UMA MENTE BRILHANTE (Crítica)

UMA MENTE BRILHANTE

4estrelas

FICHA TÉCNICA

Título Original: A Beautiful Mind
Ano do lançamento: 2001
Produção: EUA
Gênero: Drama
Direção: Roman Polanski
Roteiro: Akiva Goldsman

Sinopse: John Nash (Russell Crowe) é um gênio da matemática que, aos 21 anos, formulou um teorema que provou sua genialidade e o tornou aclamado no meio onde atuava. Mas aos poucos o belo e arrogante Nash se transforma em um sofrido e atormentado homem, que chega até mesmo a ser diagnosticado como esquizofrênico pelos médicos que o tratam. Porém, após anos de luta para se recuperar, ele consegue retornar à sociedade e acaba sendo premiado com o Nobel.

Por Kadu Silva

UMA MENTE BRILHANTE01

É consenso geral que para se adaptar uma história literária para o cinema, são necessárias algumas alterações para que ela se adeque melhor a linguagem visual, mas ai vem a questão, até que ponto essas alterações são realmente necessárias e até onde elas podem ir?

Quando se trata de uma ficção, onde não se conta uma história baseada em fatos reais à adaptação consegue e pode ser mais livre. O problema surge, quando acontecem adaptações de historias verdadeiras, e o roteirista tira ou coloca situações muitas vezes com fins comerciais. É o caso de Um Mente Brilhante, que no ano de seu lançamento foi alvo de diversas críticas negativas, por transformar o livro e a história de John Nash em um thriller romântico bem longe do que de fato ocorreu como matemático.

O ponto principal da crítica foi à exclusão das tendências homossexuais de Nash, que no livro de Sylvia Nasar (A Beautiful Mind: A Biography of John Forbes Nash Jr.) são as passagens mais impactante, a ponto de levar Nash, em certo momento de sua vida para a prisão por conduta imoral. O próprio protagonista do filme, Russell Crowe, declarou que a parte mais importante da historia de Nash ficou de fora. Existem outras passagens que foram bem modificadas da história real, como por exemplo, o filho de Nash que também nasceu com esquizofrenia, a separação do casal que durou vários anos entre outras passagens.

Percebe-se que a intenção do roteirista Akiva Goldsman, era transformar a história simples de Nash em algo que se adequasse a linguagem hollywoodiana de narrar fatos, já que vemos claramente uma edificação de emoções que permeiam a narrativa até o final apoteótico típico dessas produções.

UMA MENTE BRILHANTE02

Para quem não conhece a trama, ela se desenvolve mostrando três momentos importantes da vida de Nash – começa na descoberta matemática que revolucionou a economia anos depois, feita por Nash em seguida mergulha nas consequências da esquizofrenia e finaliza no reconhecimento mundial que deu a ele o Prêmio Nobel.

A história de Nash como se vê, não tem uma trama tão envolvente, o grande mérito de Goldsman é dividir e saber desenvolver de forma bem precisa esses três importantes momentos da vida do protagonista, que o diretor Ron Howard seguiu cirurgicamente cada ato sem grandes inovações – é o típico filme padrão hollywoodiano.

Apesar das várias polêmicas que permearam o lançamento do filme, sua direção precisa e seu roteiro redondo o levou a ser ganhador de diversos prêmios por onde passava, incluindo o prêmio máximo, que foi a escolha da academia americana como o melhor filme daquele ano.

Polêmicas a parte, o fato é que o filme realmente consegue envolver o espectador do começo ao fim, porque Howard conseguiu equilibrar perfeitamente o romance, o drama e o suspense que a trama pedia, e, além disso, apresenta Russell Crowe em sua melhor performance até hoje, conseguindo encontrar o timing perfeito para transmitir o distúrbio psicológico que o protagonista sofria.

Uma Mente Brilhante mostra que independente de nossas limitações, existe no fundo de nossa alma um força capaz de colocar para fora algo brilhante, que pode mudar o mundo, basta acreditar e ir a busca disso, sempre! E não importante o tempo que for, um dia o reconhecimento vira, pois a dedicação nunca será em vão.

UMA MENTE BRILHANTE03

PRÊMIOS

OSCAR
Ganhou: Melhor Filme, Melhor Diretor – Ron Howard, Melhor Atriz Coadjuvante – Jennifer Connelly e Melhor Roteiro Adaptado

Indicações: Melhor Ator – Russell Crowe, Melhor Maquiagem, Melhor Trilha Sonora e Melhor Edição

GLOBO DE OURO
Ganhou: Melhor Filme – Drama, Melhor Ator – Drama – Russell Crowe, Melhor Atriz Coadjuvante – Jennifer Connelly e Melhor Roteiro

Indicações: Melhor Diretor – Ron Howard e Melhor Trilha Sonora

BAFTA
Ganhou: Melhor Ator – Russell Crowe e Melhor Atriz Coadjuvante – Jennifer Connelly

Indicações: Melhor Filme, Melhor Diretor – Ron Howard e Melhor Roteiro Adaptado

MTV MOVIE AWARDS
Indicação: Melhor Ator – Russell Crowe

TRAILER

Comente pelo Facebook