PROVA DE CORAGEM (Crítica)

Kadu Silva

A “difícil” arte de viver!

Não que isso seja o correto, afinal uma obra precisa falar por si só, mas alguns filmes ganham outra dimensão quando conhecemos o roteirista e o diretor envolvidos no projeto. Prova de Coragem é um desses longas, já que o filme não consegue transmitir suas intenções somente ao assisti-lo, fato este que infelizmente é um dos grandes problemas do longa.

A história narra a trajetória de Hermano (Armando Babaioff) um médico bem-sucedido, que planeja uma escalada de alto grau de risco e dificuldade, mesmo sabendo que sofre de vertigens. Ele é casado com Adri (Mariana Ximenes), uma artista plástica, que após sete anos de relacionamento engravida conscientemente, mas sem discutir com o marido sobre o assunto e isso transforma a relação do casal completamente.

O roteiro do também diretor Roberto Gervitz (Feliz Ano Velho) foi baseado na obra Mãos de Cavalo de Daniel Galera e apresenta uma reflexão em como lidar com a vida e seus desejos mais íntimos, até onde a coragem se sobrepõe ao medo diante das situações que a vida apresenta. O amadurecimento forçado e a busca da felicidade (satisfação) também permeiam o texto.

Roberto ao narrar as trajetórias de Hermano e Adri erra em tirar do espectador a chance de ser surpreendido pelos acontecimentos, a todo momento a história entrega as intenções da dupla e o filme segue sem um grande clímax ou mesmo um momento de reflexão, a não ser o final que de fato a produção consegue encontrar a reviravolta necessária para trazer ao público a emoção que poderia permear o longa como um todo.

Como já citei acima o filme tem como proposito uma ótima discussão sobre como é lidar com a vida, e suas diversas dificuldades. Mas essa leitura só foi possível conversando com o diretor, já que o filme por si só não consegue encontrar o ritmo e o formato necessário para dar ao espectador a chance de senti-lo assim. Visto sem a intenção por te trás da obra, o filme parece uma história de um romance em crise somente. É uma pena, já que a história apresenta um grande potencial filosófico, a escalada como metáfora sobre a vida é uma sacada genial, afinal como dizem os próprios escaladores, o cabo que sustenta eles, é uma espécie de cordão umbilical, e a escalada é o passo a passo da vida, difícil, puxada, as vezes com uma eminente possibilidade de queda, mas que pode ter um final enormemente prazeroso quando se chega no objetivo.

Armando Babaioff (Sangue Azul) pela primeira vez como protagonista consegue dar credibilidade ao seu personagem e principalmente consegue transmitir empatia para um personagem tão complexo. Mariana Ximenes (Zoom) compõe a Adri de uma forma muito intensa e decidida, mesmo com suas convicções questionáveis é possível torcer por seu sucesso.

Com uma trilha sonora adequada, a montagem bem realizada e uma fotografia deslumbrante o filme consegue apresentar uma obra muito bem finalizada tecnicamente.

Prova de Coragem é uma síntese do filme, já que faltou coragem para arriscar numa linguagem mais intimista e de suspense para dar a história ares mais impactantes e profundos, atitude que as vezes também repetimos em nossas vidas.

PROVA DE CORAGEM

SINOPSE

Hermano (Armando Babaioff), um jovem medico bem sucedido, planeja uma escalada de alto risco em uma montanha na Terra do Fogo, quando é surpreendido pela notícia de que sua mulher está grávida. Adri (Mariana Ximenes), com quem ele vive há sete anos, quer levar adiante uma inesperada gravidez, mas enfrenta a resistência de Hermano que não aceita a ideia de ser pai.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Roberto Gervitz” espaco=”br”]Roberto Gervitz[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Roberto Gervitz
Título Original: Prova de Coragem
Gênero: Drama
Duração: 1h 30min
Ano de lançamento: 2016
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 5 de maio de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Ildefonso Vieira

    Como já foi dito o filme não atinge um clímax e não consegue um bom DESENVOLVIMENTO. Tem certo teor filosófico o que poderia ter sido mais desenvolvido, mas não acontece de fato. Méritos para a atuação de Mariana Ximenes, como sempre roubando a cena.