PADDINGTON 2 (Crítica)

Kadu Silva

Gentileza, gera gentiliza!

Talvez seja apontado por alguns como um crítico politicamente correto demais, no entanto, quando você convive de perto com crianças, sua avaliação sobre as coisas muda demais, tudo porque as crianças são como esponjas, tudo que passa por elas é absorvido. E o filme Paddington 2 apresenta uma situação que para mim é um desserviço na educação infantil, colocar o protagonista numa prisão e o mesmo fugir dela é “ensinar” conceitos equivocados na formação de uma criança, ainda que ele tenha sido preso de forma errada, nada justifica usar da malandragem para solucionar os conflitos.

A sequência do filme inglês que mistura animação com live action, mostra Paddington adaptado com a família Brown e bem popular com a comunidade de Windsor Gardens. O simpático ursinho lembra-se do aniversário de 100 anos de sua tia Lucy e resolve encontrar um presente especial para ela, quando descobre na loja de antiguidades um livro com pontos turísticos de Londres, mas o tal livro é caro e ele precisa fazer os mais bizarros serviços para juntar dinheiro e comprar o presente, no entanto, o livro é roubado e Paddington é confundido com o ladrão e vai parar na cadeia, a família Brown tem que descobrir quem roubou o livro para tentar livrar Paddington da prisão.

PADDINGTON 2 (Crítica)

O roteiro de Paul King (Bunny e o Touro) e Simon Farnaby (Mindhorn), cria uma aventura entre o bem e o mal, com elementos de fabula, repleta de lições, sobre amizade, família e agradecimento, uma típica história de contos infantis de antigamente, ainda que possa soar como démodé tal formato, a mistura da animação com atores, apresenta um refinamento estético impressionante, parece em quase 100% do filme que o Paddington é um elemento real dentro das cenas.

O diretor Paul King (As Aventuras de Paddington) cria uma Londres ficcional, lúdica, quase tirada de um sonho utópico, obvio que isso vai de encontro com o olhar ingênuo do protagonista, que vê sempre o lado bom das coisas e por isso é capaz de transmitir bondade onde passa e assim contagiar todos a seu redor.

Com um texto infantil e com até certo ponto bobo, o filme acaba conseguindo encantar pelo teor de aventura e mistério, e principalmente pela construção de personagens muito carismáticos e marcantes, do fofo ursinho ao atrapalhado e caricato vilão Phoenix, tudo funciona nesse mundo lúdico criado pelos roteiristas. A montagem ágil e a fotografia colorida ajuda na empatia que vai de encontro direto ao olhar infantil.

Paddington 2 mesmo deslizando em soluções de conflito no arco principal, consegue encantar pelo jeito lúdico e encantador que desenvolve a aventura.

Pôster de divulgação: PADDINGTON 2

Pôster de divulgação: PADDINGTON 2

SINOPSE

Após ser adotado pela família Brown, Paddington ganhou muita popularidade na comunidade de Windsor Gardens. No aniversário de 100 anos de sua tia Lucy, esse simpático ursinho sai em busca do presente perfeito e acaba encontrando um livro único na loja de antiguidades do senhor Gruber. Paddington se submete a uma série de trabalhos bizarros para poder comprá-lo, e quando o livro é roubado, ele e sua família farão de tudo para encontrar o ladrão.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Paul King” espaco=”br”]Paul King[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Paul King, Simon Farnaby,
Título Original: Paddington
Gênero: Comédia, Aventura
Duração: 1h 43min
Classificação etária: Livre
Lançamento: 1 de fevereiro de 2018 (Brasil)

VEJA TAMBÉM

Comente pelo Facebook