QUANDO AS LUZES SE APAGAM (Crítica)

Kadu Silva

Um terror genérico

Baseado no excelente e aterrorizante curta-metragem Lights Out (clique aqui para conferir), Quando as Luzes se apagam consegue utilizar bem a premissa da obra de origem, no entanto a direção e o roteiro usados de forma clichê, transformam uma ótima ideia em uma produção, mais do mesmo.

Na trama Rebecca (Teresa Palmer), desde criança sofria com diversos medos, principalmente quando as luzes se apagavam, anos depois seu irmão mais novo apresenta o mesmo problema. É então que ela descobre que isso tem origem em sua mãe, Rebecca resolve então, investigar o que de real existe nessa história tão misteriosa que acompanha sua família.

O roteiro de Eric Heisserer (Premonição 5) e do estreante David F. Sandberg que também dirige o longa peca em não saber ampliar a história do curta de forma criativa, além de se utilizar de diversos recursos obvio do gênero para criar a história por de trás do medo dos personagens, faz de sua narrativa um caminho didático para explicar o que não necessariamente precisaria ser explicito, além disso, os personagens são carentes de um mínimo de inteligência para não ir de encontro ao perigo, e isso acontece no porão sujo, no armário escuro, tudo igual a vários filmes do gênero.

Como já foi citado, a base central do arco dramático é muito interessante, já que utiliza do mais simples e genuíno medo infantil que é o pavor do escuro para construir seu enredo e além disso, encontra uma história muito crível para explicar as manifestações misteriosas da trama, o erro é que com tudo isso a favor, as escolhas para os conflitos e as soluções na narrativa, não acompanham esse criativo conteúdo, assim o que acabamos vendo é um filme de terror genérico sem uma assinatura.

Há que se admitir que o desfecho é o único momento que a ousadia transcende e acaba salvando o filme de um verdadeiro fiasco. E também é importante ressaltar o trabalho do diretor David F. Sandberg que consegue criar durante praticamente todos os minutos do filme um clima de tensão, sem apelar totalmente aos sustos fáceis.

Outros dois destaques que merecem menção é a atriz Teresa Palmer (Meu Namorado é um Zumbi) e o ator mirim Gabriel Bateman (Annabelle) com atuações acima da média.

Quando as Luzes se Apagam é um filme de terror bom, principalmente em comparação a outras produções do gênero, mas no fim de sua projeção, fica o gosto que tinha potencial de ser algo ainda mais interessante e de tirar o sono do espectador por tudo que carregava em seu entorno.

QUANDO AS LUZES SE APAGAM

SINOPSE

Desde que era pequena, Rebecca tinha uma porção de medos, especialmente quando as luzes se apagavam. Ela acreditava ser perseguida pela figura de uma mulher e anos mais tarde seu irmão mais novo começa a sofrer do mesmo problema. Juntos eles descobrem que a aparição está ligada à mãe deles, Rebecca começa a investigar o caso e chega perto de conhecer a terrível verdade.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”David F. Sandberg” espaco=”br”]David F Sandberg[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: David F. Sandberg e Eric Heisserer
Título Original: Lights Out
Gênero: Terror
Duração: 1h 21min
Classificação etária: 14 Anos
Lançamento: 18 de agosto de 2016 (Brasil)

Comente pelo Facebook