TAINÁ – A ORIGEM (Crítica)

TAINa - A ORIGEM

Divertida aventura sobre preservação da natureza

O cinema no Brasil, por mais que gostaríamos está somente nos primórdios de sua história, vários gêneros praticamente nunca foram produzidos no Brasil, então cabe a nos darmos uma chance quando surge nas telonas uma produção como Tainá por exemplo. Por mais que tenhamos um histórico de sucesso com filmes voltados para as crianças com os Trapalhões e a Xuxa por exemplo, nunca conseguimos se firmar no gênero infantil com obras de qualidade. Tainá – A Origem é um filme bem produzido, com uma bela mensagem e que vai agradar perfeitamente o público alvo.

Esse é o terceiro longa da franquia e novamente acontece em plena floresta Amazônica, dessa vez iremos conhecer a origem da história de Tainá (Wiranú Tembé). Ela é uma criança que foi salva pelo solitário pajé Tigê (Gracindo Jr.) após ter sido deixada por sua mãe entre as raízes da Grande Árvore, Tigê então cuida da garota até que ela possa voltar para seu povo cinco anos depois. Nesse período a floresta Amazônica está sendo invadida por piratas da biodiversidade, que buscam encontrar a Grande Arvore a fim de vende-la para estudos.

Chega então o momento em que a tribo de Tainá realiza o ritual para escolher o guerreiro que irá defender a floresta e Tainá acaba sendo a vencedora, só que pela tradição da tribo somente homens pode participar. Expulsa de sua tribo, pela rebeldia, Tainá então resolve ir encontrar respostas de sua origem encontrando a Grande Árvore. Durante o caminho encontra Laurinha (Beatriz Noskoski) uma garota mimada da cidade grande que veio até a Amazônia passar as férias com seu avô Teodoro (Nuno Leal Maia) e se perde na floresta após uma peraltice. Elas então se unem com o índio nerd Gobi (Igor Ozzy) amigo de Tainá nessa aventura, que vai ser mais complicada que eles imaginavam já que os piratas estão perseguindo o trio.

O roteiro de Claudia Levay é infantil, simples, mas trás dentro dele uma forte e necessária mensagem sobre a preservação de nossas florestas, principalmente a Amazônia. Claudia utiliza das lendas e costumes locais, principalmente dos indígenas, para fazer um contra ponto com a visão urbana que a maioria das crianças tem. A figura de Laurinha representa essas crianças.

TAINa01

A ingenuidade de Tainá diante da modernidade de Laurinha faz um equilíbrio bem divertido e ainda aparece o índio Gobi que é exatamente a representação do índio moderno que está cada vez mais ligado com a tecnologia do branco, essa mistura é o grande trunfo na composição do trio protagonista. A aventura em si não tem um desenvolvimento tão marcante já que usa muito de licença dramática, mostrando situações meio inusitada, mas que são pautadas por uma linguagem meio lúdica que acompanha toda a narrativa.

A direção de Rosane Svartman busca levar o espectador a se sentir dentro da floresta, sempre utilizando de ângulos que demonstre a biodiversidade local. Os animais estão sempre presentes já que a indiazinha se comunica com eles e a diretora em praticamente toda a cena introduz takes desses inúmeros bichinhos – um grande acerto, já que isso cai no gosto do público infantil de cara.

Rosane ainda demonstra grande habilidade na direção do elenco já que o trio infantil claramente se mostra regido pelos seus comandos. O destaque fica para Laurinha a mais carismática entre eles, mas a imagem da índia Wiranú Tembé que faz a Tainá é muito forte, mostrando apenas com o olhar e com o sorriso muito do que seu personagem precisa passar durante a cena.

Portanto Tainá – A Origem é um filme colorido, repleto de personagem carismáticos com uma história fácil e divertida, perfeita para a criançada. E além de entreter, deixará uma mensagem muito importante para o futuro delas na terra.

DESTAQUE

Para a direção de fotografia que soube explorar as belezas da Amazônia de forma brilhante.

SINOPSE

A floresta amazônica é invadida por piratas da biodiversidade e a jovem índia Maya (Mayara Bentes) acaba tornando-se vitima dos bandidos, deixando órfã a bebê Tainá. A criança é abrigada entre as raízes de uma Grande Árvore e salva pelo velho e solitário pajé Tigê (Gracindo Jr), que passa a cuidar dela e só a devolve para seu povo cinco anos depois, quando será escolhido o novo líder defensor da natureza. Por ser menina, Tainá (Wiranú Tembé) é impedida de se apresentar, mas pela herança da mãe, a última das guerreiras, e com o apoio da esperta menina da cidade Laurinha (Beatriz Noskoski) e do índio nerd Gobi (Igor Ozzy), a indiazinha resolve encarar os malfeitores, desvendando o mistério de sua própria origem.

TAINa02

ELENCO

[do action=”cast” descricao=”Wiranú Tembé (Tainá)” espaco=”x”]01 Wiran[/do][do action=”cast” descricao=”Beatriz Noskoski (Laurinha)” espaco=”x”]02 Beatriz Noskoski[/do][do action=”cast” descricao=”Igor Ozzy (Gobí)” espaco=”x”]03 Igor Ozzy[/do][do action=”cast” descricao=”Gracindo Júnior (Tigê)” espaco=”br”]04 Gracindo[/do]

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Rosane Svartman” espaco=”br”]Rosane Svartman[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Claudia Levay
Título Original: Tainá – A Origem
Gênero: Ação
Duração: 1h 20min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: Livre

TRAILER

3estrelas

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. ISL ESCOLA ALUNO NOME:McNINGUEM

    VI ESSE FILME NA ESCOLA E GOSTEI