VENDO OU ALUGO (Crítica)

VENDO OU ALUGO

2estrelas

Por Guilherme Pulga

VENDO OU ALUGO02

“Em suas fases áureas, chanchadas e pornochanchadas eram, com frequência, sucesso de público e fracasso de crítica. O mesmo se repete agora com as globochanchadas, é com essas palavras do cineasta Guilherme de Almeida Prado que começo a falar sobre o filme Vendo ou Alugo. A nova comédia de Betse de Paula ter faturado 12 prêmios no Cine PE – Festival do Audiovisual, dentre eles, destaca-se o melhor filme pelo júri oficial, pelo público e pela crítica. É claro, a seleção do festival pernambucano deste ano estava sofrível e lógico de se escolher o “menos pior”.

A história se passa no Rio de Janeiro. Maria Alice (Marieta Severo) vive com a mãe (Nathália Timberg), a filha (Sílvia Buarque) e a neta (Beatriz Morgana) em uma casa bem na entrada de uma favela dominada pelo trafico. Para piorar, a família se encontra mergulhada em dividas, tornando como única saída vender a casa.

A ideia principal do roteiro tem um potencial muito bom, o problema é como a história se conduz até o final. Apesar de um elenco muito bom, os personagens da diretora e roteirista Betse de Paula são estereotipados e de bordões, o que torna deveras cansativo e irritante, aí nomes como Marieta Severo, Marcos Palmeira, Silvia Buarque, André Mattos e Nathalia Timberg se perdem no filme.

VENDO OU ALUGO01

Durante a cabine de Vendo ou Alugo eu fiquei extremamente incomodado com o posicionamento da câmera e o espaço mal aproveitado. Há poucos movimentos interessantes, mesmo com planos sequência, a câmera estática torna o espaço chapado, dando um aspecto mais teatral.

Apesar da falta de criatividade nos enquadramentos, talvez o maior problema aparente seja o roteiro. A presença de tantos personagens de classes sociais e de realidades diferentes torna o filme numa tentativa alegórica superficial. Com uma ou outra boa sacada, Vendo ou Alugo não é uma comédia que garanta risadas em toda duração, por vezes beirando até ao escracho e o pastelão em sua última sequência.

No final das contas, Vendo ou Alugo é medíocre. Com um grande conjunto de estrelas nacionais incorporando – e improvisando – personagens com motivações estranhas, pouca inovação e se fazendo valer por premiações o torna mais um filme em cartaz.

VENDO OU ALUGO03

SINOPSE

Rio de Janeiro. Maria Alice (Marieta Severo) vive com a mãe (Nathália Timberg), a filha (Sílvia Buarque) e a neta (Beatriz Morgana) em um casarão no Leme, bem na entrada de uma favela. Para sobreviver Maria Alice faz os mais diversos bicos, mesmo que eles passem longe da legalidade, mas ela sabe que o único meio de resolver seus problemas é vendendo a casa. O problema é que ninguém quer comprá-la, devido à proximidade com o morro. Um dia, Maria encontra uma amiga que diz que seu filho, Júlio (Pedro Monteiro), está trabalhando como corretor de imóveis e tem um estrangeiro louco para comprar um imóvel na cidade. Maria pede que ele o leve à sua casa e, esperançosa que a venda enfim aconteça, passa a organizar tudo para agradar o possível cliente.

DIREÇÃO

[do action=”cast” descricao=”Betse de Paula” espaco=”br”]Betse de Paula[/do]

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Adriana Falcão, Betse De Paula, José Roberto Torero, Júlia de Abreu, Maria Lúcia Dahl e Mariza Leão
Título Original: Vendo ou Alugo
Gênero: Comedia
Duração: 1h 28min
Ano de lançamento: 2013
Classificação etária: 14 Anos

TRAILER

Comente pelo Facebook