas como é ficção, eu acho que se vc engravidar vc mesmo cria um clone, pq o DNA é idêntico… se pensar dessa forma acho que neh… se pá…

  17. Gus

    Esclarecendo a questão de como ele volta e de onde se origina, é bem óbvio, ele vem do futuro, então ele já sabe de tudo, por essa razão ele consegue voltar ao passado para corrigir o que suas próprias ações e escolhas causam ao seu futuro, suas viagens e sua forma de pensar, quando ele fala com ele mesmo no bar o seu eu (john) nesse ponto pensa como o terrorista, por isso ele tenta voltar atrás pra não se tornar o velho pirado do final do filme, essas viagens causam paradoxos emitidas por ele mesmo, por isso deixou mensagens explicativas para ele mesmo no passado.

  18. Rafael Oliveira

    O filme é muito bacana. A temática paradoxo temporal é muito batida, mas continua tão fascinante quanto sempre foi (p/ mim pelo menos)!

    Discutir paradoxo temporal é complicado, p/ mim a melhor explicação foi a de alguém acima que falou que o protagonista somente passa a existir no futuro quando ele mesmo se encontra no passado (a cena da trombada na faculdade).

    É uma situação quase igual a de John Connor em Exterminador do Futuro. O pai dele foi mandado por ele mesmo p/ o passado e concebeu ele no passado….como o 1º john mandou seu próprio pai ao passado p/ conceber ele? Essa é a mágica de “paradoxos temporais”…outro filme que explica muito bem os “futuros alternativos” em decorrência de paradoxos temporais é o clássico “de volta para o futuro”!

    Filme bem produzido e que nos dá muitos questionamentos para queimarmos os neurônios!

    P.S: acho que o pessoal está confundido os conceitos de sinopse e crítica…..crítica é uma OPINIÃO sobre o filme…impossível fazer uma crítica sem spoilers!

  19. Sergio

    Predestinação na Biblia quer dizer : um destino criado por Deus que você não tem como mudar ou evitar. Acho que essa é uma das mensagens do filme, mas creio que não cabe ficar analisando as ideias fantasiosas do escritor, é apenas um filme para entreter como já disseram aqui. Segundo a ciência a viagem no tempo só é possível na direção do futuro, e sem nenhuma possibilidade de volta, através das viagens espaciais longas, mas ainda assim precisaria alcançar velocidades praticamente impossíveis para o ser humano pela lei da física, portanto a realidade está muito longe da ficção científica do cinema. Não podemos voltar 1 segundo sequer.

    • Humberto

      PELAS TEORIAS ATUAIS, A VIAGEM NO TEMPO AO PASSADO SERIA POSSÍVEL SIM, SÓ QUE ELA SE RESTRINGIRIA AO LAPSO DE CRIAÇÃO DA MAQUINA DO TEMPO, O SEJA, O VIAJANTE SÓ PODERIA VIAJAR ATÉ A DATA DE CRIAÇÃO DA MÁQUINA DO TEMPO E NÃO ANTES POIS NÃO HAVERIA CRONOMETRO TEMPORAL ANTES DISSO. NO FILME ELE INFORMA QUE O LIMITE DE VIAGEM AO PASSADO NÃO PODE ULTRAPASSAR OS 51 ANOS (DATA DA CRIAÇÃO DA MAQUINA DO TEMPO)

  20. Welson

    Ainda há uma possibilidade que não vi ninguém analisando aqui: o personagem, esquizofrênico ou coisa que o valha, criou em sua mente a possibilidade de deslocamento temporal. Ou seja, a história seria apenas uma criação de sua mente…

  21. Diegoapsc

    E se, ao contrário do filme, o personagem mais velho matasse o mais novo na lavanderia, não fecharia o ciclo? Ou se ele não roubasse o bebê? Ele já não estava livre das missões do Departamento? Poderia escolher o que fazer, alterar seu passado e futuro…

  22. Joao

    Filme dificil de entender, mas interessante

  23. Jhon E Jane

    O filme é interessante, mas não chega aos pés do clássico (De volta para o futuro) o filme que explicar melhor o paradoxo do tempo.

  24. magu

    E em q parte ele começa fazer parte da agencia para voltar a primeira vez para c encontra com ele ou ela q e ele

  25. magu

    Poque ela que é ele foi rejeitado duas vezes na primeira sendo menina e na segundo como homem e ele teve q entrar na agencia para voltar a primeira vez pra dar o inicio a um paradoxo

  26. Douglas Tybel

    A explicação é que ele é a galinha.

    Agora quem veio primeiro? ele ou ele ?

    Como ele existe se precisa dele pra levar ele como bebe ao passado, ou mesmo precisa dele pra engravidar ele ? kkkk

  27. Gustavo

    Pessoal, o próprio nome do filme já fala, tudo já aconteceu e continuará acontecendo, como é dito no filme “uma cobra comendo o próprio rabo infinitamente”, existem vários fatos que ninguém aqui citou, o ciclo começa quando ele volta no tempo e deixa ele mesmo no orfanato, ele já sabia de tudo que iria acontecer, até o momento que mata ele mesmo na lavanderia, lembram que a maquina do tempo falhou e não desativou? quando ele fica velho e esquizofrênico, ele volta no tempo e se torna o terrorista. eu entendi que o filme mostra uma ideia de que a história já esta escrita, não tem como mudar nada. lembram que o chefe dele fala que o terrorista ajudou muito a organização? que sem ele, a organização não teria evoluído tanto? eu acho que o próprio chefe também já sabia de tudo.

  28. Paulo

    Alguém sabe dizer se a grande explosão aconteceu pelo menos uma vez? Se a história nunca foi alterada, a grande explosão nunca aconteceu, sempre foi evitada com o assassinato do John mais velho (terrorista). Se a grande explosão nunca aconteceu, como pode haver fotos dela? Faltou um esquema, no filme, para explicar isso. Talvez haja alguma explicação no próprio filme, mas como só o vi uma vez, achei que ficou faltando.

    • Paulo

      Quero dizer: pela tese da imutabilidade do ciclo, que para mim é o alicerce lógico, metafísico e até estético da história, não poderia haver fotos da grande explosão. Por outro lado, talvez meu erro esteja na premissa de que a morte do John terrorista (mais velho) teria evitado a explosão. Uma hipótese conciliatória seria a explosão ter sempre ocorrido. Neste caso o John recém aposentado, depois de matar sua versão mais velha, se sentiu compelido a executar o plano terrorista, como sugere sua última fala no filme, perpetuando intencionalmente o ciclo. Sou obrigado a ficar com a conclusão de que a grande explosão sempre ocorreu em 1975. Isto mantém a essência da história (ciclo imutável). Não sei se o filme deixa claro que não há como evitar a grande explosão ou se mantém a dúvida para manter a curiosidade do expectador. A impressão que tive, vendo o filme uma única vez, foi a de que o filme mantém a dúvida até o final. Só vendo de novo!

  29. Rodrigo Leal

    Ao que me parece, a história de como todo o paradoxo foi forjada ( que visivelmente não está no longa), gira totalmente em torno de um homem: Sr. Robertson.
    Jane esteve em seu Centro de Treinamento por muito tempo, foi testada de várias formas, identificada com início de psicose, ficou medicada e passou por diversos exames. Inclusive, uma das cenas do filme leva a crer que em um desses exames ela foi identificada como hermafrodita fértil para os dois sexos. E como quem assiste descobre é a característica biológica que permite o paradoxo.
    Depois de ver o filme a questão que fica com pontas soltas é: Como Jane (o bebê) apareceu no orfanato pela primeira vez?
    Bem, minha proposta ( que é unicamente isso, uma suposição), é que o Sr. Robertson [Que foi apontado pelo “Ethan do futuro” como culpado por tudo] na primeira linha do tempo levou um bebê hermafrodita para um orfanato após a descoberta da viagem no tempo e tudo mais, a fim de tentar forjar um paradoxo ( preciso dizer que esse trecho é puramente fantasioso, uma das dezenas de especulações que poderiam tentar explicar a situação, para isso ser possível, o Sr. Robertson que se encontraria com o bebê crescido, não seria como vemos no filme, mas sim, alguém ciente de tudo]. Este bebê viria a se tornar Jane.
    Ele a observou e quando ela cresceu ( sabendo de seus gostos pelo espaço e tudo mais),a atraiu para um Centro de Treinamento de astronautas e tomou medidas que levassem a Jane a se tornar John, seja fazendo a cirurgia nela de alguma maneira e a levando a acreditar em alguma estória, ou por outro meio equivalente. Assim, ele mandaria John para o passado para se encontrar com Jane {De quem Robertson possuía até mesmo o perfil psicológico, podendo perfeitamente presumir que a carência afetiva da mesma e demais traços a levassem a se relacionar sexualmente consigo, arbitrariamente implantada ali, gerando um bebê e um imenso paradoxo].
    Depois Robertson teria pego o bebê gerado por esses atos e feito o processo de deixá-lo no orfanato uma vez mais, o que faria com que a Jane que se envolveu sexualmente com o John, se tornasse o John que teria a alcunha de “Mãe Solteira” ( mas ainda não o que vemos no filme). Daí John viraria agente temporal e envelheceria aumentando sua psicose, durante anos salvando pessoas, se tornando aquele velho que por ter se apaixonado perdidamente por si mesmo e sob perspectivas do trabalho de salvar pessoas, teria se tornado o “Detonador Sussurrante”, a fim inicialmente de evitar tragédias do futuro e posteriormente ( quando caçado por si mesmo da linha do tempo do filme que assistimos) de se encontrar com ele na pele do Ethan que conhecemos no filme, a fim de ficarem juntos [Ps. O Ethan do futuro parecia já ter se encontrado na lavanderia e já ter se matado, além de ter ficado com a Alice do antiquário, provavelmente em uma linha do tempo inserida aí no meio da confusão em que ele escolheu viver uma vida normal, mas depois de se frustrar no relacionamento e se tocar da culpa do Robertson nisso tudo, começou com os eventos que o tornaram no Detonador]. Por causa de pequenas nuances que não se repetiram, o final é inconclusivo para afirmar qualquer coisa sobre o comportamento do nosso Ethan após matar o correspondente velho do futuro dele na lavanderia do filme. Tenho certeza de que cometi alguns erros nos tempos verbais das minhas colocações, mas essa é minha tentativa de justificar as coisas.

  30. Guilherme

    Este filme vai contra a 1ª lei da termodinâmica, mas como entretenimento eu gostei. hahaha

  31. Carlos

    Acho que é simples entender ,o agente temporal e a Jane/John eram a mesma pessoa, e o homem que o agente mata no final com tiros era ele mesmo mais velho (o que ele tinha se tornado), agora o que o filme não deixou transparecer muito bem é se na cena em que ele se fere e tem o rosto desfigurado e depois é feita a cirurgia ele está como Jane/John , não consegui identificar isso, se alguém conseguiu poderia comentar?

  32. Shadai

    Eu gostei do filme e principalmente do final WTF?!!!
    Não sei como alguém pode ter vaiado. (Só se não entendeu nada!)

  33. genesis

    No momento no instante em que mata a si mesmo e a cobra mordendo o rabo que termina e começa novamente e esse e o ponto de abertura de um circulo infinito e provavelmente de um destino escolhido ignorando a própria realidade tornando deus de si mesmo…E já mais iriamos descobrir o seu inicio da onde ele veio pois ele próprio mesmo ignorou, o filme mesmo e o decorrer de uma simples escolha o amor e o ódio de si mesmo de um circulo que não permite evoluir e o tempo se torna uma prisão criada na mente de alguém

  34. turman

    No momento no instante em que mata a si mesmo e a cobra mordendo o rabo que termina e começa novamente e esse e o ponto de abertura de um circulo infinito e provavelmente de um destino escolhido ignorando a própria realidade tornando deus de si mesmo…E já mais iriamos descobrir o seu inicio da onde ele veio pois ele próprio mesmo ignorou, o filme mesmo e o decorrer de uma simples escolha o amor e o ódio de si mesmo de um circulo que não permite evoluir e o tempo se torna uma prisão criada na mente de alguém

  35. Paula

    Affss acabei de assistir e vim pra internet procurar entender e ver se o que eu entendi está certo.
    Eu achei q o Ethan (ator) é o filho de “Jane/John”…
    Ou o Ethan é o John mais velho… aiii tô tonta…boiei

  36. Renan

    Eu brisei na ideia de que John é um produto da empresa “SpaceCorp”.
    Antes da aposentadoria, Mr. Robertson se despede de John, elogiando o terrorista e evidenciando o avanço da empresa com os serviços prestados por ele, aparentemente por saber o que poderia acontecer no futuro (velho John). Além disso, entrega ao John novas pistas do caso o qual, teoricamente, ele não participará mais (mesmo sabendo que o dispositivo seria desativado após a viagem de aposentadoria). E, por fim, na mesma cena (que é a que eu acredito que explica o filme), ele conforta o John dizendo que Jane não podia ter nada para poder conquistar muito.
    Ou seja, quem está criando o looping é o Mr. Robertson.
    Ele aparece nos momentos chave para dar diretrizes ao John e para moldar a personalidade do mesmo para que ele execute as ações as quais o looping (ou paradoxo) necessita para que não se quebre o ciclo.

  37. Guilherme

    Paradoxo não tem explicação lógica ou baseada na fisica que conhecemos até o momento. Por isso é paradoxo. Em um momento do filme o personagem diz “quem vem primeiro o ovo ou a galinha? E a resposta o galo. Nesse caso o galo é o proprio ovo. Por isso tentamos resolver de maneira lógica e racional (como fomos treinados para pensar) e alguns se dizem confusos, filme ruim, etc. etc. etc. Paradoxos nao tem inicio ou fim, mas existem e são tão reais quanto o ovo e a galinha (podemos ver e sabemos que existe) por isso jonh/jane pode ser gerado por ela/ele mesmo (sem um inicio) e ele/ela pode ter matado ela/ela sem um fim. O filme é fantastico pq explora esse problema insoluvel. Esse problema é de tão difícil solução que a humanidade criou a figura de Deus para tentar explicar isso. Mas essa já é outra história. Aproveitem o filme. É fantastico.

  38. Elnite

    Gostei do filme porque gerou uma série de questionamentos que faz a gente pensar, duvidar, tirar conclusões diferentes e, principalmente, se interessar em saber sobre as opiniões alheias. Adorei encontrar tantas críticas divergentes aqui neste site. Pessoalmente, indico o filme, realmente vale muito a pena assistir. Adoro filmes de viagem no tempo e a possibilidade de existirem universos paralelos é fantástica! No meu entendimento, os ciclos não têm início e nem fim definitivos, tudo se repete sem interrupção.

  39. Alexandre

    Sinceramente. Não acho que ficou confuso no final.
    Tratam-Se de 2 paradoxos.
    O primeiro é quanto ao nascimento dele mesmo. Um bebê que veio sequestrado do futuro passa a existir no presente. Independente de onde ele veio. Pode ter sido de uma realidade paralela.. uma outra dimensão temporal. Não importa.
    No momento em que o bebê aparece ele já passa a existir nesta linha temporal. Então, para esta linha temporal, de quem o bebê é filho não importa mais.
    O bebê cresce e se torna mãe, pai e raptor de si mesmo gerando um looping que não pode ser desfeito e que não tem mais uma origem determinada nesta linha temporal. Um primeiro paradoxo.
    O segundo paradoxo é para mim ainda mais complexo. Um homem descobre as viagens no tempo impulsionado por outro homem desconhecido. Quando percebe que seu destino é ser um policial do tempo, aceita o treinamento e em um trabalho na tentativa de evitar uma grande explosão acaba se ferindo. Com cirurgias ganha o mesmo rosto do homem que o apresentou a viagem no tempo e que lhe contou sobre o atentado terrorista. Depois de muito tempo ele se encontra com ele mesmo e entende o que deve ser feito já que já passou por aquele momento. Então o faz, e aproveitando o momento tenta finalmente evitar o atentado do qual fracassou. Mas fracassa novamente e neste momento se vê fracassar pela primeira vez. Aí entende que não poderá evitar o atentado e percebe que o atentado fez dele quem ele é e o ajudou a salvar milhares de vida. E no fim encontra a si mesmo, com uma ajudinha do sr. Robertson, percebendo que ele na verdade é o terrorista que provocou seu dois únicos fracassos.
    Mata a si mesmo mais velho e percebe que sua predestinação está definitiva.
    Enfim… percebam.. a questão não é o nascimento do bebê. Esse está fácil. A questão é o terrorista e o policial.

  40. Luciano

    Seus burrinhos, entendam uma coisa, o filme já começa em um paradoxo,looping temporal feito,ou seja já começa com o inicio, meio e sem fim…a trama e o desenrolar do filme é para ter a NOÇÃO do. Que esta acontecendo…capixe!!!!

  41. Eu heim????

    CREDO!!! o que as pessoas fizeram pra serem chamadas assim na lata de burrinhos???
    Só um TOLINHO presunçoso pode achar que sua opinião sobre um filme justamente sobre paradoxo seja a opinião definitiva e que vai terminar a discussão afinal tudo o mais que foi dito foi dito por burrinhos…
    Você bem poderia ser a Jane que de tão perfeita voltaria no tempo como um eu de calças só pra comer a Si própria e se amar porque no mundo não há ninguém MAIS tão perfeita e à sua altura…

  42. luciano martins

    a filha dela era ela mesmo ?

  43. Pedro

    SOMENTE O AUTO-EXTERMÍNIO COLOCARIA UM FIM NESTA HISTÓRIA, O QUE NÃO ACONTECEU. ISTO QUER DIZER QUE O ATENTADO VAI ACONTECER DO MESMO JEITO, POIS, EMBORA A RESULTADO DA VIDA DELE NÃO O AGRADASSE, PRINCIPALMENTE NO TEMPO DO JOHN, AINDA ASSIM FOI INEVITÁVEL QUE OCORRESSE O COITO COM ELE (A) PRÓPRIo (A), O QUE, TAMBÉM, PODERIA MUDAR O RUMO DA HISTÓRIA, TIRANDO O ELO DE LIGAÇÃO ENTRE PASSADO E FUTURO. CORTARIA A COBRA AO MEIO.

  44. Elton Barroso

    Li VÁrios comentários aqui e num monte de lugar. Nenhum colocou essa questÃo: na hora do confronto final, se o tiro é na propria cabeça (do mais novo), nao tem mais Bomba nenhuma… o mais velho desaparece aUtomaticamente, o futuro fica sem terRorista e sem o cacador de terrorista… A tela fica Branca e o filme acaba Kkk

  45. Gabriel

    Um erro que relatarem é, ele (a)não era nada de hermafrodita pois este nasce com os dois sexos, ele tinha órgãos masculinos internos e seu cromossomo era xy o que o caracterizava mais para homem do que propriamente mulher, já que o fato só foi descoberto após seu parto.