OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS (Crítica)

Kadu Silva

Um olhar familiar sobre o holocausto

Se existe um assunto que parece não ter fim no cinema, é o período negro do holocausto, pelo menos um filme no ano traz um olhar novo (ou não) sobre esse fato. Os Meninos que Enganavam Nazistas é uma visão intimista sobre como essa terrível passagem histórica afetou os rumos de uma família na França.

No filme os irmãos judeus Maurice (Batyste Fleurial) e Joseph (Dorian Le Clech) embarcam numa “aventura” perigosa para fugir dos nazistas que invadiram a França, eles apesar da adversidade ao longa da jornada, se mostram inteligentes para escapar do perigo que os cercam. A dupla tem como missão sobreviver e tentar unir novamente a família.

O roteiro de Christian Duguay (A Cilada) é delicado ao mostrar a intimidade da família que precisa se separar para tentar somente viver, o olhar infantil sobre os fatos contribui para dar ao longa um tom quase de fabula diante do horror. Existe no roteiro um excesso de manipulação do sentimento do espectador para arrancar lágrimas, um fato desnecessário, já que a história por si só já é triste o suficiente, ainda assim, não chega a ser um incomodo ao longa da projeção.

OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS (Crítica)

Algo que é um pano de fundo da trama mas que se tornar o melhor momento do longa é o rito de passagem do personagem Joseph que está deixando de ser uma criança para se tornar um adolescente, esse acerto está muito atrelado a bela interpretação do ator.

O filme acaba se tornando um longa “Sessão da Tarde” que aborda um sério e triste fato histórico, mas ainda assim consegue mostrar que tais erros devem ser somente lembranças do passado, já que as consequências de uma guerra deixam marcam para o resto da vida.

O elenco está deslumbrante, principalmente o garoto Dorian Le Clech, que nos momentos dramáticos mostra todo seu potencial interpretativo, mas não só isso, seu carisma ganha a plateia logo de início e inevitavelmente ficamos na torcida para que seu desejo seja plenamente alcançado no longa da história, além disso, é deles a cenas que certamente deixaram seus olhos cheio de lágrimas.

Vale ressaltar as locações que são exploradas de forma brilhante por Duguay ao longa dessa jornada do herói, são locais do interior da França e da Itália que enchem os olhos.

Os Meninos que Enganavam Nazistas é delicado e ingênuo (no bom sentido) ao abordar um tema que podemos dizer já ser saturado no cinema, mas que precisa sempre estar em pauta para que nunca mais seja repetido na história mundial.

Pôster de divulgação: OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS

Pôster de divulgação: OS MENINOS QUE ENGANAVAM NAZISTAS

SINOPSE

Durante um período de ocupação nazista na França, os jovens irmãos judeus Maurice (Batyste Fleurial) e Joseph (Dorian Le Clech) embarcam em uma aventura para escapar dos nazistas. Em meio a invasão e a perseguição, eles se mostram espertos, corajosos e inteligentes em sua escapada, tudo com o objetivo de reunir a família mais uma vez.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Dorian Le Clech” espaco=”br”]Dorian Le Clech[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Dorian Le Clech
Título Original: Un Sac De Billes
Gênero: Drama
Duração: 1h 53min
Classificação etária: 12 Anos
Lançamento: 3 de agosto de 2017 (Brasil)

Comente pelo Facebook