SPRING BREAKERS – GAROTAS PERIGOSAS (Crítica)

SPRING BREAKERS

1estrela

Por Igor Pinheiro

SPRING BREAKERS03

Você reúne algumas das maiores estrelas adolescentes da atualidade, um roteirista meio polêmico (Harmony Korine, de Kids), álcool, drogas, violência e uma estética cool, acha que esse é o segredo de fazer um filme cool e lança no Festival de Veneza. Espera o resultado… Sua máscara cai. Recebido por alguns (sábios) críticos como pretensioso e implausível, Spring Breakers – Garotas Perigosas promete mais do que cumpre e faz pensar na grande leva de filmes recentes que caem no mesmo erro. É uma pena.

A pior parte é saber, no fundo, que poderia ser um bom filme, até mesmo acima da média. O longa conta a história de quatro amigas que sonham (sério, é tipo o sonho da vida delas) em participar das festas populares e sem limites do spring break na Flórida. A necessidade de sair da cidade onde passaram maior parte de suas vidas, conhecem todas as pessoas nas mesmas festas caseiras e parecem não ter para onde ir, chega ao seu extremo e as garotas decidem assaltar um fast-food local para financiar a viagem. Dinheiro na mão, malas também, as quatro vão para as férias de sua vida e temas interessantes como influencia de amizades e religiosidade na adolescência são abordados. Tudo parece estar perfeito até que as amigas são presas durante mais uma das ousadas festas de seus sonhos. Surge um rapper traficante (…), interpretado por James Franco, e as resgata, mas não de graça. Agora, imersas em um perigoso submundo criminoso e mais longe do que nunca de seus sonhos, as amigas começam a se separar e rever suas vidas até então. Até que parece legal, né?

SPRING BREAKERS02

Tudo é muito aceitável até metade do longa, quando, infelizmente, a história de verdade começa a acontecer e você percebe que é menos um filme sobre “ei, jovens, cuidado com a vida alienada que vocês levam” e mais um filme surreal, querendo ser bacana com tomadas de todas se divertindo em câmera lenta, te constrangendo com as cenas de diversão exagerada dos jovens alcoolizados. Vou dizer de novo (e provavelmente mais algumas vezes até o fim do post): poderia ser tudo muito legal, mas perdem a mão.

Não critico a presença das atrizes adolescente, é um dos pontos atrativos do filme, é interessante e divertido ver Vanessa Hudgens e Selena Gomez fazendo papéis distantes da área de conforto a qual pertenciam até então (mesmo que a gente já soubesse que a primeira é bem ousada na vida real). Ashley Benson (de Pretty Little Liars) e a não tão conhecida Rachel Korine são ótimas atrizes. O grande problema do elenco é James Franco, que é tão pretensioso quanto o filme. É um conjunto gigante de tudo o que poderia dar certo em um filme cult de sucesso. Não é, com certeza, por causa da qualidade que o filme não passará pelas telonas aqui no Brasil (chega em setembro direto em DVD e Blu-Ray), mas é bom ver que boa parte do público estará distante de dar dinheiro para ele, por mais que seja uma boa aula de como não fazer um pseudo-cult.

Apelação (principalmente sexual) disfarçada de “realismo” e uma série de expectativas criadas, até mesmo em termos de roteiro, que não se cumprem (porque às vezes é legal ver acontecendo algo que você imaginou, surpreender nem sempre é a melhor saída), enfim… Triste decepção. Agora é esperar por The Bling Ring, da Sofia Coppola, que por mais que tenha uma proposta e a realidade diferentes de Spring Breakers, sofrerá inevitáveis comparações com a produção de Korine.

SPRING BREAKERS01

Obs.: Na verdade (e você pode ignorar a crítica inteira lendo só isso aqui, sério) não dá para levar a sério um filme em que um traficante super perigoso sabe tocar Everytime, da Britney Spears, no piano, né?

SINOPSE

Candy (Vanessa Hudgens), Faith (Selena Gomez), Brit (Ashley Benson) e Cotty (Rachel Korine) são quatro jovens inconsequentes que assaltam um restaurante para poderem juntar dinheiro e tirar férias na praia durante a primavera norte-americana, num período conhecido como “spring break”. No local, elas se envolvem em confusões e acabam presas. Na delegacia, conhecem um criminoso barra pesada (James Franco) que se encanta por elas e tenta convencê-las a integrar seu grupo.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Harmony Korine” espaco=”br”]Harmony Korine[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Harmony Korine
Título Original: Spring Breakers
Gênero: Drama
Duração: 1h 32min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 16 Anos

TRAILER

Comente pelo Facebook

5 Comentários

  1. Marcos Paulo

    Corrigindo… Gênero: Comédia.

  2. Pierrô

    O filme é só mais uma mostra de cinema GLS exaltando o crime. Resultado: não teve nenhum apelo popular. O povo quer um filme bom e não uma parada onde o ápice da obra são quatro putas e um marginal fazendo o que querem.
    Por essas e outras que a bilheteria de Super Homem, Homem de Ferro 3 e outros filmes onde o bem e o mal ficam claramente definidos fazem sucesso e essas mediocridades não.
    Bem, pelo menos o público GLS e toxicômano vai se amarrar, pois o resto nem verá.

    • Igor Pinheiro

      Não acho que o filme tenha essa abordagem GLS, cara. É muito mais uma coisa sobre juventude e inconsequência mesmo. Poderia ser um bom filme se isso fosse mais explorado, com um roteiro melhor, etc…

  3. bruno

    filmaço, tipo malick depois de fumar crack. narrativa diferente, meio surrealista e muito divertida. grande trilha sonora, grande fotografia e grande atuação do james franco.