PRAIA DO FUTURO (Crítica)

Praia do Futuro

4estrelas

Por Emilio Faustino

Um encontro feliz de uma direção sensível e atuações arrebatadoras

PRAIA DO FUTURO03

Sabe aquela frase que diz que o que importa não é o destino em si e sim à trajetória? Pois bem, “Praia do Futuro” parece que pegou a essência dessa frase e a transformou em um belíssimo filme que mais do que encantar com a deslumbrante fotografia, nos permite divagar ao embarcar em uma história melancólica, intimista que tem como ponto em comum a perda e a forma como lidamos com ela.

Para os desavisados de plantão: não se trata de um filme futurista, “Praia do Futuro” é o nome de uma praia localizada no estado do Ceará que serve de cenário para a primeira metade do filme com seus cenários paradisíacos muito bem explorados pela fotografia que enfatiza as cores vibrantes que mais tarde irão se contrastar com as cores frias da Alemanha.

Na trama Wagner Moura interpreta um salva-vidas (Donato) que trabalha na Praia do Futuro, em Fortaleza. Ao fracassar pela primeira vez em um resgate, ele acaba conhecendo o alemão Konrad (Clemens Schick), amigo da vítima. Motivado pelas circunstâncias (leia-se um romance homo afetivo), Donato resolve recomeçar a sua vida em Berlim, deixando para trás a família e o passado. Anos mais tarde, Ayrton (Jesuíta Barbosa), o irmão mais novo de Donato, embarca para a Europa em busca do irmão, que considerava ser seu herói.

Do ponto de vista técnico o filme é impecável: de cara a fotografia e a música se destacam e como se nos fosse dado um golpe de chave de braço, ficamos presos ao filme do início ao fim em uma história que nos conta mais pelos seus silêncios do que pelos diálogos.

Ponto para a direção de Karim Aïnouz (Madame Satã / O Abismo Prateado) que conseguiu tirar dos atores Wagner Moura e Jesuíta Barbosa interpretações incríveis em cenas em que ambos dispensam a fala e se comunicam de formas menos usuais.

Mas antes que se esqueça, entre a relação dos irmãos existe um gringo, a ponta fraca do triângulo dos atores que passa 1/3 do filme tirando a camiseta para explorar o seu capital erótico. Enquanto os atores brasileiros sambaram na hora de falar alemão, o alemão escorregou no português e algumas de suas falas são quase incompreensíveis. (Mas tudo bem, o personagem dele era um gringo, então a gente perdoa).

PRAIA DO FUTURO02

A questão da homossexualidade (que irá atrair muita gente ao cinema), não é o foco da história, embora o personagem central da trama seja gay, os conflitos que se estabelecem vão muito além de sua orientação sexual.

De tal forma que o fato dele ser gay, acaba por ser um detalhe, isso se deve muito a excelente atuação de Wagner Moura que não caiu no erro de compor um personagem estereotipado e a sensível direção de Karin que conseguiu fazer com que o assunto fosse absorvido de forma mais orgânica pelo público.

A trilha sonora é um capitulo a parte, melancólica e expressiva, ela aparece nos momentos mais felizes do filme, como a cena da balada e a cena onde o casal aparece na encosta do mar. Uma escolha bastante interessante, que dá a nós telespectadores a possibilidade de interpretar que talvez toda aquela felicidade mostrada nas imagens não seja real. E que a música neste caso esteja desempenhando o papel do eu interior que comumente tentamos disfarçar e ignorar.

Talvez o ponto mais interessante do filme seja o fato de ele nos prender mesmo com tão poucos diálogos, sem dúvida o roteiro ajudou muito nesse sentido. E são exatamente nessas cenas de poucas falas que o filme ganha um ar intimista, nos tocando e propondo reflexões que perduram até depois dos créditos.

É um filme que vale a pena conferir, para quem gosta de um bom filme é um prato cheio, para quem quer ver o Wagner Moura pelado é a oportunidade e para quem diz que o cinema nacional não produz nada de bom é uma grande chance para mudar de opinião.

Praia do Futuro estreia nesta quinta, dia 15 de maio em todo o Brasil.

PRAIA DO FUTURO01

SINOPSE

Praia do Futuro, Ceará. Donato (Wagner Moura) trabalha como salva-vidas. Seu irmão caçula, Ayrton (Jesuita Barbosa), tem grande admiração por ele, devido à coragem demonstrada ao se atirar no mar para resgatar desconhecidos. Um deles é Konrad (Clemens Schick), um alemão de olhos azuis que muda por completo a vida de Donato após ser salvo por ele. É quando Ayrton, querendo reencontrar o irmão, parte em sua busca na fria Berlim.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Karim Aïnouz” espaco=”br”]Karim Ainouz[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Karim Aïnouz e Felipe Bragança
Título Original: Praia do Futuro
Gênero: Drama
Duração: 1h 30min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: 14 Anos

TRAILER

Comente pelo Facebook

2 Comentários

  1. Rafinha

    Fui assistir PRAIA DO FUTURO

    Wagner DÁ O OLHO DO RABO no filme.

    O Nascimento, do Tropa, todo machão, todo fortão, todo bam bam bam e tals, mandando e desmandando EM TUDO no Tropa I e no Tropa II, NUNCA ME ENGANOU.

    Sempre desconfiei que por trás daquela cara de mal, TINHA UMA DONZELINHA.

    Ele queima a rosca agora !!!!

    Senti falta de um boquete bem pago.

    Sei lá, no momento que o Wagner DÁ O RABO, o cara goza dentro ou fora??? Ces viram???

    Maior babaquice o que fizeram com o filme em alguns cinemas. Em João Pessoa (PB), segundo relatos postados nas redes sociais, para evitar debandada semelhante, o espectador é avisado já na bilheteria: “o filme tem cenas de sexo gay, você tem certeza de que quer assistir?”

    Estamos vivendo em 1960, é isso? Pelo amor de Deus brou…Pede pra cagar e CAI FORA VÉI !!!!

    Bem, o filme tem um roteiro péssimo, desmotivante, sem sentido algum, tudo se perde no meio do caminho do filme, é mal montado, trilha sonora feia pacas, enfim, O FILME DEIXOU A DESEJAR.

    O filme foi péssimo independente das cenas quentes ou não, independente se são cenas de gays ou de heterosexuais. O FILME MANDOU MAL PACAS !!!!

    Mas veja, É SOMENTE A MINHA OPINIÃO. Vai que tu gosta? Isso é o que vale.

    Nem sei quem teve a idéia de PROLONGAR O FILME…Não tinha roteiro pra isso tudo…Que história foi tão MARAVILHOSA assim que merecia ser colocado num longa???? Qual?

    Nada de mais ocorreu pra isso.

    Creio até que, se no filme não existisse um Wagner moura, certamente, O FILME IRIA SER BEM PIOR DO QUE JÁ FOI.

    A única coisa que foi legal no filme foi ver dois homosexuais com características próprias, ou seja, não precisava de “dismunhecar” pra mostrar que eram gays.

    De 0 a 10, eu daria nota 2… FILME MUUUUITO RUIM.

    Já assisti filmes com homosexuais com histórias bem melhores do que essa, por exemplo: HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO, passou mês passado, foi um dos melhores dessa categoria.

    Decepcionante essa PRAIA DO FUTURO.