PICA-PAU (Crítica)

Kadu Silva

Tinha potencial para ser bom, mas…

Um dos personagens de desenhos animados mais popular no Brasil, o Pica-pau ganha seu primeiro filme em live-action, mas o pequeno orçamento e uma certa falta de criatividade em desenvolver o roteiro deixou essa produção bem abaixo da média.

No filme conhecemos o vigarista Lance Walters (Timothy Omundson) e sua namorada Brittany (Thaila Ayala) que estão de mudança para uma reserva ecológica, onde irão construir uma mansão luxuosa. Só que esse território é a casa do brincalhão e travesso Pica-Pau, fato esse que vai tornar essa construção uma verdadeira odisseia para o casal.

O roteiro do também diretor Alex Zamm (Os Batutinhas: Uma Nova Aventura) tem diversos problemas graves, o principal, ele não consegue desenvolver a personalidade louca do Pica-Pau, essa principal característica que o faz até hoje um sucesso nos desenhos animados. Outro problema é a tentativa de desenvolver uma mensagem sobre a preservação da natureza, mas o alerta é colocado de forma extremamente superficial no arco dramático. O pior dos problemas, ele tenta criar piadas através de situações inconvenientes como: arrotos, peidos e por aí vai. É importante frisar que o foco do filme são as crianças bem pequenas, mas mesmo elas podem não se envolver com a história frágil e pouco engraçada que foi pensada por Zamm.

PICA-PAU (Crítica)

Se não bastasse isso, o roteiro é previsível, clichê, e com algumas falhas no desenvolvimento da história, infelizmente. Não para por aí, nenhuma piada é bem escrita a ponto de levar a plateia ao riso, existe uma tentativa de usar o pastelão americano para fazer graça, mas tudo soa forçado e fora do tom.

O elenco é praticamente todo formado por rostos bem desconhecidos, a única que nós brasileiros conhecemos mais é Thaila Ayala, talvez pelo fraco roteiro, todos estão bem ruins em cena, sem carisma algum para sustentar a história.

Os problemas ainda não terminaram, o mais grave é sem dúvida o acabamento técnico dos gráficos, não ficou orgânico a interação entre os atores e o Pica-Pau. A iluminação é bem diferente dos atores com o boneco, então toda a cena de interação entre eles parece algo feito de forma caseira, sem um mínimo de cuidado (uma pena).

Pica-Pau, por trazer um personagem tão conhecido e carismático poderia render um bom filme, mas diversos deslizes podem torna-lo uma grande decepção para o fã do desenho.

Pôster de divulgação: PICA-PAU

Pôster de divulgação: PICA-PAU

SINOPSE

O brincalhão e travesso Pica-Pau está metido em mais uma de suas divertidas brigas por território, e dessa vez os inimigos são o vigarista Lance Walters (Timothy Omundson) e sua namorada Brittany (Thaila Ayala). Eles estão determinados a construir a sua grande casa dos sonhos mas, para isso, precisam derrubar a casa do Pica-Pau, que promete não deixar barato.

DIREÇÃO

  • Alex Zamm Alex Zamm

  • FICHA TÉCNICA

    Roteiro: Alex Zamm, William Robertson
    Título Original: Woody Woodpecker
    Gênero: Comedia
    Duração: 1h 41min
    Classificação etária: Livre
    Lançamento: 5 de outubro de 2017 (Brasil)

    Comente pelo Facebook