RELATOS SELVAGENS (Crítica)

RELATOS SELVAGENS

5estrelas

Por Emílio Faustino

O descontrole nunca foi tão prazeroso

RELATOS SELVAGENS01

Existem muitas definições do que seria um bom filme, a minha sempre foi: bom filme é aquele que de alguma forma consegue lhe proporcionar algum tipo de sensação ou reflexão. Se você chora, ri, sente medo, nojo, empatia, repulsa é sinal que o filme de alguma forma mexeu contigo. Se o filme passa indiferente e você não consegue sequer tirar algum tipo de reflexão dele é porque ele não conseguiu estabelecer nenhum tipo de conexão com você.

E porque disse isso tudo? Justamente pelo fato de “Relatos Selvagens”, filme que abriu a mostra internacional de São Paulo, ter estabelecido com grande êxito uma conexão direta com o telespectador, amplificando situações do cotidiano e dando a elas, arte, drama e humor.

O resultado desta conexão é uma catarse que se dá pela identificação das cenas apresentadas no filme. Seja numa discussão no trânsito, uma suspeita de traição ou até mesmo naquela multa que recebemos levianamente.

O filme nos envolve em suas 6 histórias que nos entretém, diverte e nos faz pensar.Situações como as descritas acima acontecem o tempo todo e seriam até entediantes revê-las no cinema, porém, o que torna o filme brilhante é a forma como o diretor Damián Szifron (“El Fondo Del Mar), que também assina o roteiro do filme, trabalha estas situações.

Num misto de influências de Tarantino e Almodovár, (confirmadas pelo próprio diretor em entrevista), “Relatos Selvagens” apresenta uma história melodramática, cheia de reviravoltas, com cenas pra lá de violentas e esteticamente muito bem executadas. (Destaque para a fotografia do filme que esta deslumbrante e que faz uso de ângulos inusitados e do tradicional ângulo de baixo pra cima, marca registrada de Tarantino).

RELATOS SELVAGENS02

Os personagens da história são os mais casuais possíveis, pessoas absolutamente normais que em algum momento irão perder o controle. O que vemos na tela é a exteriorização do nosso lado mais primitivo, o que faz de cenas normalmente corriqueiras, verdadeiras epopéias.

Assim sendo, o título “Relatos Selvagens”, esta devidamente justificado e dá um bom prenuncio do que as pessoas irão encontrar. Aliás, passadas as duas primeiras histórias, as pessoas começam a ver o filme com olhos mais atentos, e neste momento, o pensamento que se estabelece é: “Ok, em que momento e de que forma essa situação absolutamente normal irá sair do controle?!”.

Sabendo disso a direção brinca com o telespectador, nos induzindo a achar muitas coisas, até chegar de fato aonde quer. Algo que realmente merece ter o seu mérito reconhecido, afinal, o filme consegue mexer com as nossas expectativas, que se renovam a cada inicio de uma nova história.

Relatos Selvagens é estrelado por Ricardo Darín (“Tese Sobre um Homicídio”), Oscar Martínez (“Ninho Vazio”), Leonardo Sbaraglia (“Intacto”), Darío Grandinetti (“Fale com Ela”), Rita Cortese (“Viúvas”), Erica Rivas (“Tetro”) e Julieta Zylberberg (“Um Namorado para Minha Esposa”). Gustavo Santaolalla (“Amores Brutos”, “Diários de Motocicleta”, “Babel”) é o compositor da trilha sonora.

Duas palavras poderiam definir este filme, são elas: “inusitado” e “prazeroso”. Sem dúvida um dos melhores filmes do ano, não é à toa que será o representante da Argentina para concorrer a concorrer ao Oscar 2015. (Péssimas noticiais para o brasileiro “Hoje eu quero voltar sozinho”, nosso candidato ao Oscar que é sim um bom filme, mas que perto deste não terá muitas chances).

Relatos Selvagens estréia hoje, dia 23 de outubro nos cinemas aqui do Brasil. Vale à pena conferir estes personagens que são como eu e você, ricos e pobres, fazendo aquilo que muitas vezes gostaríamos de fazer, mas que nem sempre podemos em nome da boa e velha noção de civilização. Imperdível!

RELATOS SELVAGENS03

SINOPSE

Diante de uma realidade crua e imprevisível, os personagens deste filme caminham sobre a linha tênue que separa a civilização da barbárie. Uma traição amorosa, o retorno do passado, uma tragédia ou mesmo a violência de um pequeno detalhe cotidiano são capazes de empurrar estes personagens para um lugar fora de controle.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Damián Szifron” espaco=”br”]Damian Szifron[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Damián Szifron
Título Original: Relatos salvajes
Gênero: Drama, Comedia
Duração:2h 2min
Ano de lançamento: 2014
Classificação etária: 14 Anos

TRAILER

CONFIRA A ENTREVISTA COM O DIRETOR DAMIÁN SZIFRON E A ATRIZ ÉRICA RIVAS

Comente pelo Facebook

4 Comentários