Teu mundo não cabe nos meus olhos (Crítica)

Emílio Faustino

Existem alguns filmes que a gente vai ao cinema pré disposto a gostar, sobretudo quando se trata de um filme cujo protagonista é portador de uma deficiência. O que se espera de um filme como este que traz luz a uma minoria social, é uma abordagem sensível explorando pontos como o som e a fotografia, porém o que se vê na telona do cinema são cenas e enquadramentos que já estamos acostumados a ver na TV.

Em “Teu mundo não cabe nos meus olhos”, Vitório (Edson Celulari), cego de nascença, é dono de uma pizzaria herdada por seu pai, e é considerado famoso por oferecer a melhor pizza dos arredores. Vivendo uma vida feliz com a mulher Clarice (Soledad Villamil) e a filha Alícia, ele sente que superou todas as dificuldades da cegueira e que deu a volta por cima. Mas, ao descobrir que existe a possibilidade de enxergar, Vitório inicia um conflito interno para decidir se irá ou não fazer o procedimento que poderá fazer ele finalmente enxergar.
O que para nós seria uma escolha fácil, afinal, quem não gostaria de poder enxergar? Para o protagonista é uma difícil decisão uma vez que implica uma mudança brutal em seu estilo de vida.

Talvez a frase que melhor defina o filme é ado conhecimento popular: “o pior cego é aquele que não quer ver”. Esta frase nunca se mostrou tão sábia, uma vez que para o espectadores acaba se tornando uma verdadeira tortura acompanhar a indecisão do personagem que se mostra reticente a possibilidade de superar a sua deficiência e adquirir a plena autonomia de sua vida pessoal e profissional.

Após 2/3 do filme e de ter ignorado o pedido da mulher e da filha, eis que surge na trama o agente que irá motivar nosso personagem a querer enxergar finalmente: um assalto piegas, com direito a xingamentos por parte dos assaltantes que convenientemente pesaram no fato do personagem ser cego. Uma cena absolutamente forçada que nitidamente foi criada para fazer as pessoas sentirem pena do protagonista.

Teu mundo não cabe nos meus olhos (Crítica)

ALERTA SPOILER

Não tem como expressar a minha total indignação com o filme sem contar o final, que diga-se de passagem não é nenhuma surpresa, uma vez que o título já entrega tudo, né?

Sim, “Teu mundo não cabe nos meus olhos” conta a história de um deficiente visual que pode voltar a enxergar, exita na maior parte do tempo e quando finalmente faz a cirurgia e recupera a visão de um olho, ao invés de decidir operar o outro olho e ter uma visão melhor, resolve reverter a cirurgia e voltar a ficar cego. Não porque não gostou do que viu no mundo ou alguma questão mais filosófica que poderia dar um profundamento a obra, mas simplesmente porque não se adaptou ao novo estilo de vida.

Na contra-mão de filmes onde as pessoas se esforçam para superarem seus próprios obstáculos, o filme apresenta uma história incomum de conformismo onde o personagem acaba cedendo ao medo do desconhecido.

Em um mundo cinematográfico onde a deficiência visual já foi explorada com personagens ricos como o dançarino de “Perfume de Mulher”, o romântico “Hoje eu Quero voltar sozinho” e até mesmo o assustador “O homem nas trevas”, o filme “Teu mundo não cabe nos meus olhos” chega sem nenhuma novidade, chovendo em um molhado aonde a única coisa que salva é a interpretação de Edson Celulari que consegue convencer no papel de cego.

Pôster de divulgação: Teu mundo não cabe nos meus olhos

Pôster de divulgação: Teu mundo não cabe nos meus olhos

SINOPSE

Vitório (Edson Celulari), cego de nascença, é dono de uma pizzaria herdada por seu pai no tradicional bairro do Bixiga, em São Paulo, e é considerado famoso por oferecer a melhor pizza dos arredores. Vivendo uma vida feliz com a mulher Clarice (Soledad Villamil) e a filha Alícia, ele sente que superou todas as dificuldades da cegueira e que deu a volta por cima. Mas, ao descobrir que existe a possibilidade de enxergar, Vitório inicia um conflito consigo mesmo e precisa tomar uma grande decisão.

DIREÇÃO

Paulo Nascimento Paulo Nascimento

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Paulo Nascimento
Título Original: Teu mundo não cabe nos meus olhos
Gênero: Drama
Duração: 1h 33min
Classificação etária: 10 anos
Lançamento: 3 de maio de 2018 (Brasil)

Comente pelo Facebook